Menu
2020-04-03T15:55:51-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Pior ainda

‘Estamos em recessão, bem pior do que a crise financeira de 2008’, diz diretora do FMI

Diretora do Fundo Monetário Internacional (FMI), Kristalina Georgieva afirmou que a recessão global decorrente do coronavírus já é uma realidade e que será “bem pior” que a crise financeira de 2008/2009

3 de abril de 2020
15:55
Fundo Monetário Internacional (FMI)
Imagem: Shutterstock

A diretora do Fundo Monetário Internacional (FMI), Kristalina Georgieva, afirmou que a recessão global decorrente do coronavírus já é uma realidade e que será "bem pior" que a crise financeira de 2008/2009, mas que escala e duração vão depender as ações tomadas pelos países. "Em toda minha vida, esse é o momento mais sombrio enfrentado pela humanidade", definiu, durante coletiva de imprensa conjunta com a Organização Mundial da Saúde (OMS), em Genebra, na Suíça.

Segundo Georgieva, o principal risco agora é de ondas de falências de empresas e demissões em massa, que podem atrasar a recuperação econômica. Neste contexto, ela revela que mais de 90 países já entraram com pedidos de ajuda financeira no Fundo, uma demanda nunca verificada antes. "Temos US$ 1 trilhão disponíveis e estamos comprometidos a usar o que for necessário contra o vírus", disse, reafirmando que a instituição está pronta para proteger a economia global.

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, destacou que mais de 1 milhão de casos da covid-19 já foram registrados em todo o mundo, com mais de 50 mil mortes. "Mas sabemos que essa é muito mais que uma crise de saúde. Estamos cientes das profundas consequências da pandemia", ressaltou, acrescentando que este é um momento "sem precedentes, que demanda uma resposta sem precedentes".

'Emergentes foram duramente atingidos'

A diretora reiterou a necessidade de ajudar países emergentes e em desenvolvimento, que, segundo ela, foram duramente atingidos pela crise provocada pela pandemia de coronavírus.

"Os sistemas de saúde já são frágeis e agora foram fortemente atingidos economicamente. O FMI está dando alta prioridade a eles", destacou A diretora nesta sexta-feira durante entrevista coletiva conjunta com a Organização Mundial da Saúde, em Genebra, na Suíça,

Georgieva ressaltou que a instituição estuda dobrar os recursos de financiamento emergencial, de US$ 50 bilhões para US$ 100 bilhões. "Também estamos procurando maneiras de fornecer liquidez adicional", disse a diretora, que exortou os bancos centrais de economias avançadas a ampliarem as linhas de swap para os emergentes.

A economista búlgara também salientou a urgência em fornecer assistência aos países mais pobres. Ela afirmou que Reino Unido, Japão, China e outros governos ricos já ajudaram o Fundo de Alívio de Contenção de Catástrofe, destinado aos membros mais vulneráveis. "E, junto com o Banco Mundial, estamos advogando aos credores dos países mais pobres por alívio no pagamento de dívidas", revelou. O governo chinês é um dos que estão engajados nesses esforços, disse ela.

Em especial, Georgieva demonstrou preocupação com a África, que, embora tenha um número reduzido de casos de coronavírus, comparado ao resto mundo, também dispõe de menos recursos para lidar com a pandemia. "É importante fornecer apoio financeiro substancial à África", disse.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

mercado de trabalho

EUA surpreendem e criam 2,5 milhões de empregos em maio

A economia dos Estados Unidos criou 2,509 milhões de empregos em maio, segundo dados do payroll divulgados nesta sexta-feira (5). A previsão de analistas, segundo consulta do Projeções Broadcast, era de fechamento de 8 milhões de vagas. *Conteúdo em atualização

Tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

14 notícias para começar o seu dia bem informado

Há alguns anos tudo era mato e só a XP estava aí para bater de frente com os bancos. Agora você tem opção, meu caro. E como! As plataformas de investimento independentes se espalharam pelo mercado financeiro como os restaurantes de “poke” em São Paulo. Mas quem diria que no meio da quarentena mais uma […]

expandindo atuação

Yduqs anuncia compra de grupo Athenas por R$ 120 milhões

Empresa é formada por cinco instituições localizadas no Rio Branco (AC), JiParaná (RO), Rolim de Moura (RO), Pimenta Bueno (RO) e Caceres (MT)

nas redes

Pandemia faz presidente perder seguidores, diz FGV

Para o diretor de Análise de Políticas Públicas da FGV, Marco Aurélio Ruediger, o governo falhou na avaliação sobre o impacto que a pandemia teria

entrevista

‘JBS abriu 3 mil vagas em maio à pandemia’, diz presidente da empresa

Empresa tem sofrido, especialmente no sul do País, questionamentos pelo alto índice de contaminação de funcionários por covid-19

esquenta dos mercados

Exterior positivo em dia de payroll deve impulsionar a bolsa brasileira

Mercado acionário global volta a mostrar otimismo com a reabertura econômica e pacotes de estímulos para recuperação da economia. O destaque do dia é a divulgação do payroll americano

país não é bem visto por democratas

Comitê da Câmara dos EUA se opõe a acordo com o Brasil

Ex-embaixador em Washington, Rubens Ricupero afirma que a carta dos democratas da Ways and Means “enterra” qualquer possibilidade de acordo

medida anticrise

Governo deve estender auxílio emergencial por mais dois meses

Equipe econômica avalia editar uma medida provisória para ampliar o período de duração do benefício, criado para dar suporte a trabalhadores informais, autônomos, desempregados e microempreendedores individuais

dinheiro no caixa

Centauro levanta R$ 900 milhões em oferta de ações

Empresa deve usar os recursos para o financiamento de aquisições de empresas em curso e futuras que possam contribuir para a execução de sua estratégia de crescimento

em meio à crise

Governo transfere R$ 83,9 milhões do Bolsa Família para investir em propaganda

Medida atinge os recursos previstos para a região Nordeste do País; Secom já havia aumentado para R$ 17,8 milhões suas despesas com propaganda

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements