⚽️ Jogos das quartas-de-final começam a se desenhar; confira os dias da próxima fase

Cotações por TradingView
2020-11-19T08:53:27-03:00
Ivan Ryngelblum
Ivan Ryngelblum
Jornalista formado pela PUC-SP, com pós-graduação em Economia Brasileira e Globalização pela Fipe. Trabalhou como repórter no Valor Econômico, IstoÉ Dinheiro e Agência CMA.
ALERTA

Fitch cita fator político como principal risco para rating do Brasil

Cenário político dificulta progresso das reformas e consolidação das contas públicas, diz agência de classificação de riscos

19 de novembro de 2020
8:27 - atualizado às 8:53
Fachada da Fitch Ratings
Imagem: Shutterstock

A agência de classificação de riscos Fitch Ratings alertou na quarta-feira (18) para os riscos do cenário político atual do País, afirmando que ele dificulta o progresso das reformas estruturais e a consolidação fiscal.  

Ela anunciou ontem que manteve o rating de longo prazo do Brasil em “BB-”, com perspectiva negativa – ou seja, ela está mais propensa a ser rebaixada do que elevada ou mantida no atual patamar – por conta do elevado nível do déficit fiscal e da dívida em 2020.

As dúvidas a respeito do compromisso dos políticos com a situação das contas públicas é um dos principais riscos da nota brasileira. O respeito ao teto de gastos, inclusive, é visto como essencial para que o País não piore na escala de classificação. A nota atual está dentro da categoria que é considerada de especulação, dois degraus abaixo do que é considerado grau de investimento.

“Na visão da Fitch, a flexibilização do teto de gastos para acomodar novas despesas pode prejudicar a âncora [que é o teto de gastos] e prejudicar a confiança do mercado”, diz trecho do comunicado.

Ela projeta que o déficit fiscal deve alcançar 16,7% do PIB em 2020, mais que o dobro da -mediana dos países classificados no patamar “BB” (7,8%). A dívida deve crescer para quase 95% do PIB, enquanto a mediana com os números dos outros países é de 59,9%.

O avanço das reformas é visto como um fator essencial para a manutenção do rating, mas a agência demonstrou certo ceticismo quanto à possibilidade de ela avançar.

“Apesar da equipe econômica estar comprometida em retomar sua agenda de reformas em 2021, o ambiente político permanece fluido, reduzindo a visibilidade e previsibilidade do processo”, diz trecho do comunicado. A expectativa é de que o Brasil volte a crescer no ano que vem, mas a Fitch citou novamente o fator político como um risco, junto com a perspectiva de uma segunda onda de covid-19 aqui e no mundo.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

COSTURANDO ALIANÇAS

Colocou contra a parede? O que o enviado de Biden disse a Lula na visita ao Brasil

5 de dezembro de 2022 - 20:27

O presidente eleito foi convidado, em nome do presidente dos EUA, a visitar Washington; saiba se ele vai

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Desafio de Powell derruba o Ibovespa, bitcoin tenta se recuperar e príncipe saudita vai atrás do Credit Suisse; confira os destaques do dia

5 de dezembro de 2022 - 20:22

A goleada de 4 a 1 do Brasil sobre a Coreia do Sul, logo após a derrota na última rodada da fase de grupos, serviu para convencer a torcida e aliviar o coração daqueles que esperavam que o bordão cunhado por Galvão Bueno durante a clássica derrota da amarelinha para a seleção alemã, em 2014, […]

FECHAMENTO DO DIA

‘Vai se criando um clima terrível’ para o Fed — e as bolsas globais desabam com a cautela; Ibovespa recua mais de 2% antes de votação da PEC da Transição

5 de dezembro de 2022 - 19:56

O Ibovespa encerrou em queda de 2,25%, aos 109.401 pontos. A força exibida pela economia dos Estados Unidos pressionou o dólar à vista, que subiu 1,30%, a R$ 52829.

SEU DINHEIRO NA COPA

Deu samba: Brasil atropela a Coreia do Sul e garante vaga nas quartas da Copa; veja quanto a seleção paga aos apostadores

5 de dezembro de 2022 - 17:59

O time de Tite segue líder absoluto nos sites de apostas, enquanto Argentina perdeu uma posição para a França e a Inglaterra tomou o lugar da Espanha

ANTES DA POSSE

A diplomação vem aí! Confira o que falta para Lula assumir a presidência pela terceira vez

5 de dezembro de 2022 - 16:50

A diplomação é o momento em que o TSE formaliza os candidatos eleitos por voto popular da maioria dos brasileiros. Neste ano, a cerimônia acontece sob a preocupação de tumulto diante do cenário político extremamente polarizado.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies