Menu
2020-05-19T11:15:20-03:00
Estadão Conteúdo
efeitos da pandemia

Impacto da covid-19 nas distribuidoras sobe para R$ 5,4 bi até o dia 17

No acumulado até a semana passada o impacto estava acumulado em R$ 4,623 milhões, com inadimplência de 15,08%

19 de maio de 2020
11:15
leilão energia
Imagem: Shutterstock

O impacto do novo coronavírus (covid-19) nas distribuidoras de energia elétrica subiu para R$ 5,411 bilhões entre 18 de março até o último domingo, 17, sendo que R$ 3,211 bilhões referem-se à inadimplência, que atingiu 11,84% no período, segundo boletim divulgado semanalmente pelo Ministério de Minas e Energia (MME).

No acumulado até a semana passada o impacto estava acumulado em R$ 4,623 milhões, com inadimplência de 15,08%.

O MME leva em conta a perda de faturamento com a redução da demanda somada à inadimplência. No primeiro semestre do ano passado, a inadimplência do setor foi de 3,27%.

Segundo o MME, nos últimos 30 dias foram pagos às distribuidoras R$ 18 bilhões. No primeiro semestre do ano passado a média mensal de faturamento das distribuidoras foi de R$ 21,3 bilhões, informou o MME em seu boletim semanal.

Deixaram de ser pagos nos últimos 30 dias R$ 1,7 bilhão referentes à inadimplência por efeito da pandemia, e R$ 665 milhões de inadimplência dentro da média na comparação com o mesmo período do ano passado. A redução da demanda causou uma queda de faturamento da ordem de R$ 1,5 bilhão nos últimos 30 dias.

Para reduzir as perdas das distribuidoras, o governo publicou na segunda-feira um decreto que regulamenta o empréstimo bilionário que será concedido ao setor, mas ainda não foi estipulado o valor, estimado em torno dos R$ 15 bilhões pelo mercado. Grande consumidores também poderão ser beneficiados,mas ainda falta regulamentação para essa medida.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

reta final de negociações

Senado americano aprova “pacote Biden” de US$ 1,9 trilhão

Agora, o pacote voltará para a Câmara dos Representantes, que analisará as alterações feitas no texto pelos senadores. Se for aprovado, o projeto será enviado à Casa Branca para a sanção do presidente

entrevista

‘Episódio Petrobras deu um susto grande nos investidores’, diz economista do Itaú

O economista-chefe do Itaú Unibanco, Mario Mesquita, diz também estar preocupado com as incertezas políticas, que ameaçam o crescimento do PIB

Dificuldades À vista?

Deputados falam em reduzir medidas de ajuste fiscal do texto da PEC do auxílio

Embora defenda celeridade na análise da proposta, Albuquerque admite que o texto pode ser enxugado

escolha da CEO

Investir no Brasil: se correr o bicho pega, se ficar o bicho come

Confira uma seleção de matérias feita pela CEO do Seu Dinheiro, Marina Gazzoni

Efeitos da pandemia

PEC do auxílio aprovada no Senado prevê abater R$ 100 bi da dívida pública

Pelos cálculos do governo, a necessidade de financiamento da dívida pública federal (DPF) neste ano é de R$ 1,469 trilhão, valor que aumentou por causa do maior volume de títulos de curto prazo que o governo precisou emitir para conseguir captar recursos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies