Menu
2020-03-25T15:29:46-03:00
Secretário de Doria

Meirelles critica Bolsonaro, estima queda de 3% para PIB e vê diferenças com 2008

Meirelles, também ministro da Fazenda no governo Temer, considerou positivo que muitas autoridades do País tenham reagido ao pronunciamento do presidente

25 de março de 2020
15:29
Henrique Meirelles
Henrique Meirelles - Imagem: Joedson Alves/Estadão Conteúdo

Durante participação em conferência online transmitida ao vivo pelo BTG Pactual, o secretário da Fazenda e do Planejamento do Estado de São Paulo, Henrique Meirelles, fez críticas à postura do presidente da República, Jair Bolsonaro, na condução da crise do coronavírus, disse quais são as suas estimativas para o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro em 2020. Ele também explicou o que vê de diferente em relação à crise financeira de 2008, quando ele era presidente do Banco Central (BC), no segundo mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Ao comentar o pronunciamento feito por Bolsonaro, Meirelles disse que, "como todos os brasileiros de responsabilidade e senso crítico", recebeu mal o discurso do presidente. "Compete ao presidente liderar o País na direção certa, enfrentar a crise de saúde primeiro, preservar vidas e, depois, trabalhar na recuperação da economia", disse o secretário, que foi candidato à Presidência da República em 2018, ano da vitória de Bolsonaro.

Meirelles, que também foi ministro da Fazenda no governo do ex-presidente Michel Temer (MDB), considerou positivo que muitas autoridades do País tenham reagido ao pronunciamento do presidente, "com muita firmeza e mantendo o direcionamento de proteção da população".

O secretário evitou fazer críticas às medidas econômicas do governo. Afirmou que as apoia e que, quando tem alguma sugestão, encaminha ao Ministério da Economia. "Pregando o confronto já basta o presidente Jair Bolsonaro, que já é muito. O restante da sociedade tem de ser unido e com o pé no chão", afirmou.

Cenários

Meirelles afirma que trabalha com um cenário no qual o PIB brasileiro passa por uma retração de 10% no segundo trimestre. Com o início de recuperação de julho, a economia deve terminar o ano, portanto, com recuo de 3%, ele estima.

Segundo ele, se as projeções dos infectologistas estiverem corretas, de a pandemia atingir o pico em 60 dias e começar a cair em mais 60 dias, a economia poderá se recuperar rapidamente. "Mas a rapidez vai depender dos efeitos que a pandemia tiver na população", ponderou.

O secretário, que elogiou o trabalho do BC em adotar medidas que deem liquidez ao sistema financeiro, disse que a diferença da crise atual para a crise de 2008, quando ele era presidente do BC, é que, à época, sabia-se "totalmente" as causas do problema, ligadas ao sistema financeiro, e a duração projetada, para poder tomar as medidas. "Agora é diferente, não se trata de uma crise com causas econômicas ou financeiras. Para projetar a saída da crise, é preciso saber a duração", comentou Meirelles, em referência às incertezas que existem quanto à extensão da pandemia.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Após adiar entrega do IR

Receita adia para junho pagamento da primeira cota do Imposto de Renda

Receita adiou a data de pagamento da primeira cota do IRPF; não haverá exigência de número do recibo de entrega da última declaração para evitar aglomeração

Coronavírus no Brasil

Brasil tem 7.910 casos de coronavírus e 299 mortes

Índice de letalidade aumentou de 3,5% para 3,8%

Alívio na bolsa

Ibovespa fecha em alta; disparada do petróleo se sobrepõe à cautela com o coronavírus

O Ibovespa subiu mais de 1%, sustentado pelo bom desempenho das ações da Petrobras em meio à forte valorização das cotações do petróleo. O dólar à vista fechou em leve alta e cravou mais um recorde nominal

Proteção

Pandemia de coronavírus foi a ‘desculpa’ para mercados supervalorizados corrigirem, diz NCH Capital

Em sua carta mensal de março, gestora que vem se saindo bem diante da crise diz que seu modelo já via os mercados valorizados demais, o que a levou a proteger suas posições, embora muito mais cedo do que deveria

Comprando na crise

Investidor pessoa física entra com R$ 17,5 bilhões na bolsa em março

Quem vendeu a maior parte das ações para as pessoas físicas foram os investidores estrangeiros, cujo saldo na bolsa ficou negativo em R$ 24,2 bilhões em março

Por contra da crise

Bradesco antecipa 1ª parcela do 13º salário a funcionários por coronavírus

Bradesco vai antecipar para seus cerca de 100 mil funcionários o pagamento da primeira parcela do 13º salário; pagamento será feito em 29 de abril

Efeito coronavírus

Itaú Asset espera contração de 3,3% do PIB e vê Selic a 1,5% no fim de 2020

A taxa de câmbio esperada pelo Itaú Asset ao fim de 2020 é de R$ 4,85, mesma estimativa para 2021; inflação terminará ano em 2%, abaixo do centro da meta de 4%

AJUDA DO BILIONÁRIO

Bilionário Elon Musk vai enviar ventiladores pulmonares para hospitais, mas com uma condição

Fundador da Tesla e da SpaceX quer que os equipamentos sejam instalados e usados imediatamente para os pacientes, e não “guardados em um armazém”

Críticas

Presidente do BB tem de tratar de liquidez e não sobre isolamento, diz Maia

Presidente da Câmara, Rodrigo Maia aproveitou a videoconferência que realizou hoje para criticar a postura do presidente do Banco do Brasil

Crescimento de ganhos

Lucro de companhias abertas sem Vale, Petrobras e Oi cresce 7% em 2019, diz estudo

Lucro cresceu 7,16% em 2019, passando de R$ 94,2 bilhões em 2018 para R$ 101 bilhões no ano passado, segundo levantamento da Economática

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements