Menu
2020-05-29T15:02:24-03:00
Estadão Conteúdo
Plano de voo mantido

Governo discute orçamento de 2021 e linha da austeridade continua, diz ministro

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, afirmou nesta sexta-feira, 29, que o Brasil já sinaliza para o mercado que seguirá com a linha planejada de austeridade fiscal e solvência. Ele pontuou que o orçamento do próximo ano já está em discussão e que esse perfil permanecerá

29 de maio de 2020
15:02
12/04/2019  Inauguração do Novo Terminal de Passageiros do Aer
Ministro de Estado da Infraestrutura, Tarcisio Freitas. - Imagem: Alan Santos/PR

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, afirmou nesta sexta-feira, 29, que o Brasil já sinaliza para o mercado que seguirá com a linha planejada de austeridade fiscal e solvência. Ele pontuou que o orçamento do próximo ano já está em discussão e que esse perfil permanecerá. "Estamos na discussão do orçamento do ano que vem e a linha da austeridade permanece", disse em live promovida pelo site Jota.

Para Freitas, isso aponta que o Brasil terá uma retomada do crescimento econômico com manutenção da taxa de juros baixa.

Em sua visão, esse contexto permite que, aliado ao investimento privado, o Brasil possa também ter "alguma coisa" em investimento público. "Vamos ter espaço para crescer também sem pressionar inflação. E isso é interessante porque vamos conseguir crescer mantendo taxa de juro baixa, e isso vai ser fundamental para termos espaço orçamentário para que a gente possa aliar, além dos nossos investimentos privados, ter alguma coisa em investimento público", afirmou.

Freitas é um dos idealizadores do Pró-Brasil, plano de recuperação social e econômica do País, que combina atração de recursos privados com investimentos públicos em obras de infraestrutura. O ministro avaliou também que o Brasil já deve sentir uma recuperação na economia no último trimestre do ano, e uma recuperação forte em 2021. "E em 2022, melhor ainda".

Freitas ainda defendeu que os projetos de infraestrutura no Brasil são atrativos para a iniciativa privada por quatro motivos: portfólio grande, bons ativos, estruturação sofisticada e crédito.

"Nessa confusão toda, o BNDES está fazendo auxílio para diversos setores da economia por meio de linhas de crédito. Ele está fazendo isso por meio de garantias e sindicalização. E isso, de certa forma, preserva caixa do banco para que a gente possa contar também com crédito em infraestrutura", disse Freitas.

Além disso, o ministro afirmou ainda que os contratos estão sendo pensados para amortecer a variações cambiais, através de outorgas variáveis e modernização das regras de swap, deixando que a tributação ocorra ao final de toda a operação, e não a cada liquidação.

"Primeiro, a possibilidade de ter um seguro cambial levado a termo pelo BNDES. Segundo, a modernização das regras de swap, no final das contas hoje você tem tributações ao final de cada liquidação, e aí quando você tem um ganho você está pagando tributo e quando você perde aquela sua operação deixou de fazer sentido. Então vamos deixar toda a tributação para o final da operação como um todo, e não para o final de cada liquidação. E a terceira é a utilização da outorga variável dentro dos contratos para amortecer questão do câmbio", afirmou o ministro.

Concessões de rodovias

O ministro da Infraestrutura descartou nesta sexta-feira a possibilidade de o governo editar algum decreto ou Medida Provisória de socorro as concessionárias de rodovias.

Ele defendeu que já há instrumentos para que o governo possa compensar as perdas geradas pela pandemia, o que acontecerá por meio dos processos de reequilíbrio econômico-financeiro dos contratos.

"Já temos instrumento para atuar junto as concessionárias. Não só rodovias, operadores portuários também", disse Freitas.

O ministro voltou a afirmar que as recomposição não servirão para salvar concessões que já vinham apresentando problemas antes da crise.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Dia de decisão

Fed mantém juros e ritmo de estímulos, mas fala de Powell pesa nos mercados

Presidente do Federal Reserve vê um longo caminho até que a economia americana se recupere dos impactos do coronavírus

desigualdade de gênero

Fundos têm que investir em empresas com mulheres no conselho, diz Luiza Trajano

No Brasil, 8% das posições em conselhos de administração, instância estratégia de uma companhia, são ocupadas por mulheres

Reação

Dias melhores virão para a Cielo? Saiba o que o mercado espera para a empresa depois do lucro acima do esperado

Empresa de maquininhas de cartão registra o primeiro aumento no lucro trimestral em três anos e ações disparam na B3. Mas os analistas ainda não recomendam a compra dos papéis

em meio à pandemia

Financiamento imobiliário cresce 58% em 2020 e bate recorde histórico

Expansão do crédito imobiliário em 2020 foi puxada, principalmente, pela liberação de financiamentos para a pessoa física fazer a compra de moradias

balanço

Contas externas têm saldo negativo de US$ 12,5 bi em 2020, diz BC

Brasil viu as importações de produtos caírem, enquanto as exportações se mantiveram em níveis elevados, puxadas pela venda de alimentos para outros países

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies