Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-04-09T18:31:11-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Guerra de preços

Opep+ deve anunciar acordo para cortar produção petróleo entre maio e junho

A decisão foi tomada na reunião de hoje dos países-membros da organização, de acordo com relatos da imprensa internacional. Mas não deve ser suficiente para estabilizar o mercado

9 de abril de 2020
14:34 - atualizado às 18:31
Petróleo Opep
Petróleo já subiu 133% em 12 meses, sendo 20% só em 2021 - e este pode ser só o começo de um'superciclo' da commodity - Imagem: Shutterstock

Os países produtores de petróleo deram um passo importante para conter o colapso provocado pela falta de acordo entre Arábia Saudita e Rússia. A Opep+ deve anunciar um corte de 10 milhões de barris por dia na produção entre maio e junho.

A decisão foi tomada na reunião de hoje dos países-membros da organização, de acordo com relatos da imprensa internacional. Mas ainda não deve ser suficiente para estabilizar o mercado.

A expectativa por um acordo vem desde a semana passada, quando o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, antecipou que russos e sauditas estavam próximos de um entendimento.

Por isso mesmo, as cotações do petróleo se enfraqueceram ao longo dessa tarde: após passarem a primeira metade da sessão em alta, o WTI para maio encerrou a sessão em forte baixa de 9,28%, a US$ 22,76 o barril, enquanto o Brent para junho teve queda de 4,11%, a US$ 31,48.

Essa virada no petróleo foi sentida pelas ações da Petrobras, que também mergulharam ao campo negativo: ao fim do dia, os papéis ON da estatal (PETR3) recuaram 3,66%, enquanto os PNs (PETR4) caíram 2,89%.

Esse efeito dominó acabou arrastando o próprio Ibovespa, dado o peso das ações da Petrobras na composição da carteira: o índice, que chegou a subir 2,29% durante a manhã e romper o nível dos 80 mil pontos, fechou em queda de 1,20%, aos 77.681,94 pontos — ainda assim, acumulou ganhos de 11,71% na semana.

Os preços do petróleo desabaram no mês passado diante da queda na demanda provocada pela pandemia do coronavírus e, principalmente, diante da falta de acordo entre os países da Opep, que levou Arábia Saudita e Rússia a tomarem a inesperada decisão de elevar a produção no mês passado.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

De volta ao jogo

Como ficam os seus investimentos em renda fixa com a Selic em 6,25%

Renda fixa “voltou ao jogo”, mas ainda não dá para ficar rico. Veja como fica o retorno das aplicações conservadoras agora que o Banco Central elevou a Selic mais uma vez

entrevista

BC briga para recuperar a credibilidade e poderia ter acelerado alta da Selic, diz economista-chefe da gestora Garde

Para Daniel Weeks, BC passou mais tempo do que o necessário com a sinalização de que manteria taxa de juros muito baixas; ele avalia que aumento poderia ter sido de 1,25 ponto e que discussão sobre fim do ciclo de ajustes ainda não acabou

Seu Dinheiro na sua noite

Seguindo a rota planejada

Decisão da Selic pelo Copom, juros nos Estados Unidos, dólar em alta e muitas outras notícias que mexeram com o mercado hoje

Vai mudar

Ultrapar (UGPA3): Marcos Lutz, ex-presidente da Cosan, assumirá como CEO em janeiro de 2022

Lutz já era membro do conselho de administração da Ultrapar (UGPA3) e, após o período como CEO, deve virar presidente do colegiado

Bota para subir

Após nova alta da Selic, FMI apoia aperto monetário adotado pelo Banco Central para combater inflação

Os diretores do órgão também aprovam o compromisso do BC intervenções limitadas para conter condições desordenadas de mercado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies