Menu
2020-05-20T18:22:41-03:00
Estadão Conteúdo
Economia e pandemia

Fed diz estar comprometido a usar todas as ferramentas para apoiar a economia

Na mais recente reunião de política monetária, em abril, o Fed se comprometeu a usar todas as ferramentas disponíveis para continuar apoiando a economia

20 de maio de 2020
16:20 - atualizado às 18:22
Jerome Powell, presidente do Fed
Imagem: Federal Reserve

Na mais recente reunião de política monetária, em abril, o Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) se comprometeu a usar todas as ferramentas disponíveis para continuar apoiando a economia durante a pandemia de coronavírus, de acordo com a ata referente ao encontro, divulgada nesta quarta-feira, 20.

Segundo o documento, os dirigentes defenderam que as taxas de juros devem permanecer nos níveis atuais (entre 0% e 0,25%) até que haja confiança de que a crise foi superada. "Manter os juros baixos continuará a prestar apoio à economia e promover as metas máximas de emprego e estabilidade de preços do Comitê", ressaltou.

Na avaliação do grupo, os programas de compras de ativos devem seguir em vigor, a fim de assegurar o fluxo de crédito para empresas e famílias e, dessa forma, permitir a efetiva transmissão da política monetária. "Os participantes observaram que era importante continuar monitorando de perto as condições do mercado e que o Comitê está preparado para ajustar seus planos conforme apropriado para apoiar bom funcionamento dos mercados", salienta.

Apoio fiscal

Os dirigentes da instituição avaliaram que mais apoio fiscal pode ser necessário, se a fraqueza econômica causada pela pandemia de coronavírus perdurar.

No documento, divulgado nesta quarta-feira, a equipe da autoridade monetária avaliou que o desempenho da economia vai depender da evolução da pandemia, mas que a volatilidade nos mercados acionários diminuiu.

A equipe também afirmou que a demanda global por dólares estava forte, o que pressionou os mercados no curto prazo. Já a incerteza com a covid-19 foi classificada como "extremamente elevada".

O cenário pessimista, segundo a equipe do Fed, contempla uma segunda onda de infecções por coronavírus. "Esse cenário não é menos plausível que o cenário-base", disseram.

Já as condições no mercado monetário e nos mercados de bônus e empréstimos melhoraram, segundo avaliação da equipe.

Queda na atividade

A ata da reunião do Federal Reserve destacou também que a atividade das empresas e o investimento destas "recuaram dramaticamente", diante do choque causado pela pandemia de coronavírus. Houve forte queda na produção industrial em março e os dirigentes esperavam recuo ainda maior em abril, mostra o documento.

Os programas anunciados e executados pelo Fed ajudaram a manter o fluxo de crédito para as empresas e também para pessoas físicas e governos estaduais e locais, aponta a ata, além de apoiar o funcionamento mais suave dos mercados financeiros.

Muitas empresas tiveram de fechar suas portas por causa da pandemia e das medidas para conterá disseminação da covid-19, diz a ata. Naquelas que ficaram ao menos em parte abertas, houve também um choque importante com a emergência de saúde, seja na queda na demanda ou em problemas na cadeia de produção.

Os dirigentes citam também que é "apropriado" continuar com as compras de bônus, a fim de apoiar o crédito para as empresas e também as famílias. Ao mesmo tempo, mostram o temor de que, com o choque, muitas pequenas empresas não aguentem, especialmente se o impacto for duradouro.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

evolução

Indústrias de grandes economias registram aceleração em fevereiro

Manufatura da zona do euro se expande no ritmo mais forte em três anos, enquanto Japão tem primeira alta desde abril de 2019

dragão à vista

Economistas voltam a piorar projeções para inflação e dólar em 2021

Possibilidade de dólar fechar o ano abaixo de R$ 5,00 ficou ainda mais remota, segundo mediana de projeções divulgada pelo BC

O melhor do Seu Dinheiro

Quem vai ganhar a corrida das varejistas?

Quem será o novo Magazine Luiza? Essa pergunta virou quase um clichê no mercado depois que a varejista se tornou um dos maiores casos de sucesso da bolsa, com uma valorização de quase 35.000% desde dezembro de 2015. Entre o antigo modelo de lojas de rua e o promissor varejo online, o segredo da empresa […]

alívio no caixa

Governo reabre programa para renegociação de dívidas das empresas

A ideia é proporcionar um alívio no caixa das empresas no momento em que governadores decretaram o fechamento de estabelecimentos não essenciais devido ao colapso em seus sistemas de saúde

briga de galo

IMC mantém, por ora, contrato de franquia com KFC

Juízo indefere pedido da KFC de revogação da exclusividade da IMC na administração das operações KFC no Brasil

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies