Menu
2020-04-09T10:01:07-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
gigante asiático

China teve sinais de recuperação no comércio externo em março, diz governo

Setor exportador chinês continua enfrentando obstáculos ligados à disseminação do coronavírus no exterior

9 de abril de 2020
9:58 - atualizado às 10:01
China
Imagem: Shutterstock

O comércio externo e o consumo doméstico da China deram sinais de melhora em março, depois que o governo fez progressos no combate ao coronavírus e se esforçou para reiniciar a atividade econômica, segundo o Ministério de Comércio do país.

Tantos as exportações quanto as importações se recuperaram parcialmente em março, após sofrerem fortes quedas no primeiro bimestre, afirmou hoje o porta-voz do ministério, Gao Feng. Ele ressaltou, porém, que o setor exportador chinês continua enfrentando obstáculos ligados à disseminação do coronavírus no exterior.

Alguns exportadores pesquisados pelo ministério dizem que encomendas foram canceladas por clientes externos, sendo que as da indústria têxtil e de vestuário foram particularmente afetadas pela pandemia.

Na terça-feira (07), mais de 76% dos grandes exportadores chineses haviam retomado 70% da capacidade de produção, afirmou Gao, acrescentando que o governo vai agir para apoiar empresas e limitar o impacto do vírus.

Analistas consultados pelo The Wall Street Journal estimam que as exportações da China sofreram redução anual de 15,9% em março, após a queda de 17,2% vista no primeiro bimestre, e que as importações diminuíram 10% no mesmo período, após o recuo de 4% dos primeiros dois meses do ano. A balança comercial chinesa de março será divulgada na terça-feira (14).

Após críticas feitas pelo governo dos EUA, Gao disse também que a China não restringiu exportações de produtos médicos, destacando que as vendas externas dessa categoria somaram o equivalente a US$ 1,44 bilhão em março. O porta-voz acrescentou que o governo vai endurecer a supervisão de exportações da áreas médica após relatos de que alguns produtos de baixa qualidade foram embarcados para a Europa.

Gao comentou ainda que o consumo da China já atingiu seu nível mais baixo e começa a se recuperar, depois que mais de 20 cidades distribuíram cupons com o objetivo de impulsionar os gastos das famílias.

Economias regionais

Também nesta quinta-feira, o Banco do Japão (BoJ, pela sigla em inglês) rebaixou hoje sua perspectiva para todas as economias regionais do país, uma vez que os setores manufatureiro e de serviços foram atingidos pela pandemia do novo coronavírus.

As economias de todas as nove regiões estão "fracas" ou enfrentando "forte pressão de baixa", afirmou o BC japonês em relatório trimestral, que é conhecido como "Sakura" e equivale ao Livro Bege do Federal Reserve (Fed, o BC dos EUA).

Antes da publicação do documento, o presidente do BoJ, Haruhiko Kuroda, comentou que há forte incerteza em relação à perspectiva da economia global e reiterou que a instituição não vai hesitar em adotar novas medidas de estímulos se a crise do coronavírus exigir. Fonte: Dow Jones Newswires.

*Como Dow Jones Newswires e Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Perseguição ao bitcoin?

Irã fecha ‘fazendas’ de mineração de bitcoin para conter apagões no país; entenda

Governo culpa centros de processamento de criptomoedas por blackouts devido à ‘sobrecarga energética’ da rede de mineração; ao mesmo tempo, Irã usa o bitcoin para amenizar sanções bancárias dos EUA

Lei Orçamentária Anual

Ainda sem aprovação do Orçamento 2021, governo precisa controlar gastos

Manutenção do auxílio emergencial é dúvidas neste início de ano

Pé no freio

Incertezas políticas e fiscais mantêm estrangeiros cautelosos com o Brasil

Após meses de fuga do capital externo do País, os últimos meses de 2020 mostraram o começo do retorno dos investidores de portfólio, mas o ritmo ainda é insuficiente para reverter a forte saída de dólares do Brasil

Crescimento

Vale (VALE3) prevê investir US$ 2,7 bilhões na região norte até 2024

Companhia pretende ainda investir US$ 5,8 bilhões em 2021, dos quais US$ 1 bilhão serão apenas para expansão

ESTRADA DO FUTURO

Grafeno, urânio e lítio… cuidado com a obsessão de enriquecer com a próxima tecnologia do futuro

O boom de empresas de tecnologia alimenta uma esperança quase ingênua de enriquecer “horrores” descobrindo como esses materiais moldarão o nosso futuro. Vou ser totalmente transparente com você: não gosto da ideia.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies