Menu
2020-02-09T11:51:51-03:00
Dinheiro na mão

FGTS vai virar garantia em novo crédito consignado

Governo calcula que potencial imediato é de R$ 11 bilhões em empréstimos da nova modalidade de empréstimo consignado com FGTS de garantia

9 de fevereiro de 2020
11:48 - atualizado às 11:51
Adolfo Sachsida
Adolfo Sachsida, secretário de Política Econômica do Ministério da Economia - Imagem: Reprodução

Os trabalhadores da iniciativa privada poderão antecipar os valores do saque-aniversário do FGTS com crédito mais barato. O governo deve concluir em dois meses a regulamentação da modalidade de empréstimo consignado que terá os resgates anuais como garantia.

O secretário de Política Econômica do Ministério da Economia, Adolfo Sachsida, espera que o novo produto provoque “um pulo” no crédito consignado. O potencial imediato é de R$ 11 bilhões em empréstimos, antecipa o secretário em entrevista ao Estadão/Broadcast.

O saque-aniversário do FGTS foi criado em 2019 e permite ao trabalhador sacar anualmente uma parte do seu Fundo de Garantia, de acordo com o mês em que nasceu. Os primeiros resgates começarão a ser feitos em abril de 2020.

Só os trabalhadores que aderirem a essa modalidade serão beneficiados - e poderão desistir após dois anos. Quem não fizer nada permanecerá com o saque-rescisão, com resgate de todo o saldo do FGTS em caso de demissão sem justa causa.

O consignado do FGTS funcionará de maneira semelhante a uma antecipação do Imposto de Renda ou do 13º salário, modalidades já oferecidas atualmente pelos bancos.

A diferença, segundo Sachsida, é que os trabalhadores poderão antecipar os saques de FGTS previstos para dois anos (período em que a permanência na modalidade é garantida) ou até mais tempo - neste caso, sujeito a uma taxa de juros um pouco maior.

“A pessoa que quiser pegar por dois anos tem a melhor garantia do mercado, então a taxa (de juros) vai ser baixinha. Agora, à medida que ele for querendo pegar por mais tempo, ele pode? Pode, só que a taxa que o banco ofertar é um pouco diferente”, afirma o secretário.

Dinheiro no bolso

A intenção do governo é dar ao trabalhador a opção de colocar no bolso os valores do saque-aniversário antes de chegar a sua data de resgate do dinheiro. “Vai ser muito barato”, diz Sachsida. Segundo ele, a taxa de juros deve ficar abaixo de 2% ao mês.

Hoje a modalidade mais vantajosa de crédito consignado é a do servidor público, com juro de 1,4% ao mês em média. Mesmo essa opção tem riscos: o funcionário pode falecer ou se divorciar (o pagamento de pensão comprometeria uma parcela da renda, reduzindo a margem para o empréstimo).

No caso do consignado do FGTS, Sachsida afirma que não há esses riscos. “O dinheiro já está lá disponível. Então, acredito que vai ser tão competitivo quanto o consignado do servidor público”, afirma.

O FGTS tem sido fonte de fôlego para o consumo e a atividade econômica. Em 2017, o governo Michel Temer permitiu o saque das contas inativas, que tinham recursos depositados por antigos empregadores, e passou a repartir com os trabalhadores uma parte do lucro do Fundo.

No ano passado, o governo Jair Bolsonaro fez a maior mudança nas regras do FGTS e, além de liberar ao menos R$ 500 de forma imediata para todos os trabalhadores, passou a permitir saques anuais de parte do saldo depositado no Fundo.

Segundo Sachsida, a demora na regulamentação do consignado com o FGTS se deve à complexidade de algumas das modalidades em elaboração. O secretário afirma que há ideias para fazer com que o consignado do FGTS sirva de garantia para a dívida do cartão de crédito.

A regulamentação precisará ser aprovada pelo Conselho Curador do fundo, órgão que reúne representantes do governo, patrões e trabalhadores.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

baixa pelo coronavírus

Latam reduz operações em 95% em abril

Afetada pela pandemia do novo coronavírus, Latam Airlines Brasil diz que continuará voando para 39 destinos com frequências reduzidas

Maior nível em quase um mês

Ações da Petrobras disparam mais de 10% após Trump sinalizar uma trégua na guerra de preços do petróleo

As ações da Petrobras sobem mais de 10%, na esteira da valorização do petróleo — lá fora, cresce a expectativa quanto a um acordo entre russos e sauditas

Não tão rápido...

Pagamento de benefícios não vale para salários de março, afirma secretário do Trabalho

Questionado sobre a nova MP do governo federal, Dalcolmo disse que o pagamento – que complementa a renda de quem tiver o salário reduzido – diz respeito apenas ao mês já trabalhado

Exile on Wall Street

Investimos em conversas que vão longe

São raros os dias em que tudo cai — ou tudo sobe —, e eles sugerem um mercado irracional, que não sabe bem o que está fazendo.

covid-19 no radar

Fitch reduz previsões de preço do petróleo por coronavírus e excesso de oferta

Para 2021, as novas projeções de preços médios da Fitch são de US$ 42 o barril de WTI e de US$ 45 o barril de Brent. Antes, eram de US$ 45 para o WTI e US$ 48 para o Brent.

dados da receita

Arrecadação de impostos soma R$ 116 bilhões em fevereiro

Impulsionada pelo resultado de janeiro, no primeiro bimestre, a arrecadação federal somou R$ 291,421 bilhões, segundo a Receita

novidade do banco central

BC vai editar circular regulamentando empréstimos com letras financeiras

Ainda haverá um prazo para operacionalização do instrumento. O BC não divulgou uma estimativa de quando, de fato, os empréstimos começarão a ser feitos

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta quinta-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

medida anticrise

Governo calcula que 25 milhões terão salário reduzido para evitar alta acentuada do desemprego; entenda

Num cenário sem as medidas, o governo estima que as demissões poderiam atingir até 12 milhões de trabalhadores; país já tem 12,3 milhões de desempregados

crise nos eua

EUA registram 6,648 milhões de pedidos de auxílio-desemprego, novo recorde

Leitura da semana anterior, que até então havia sido recorde, foi revisada de 3,283 milhões para 3,307 milhões de pedidos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements