Menu
2020-03-25T13:20:44-03:00
Estadão Conteúdo
crise do coronavírus

‘Decisões do presidente na área de saúde não alcançarão Goiás’, diz Caiado

Governador disse que suas decisões serão pautadas em indicações da OMS e do corpo técnico do Ministério da Saúde

25 de março de 2020
13:20
48382316587_2608a038e4_c
(Goiânia - GO, 26/07/2019) Governador do Estado de Goiás, Ronaldo Caiado. - Imagem: Isac Nóbrega/PR

Em resposta ao pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro, o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), afirmou nesta quarta-feira (25) que as decisões federais na área de saúde não alcançarão o Estado de Goiás. Nesta manhã, Bolsonaro voltou a criticar a recomendação de governantes pelo confinamento total das pessoas e defendeu que apenas pessoas no grupo de risco do novo coronavírus fiquem em casa.

"Quero deixar claro com muita tranquilidade, mas com autoridade de governador e o juramento de médico, que as decisões do presidente da República na área de saúde em relação ao coronavírus não alcançarão o Estado de Goiás", afirmou em entrevista coletiva transmitida ao vivo pelas redes sociais.

Caiado informou que suas decisões para o Estado relacionadas à crise causada pela covid-19 serão pautadas em indicações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do corpo técnico do Ministério da Saúde. "Não posso admitir e concordar com um presidente que vem a público sem ter consideração com seus aliados, sem ter respeito", disse.

O governador afirmou que não há dúvidas de que haverá crise econômica e que o desemprego aumentará, mas que não adianta que o presidente "lave as mãos" e responsabilize os demais governantes. Ele deixou claro que sua decisão é uma iniciativa própria. "Não existe aqui uma situação orquestrada com demais governadores", declarou Caiado.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

DESTAQUE DO DIA

Suzano se descola do Ibovespa e sobe mais de 1% após resultados do 3º trimestre

Analistas destacam que Ebitda superou estimativas e elogiam fluxo de caixa livre e desalavancagem

sob pressão

Inflação e redução do auxílio emergencial já derrubam vendas nos supermercados

Em outubro, a prévia da inflação, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor-15 (IPCA-15) atingiu 0,94%. O resultado é mais que o dobro da inflação registrada em setembro e a maior alta para o mês em 25 anos

efeito pandemia

Setor público tem déficit primário de R$ 64,559 bi em setembro, diz BC

Em função da pandemia, cujos efeitos econômicos se intensificaram em março, o governo federal e os governos regionais passaram a enfrentar um cenário de forte retração das receitas e aumento dos gastos públicos.

AINDA RUIM

Taxa de desemprego atinge 14,4% no trimestre até agosto, a maior desde 2012

País registrou 13,794 milhões de desempregados no período, aumento de 8,5%

VAREJO COMPETITIVO

Fast Shop aposta em conceito ‘luxo’ contra gigantes

Segundo presidente da empresa, expansão em 2020 deve ser de 15% a 20%, elevando a receita do negócio para próximo (ou além) de R$ 5 bilhões

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies