Menu
2020-08-01T15:51:32-03:00
Agência Brasil
em busca da solução

Fiocruz vai produzir 100 milhões de doses de vacina contra covid-19

Medicamento está sendo desenvolvido pela AstraZeneca em conjunto com a Universidade de Oxford e já está em fase de testes clínicos no Brasil

1 de agosto de 2020
15:51
vacina covid-19
Imagem: Shutterstock

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), do Ministério da Saúde, e a farmacêutica britânica AstraZeneca assinaram ontem (31) um termo que dará base para o acordo de transferência de tecnologia entre os laboratórios e a produção de 100 milhões de doses da vacina contra a covid-19, caso seja comprovada a sua eficácia e segurança. O medicamento está sendo desenvolvido pela empresa do Reino Unido em conjunto com a Universidade de Oxford e já está em fase de testes clínicos no Brasil e em outros países.

O acordo entre Fiocruz e AstraZeneca é resultado da cooperação entre os governos brasileiro e britânico, anunciado em 27 de junho pelo Ministério da Saúde. A assinatura do acordo de encomenda tecnológica está prevista para a segunda semana de agosto e deve garantir o acesso a 30 milhões de doses da vacina entre dezembro e janeiro de 2021 e 70 milhões ao longo dos dois primeiros trimestres do próximo ano.

Em nota, o Ministério da Saúde informou que prevê um repasse de R$ 522,1 milhões na estrutura de Bio-Manguinhos, unidade da Fiocruz produtora de imunobiológicos, para ampliar a capacidade nacional de produção de vacinas. Outros R$ 1,3 bilhão são despesas referentes a pagamentos previstos no contrato de encomenda tecnológica. Os valores contemplam a finalização da vacina.

O memorando de entendimento assinado nesta sexta-feira (31) define os parâmetros econômicos e tecnológicos para a produção da vacina da covid-19 e, de acordo com o ministério, garante a incorporação da tecnologia em Bio-Manguinhos para que o Brasil tenha condições de produzir a vacina de forma independente.

A Fiocruz recebeu informações técnicas fornecidas pela AstraZeneca necessárias para a definição dos principais equipamentos para o início da produção industrial. A instituição brasileira também colocará à disposição sua capacidade técnica para a aceleração do escalonamento industrial da vacina junto a outros parceiros.

De acordo com o Ministério da Saúde, ao mesmo tempo a Fiocruz constituiu um comitê de acompanhamento técnico-científico das iniciativas associadas às vacinas para a covid-19, com a participação de especialistas da Fiocruz e de instituições como as universidades de São Paulo (USP) e as federais do Rio de Janeiro (UFRJ) e de Goiás (UFG).

A vacina produzida por Bio-Manguinhos será distribuída pelo Programa Nacional de Imunização, que atende o Sistema Único de Saúde (SUS). O acordo com a AstraZeneca permitirá, além da incorporação tecnológica desta vacina, o domínio de uma plataforma para desenvolvimento de vacinas para prevenção de outras enfermidades, como a malária.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Retomada

BR Distribuidora, Cosan e Ultrapar: o que esperar dos resultados do terceiro trimestre

Depois de ficarem com os postos às moscas no auge da pandemia do coronavírus, as distribuidoras de combustíveis devem voltar a ter resultados melhores, segundo o Credit Suisse

Destaques da bolsa

Ações de bancos disparam em dia de volta do Ibovespa aos 100 mil pontos

Papéis de BTG Pactual e Bradesco estão entre as cinco maiores altas do índice neste momento; ações de BB, Itaú e Santander também sobem forte

Aegea vence leilão de concessão de esgotamento sanitário de Cariacica e Viana, no Espírito Santo

Empresa terá de universalizar acesso à rede de esgoto até o décimo ano de contrato

Leilão do 5G

Embaixada da China do Brasil sai em defesa da Huawei em meio à pressão americana

Mais cedo, a delegação de autoridades americanas que visitam Brasília afirmou que os Estados Unidos estão dispostos a financiar investimentos no setor de telecomunicações brasileiro para evitar a participação da empresa chinesa no leilão

Sustentabilidade em alta

BTG: Demanda virá quando investidor ver vantagem de investir em cias com ESG

A demanda por ativos financeiros associados a práticas ambientais, sociais e de governança (ESG, na sigla em inglês) no mercado brasileiro ainda vem de investidores estrangeiros, mas esse cenário deverá mudar, na avaliação do head de América Latina do BTG Pactual Asset Management, Will Landers. “A demanda está vindo mais de fora do Brasil, mas […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies