Menu
2020-04-09T10:01:07-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
gigante asiático

China teve sinais de recuperação no comércio externo em março, diz governo

Setor exportador chinês continua enfrentando obstáculos ligados à disseminação do coronavírus no exterior

9 de abril de 2020
9:58 - atualizado às 10:01
Bam China
Imagem: Shutterstock

O comércio externo e o consumo doméstico da China deram sinais de melhora em março, depois que o governo fez progressos no combate ao coronavírus e se esforçou para reiniciar a atividade econômica, segundo o Ministério de Comércio do país.

Tantos as exportações quanto as importações se recuperaram parcialmente em março, após sofrerem fortes quedas no primeiro bimestre, afirmou hoje o porta-voz do ministério, Gao Feng. Ele ressaltou, porém, que o setor exportador chinês continua enfrentando obstáculos ligados à disseminação do coronavírus no exterior.

Alguns exportadores pesquisados pelo ministério dizem que encomendas foram canceladas por clientes externos, sendo que as da indústria têxtil e de vestuário foram particularmente afetadas pela pandemia.

Na terça-feira (07), mais de 76% dos grandes exportadores chineses haviam retomado 70% da capacidade de produção, afirmou Gao, acrescentando que o governo vai agir para apoiar empresas e limitar o impacto do vírus.

Analistas consultados pelo The Wall Street Journal estimam que as exportações da China sofreram redução anual de 15,9% em março, após a queda de 17,2% vista no primeiro bimestre, e que as importações diminuíram 10% no mesmo período, após o recuo de 4% dos primeiros dois meses do ano. A balança comercial chinesa de março será divulgada na terça-feira (14).

Após críticas feitas pelo governo dos EUA, Gao disse também que a China não restringiu exportações de produtos médicos, destacando que as vendas externas dessa categoria somaram o equivalente a US$ 1,44 bilhão em março. O porta-voz acrescentou que o governo vai endurecer a supervisão de exportações da áreas médica após relatos de que alguns produtos de baixa qualidade foram embarcados para a Europa.

Gao comentou ainda que o consumo da China já atingiu seu nível mais baixo e começa a se recuperar, depois que mais de 20 cidades distribuíram cupons com o objetivo de impulsionar os gastos das famílias.

Economias regionais

Também nesta quinta-feira, o Banco do Japão (BoJ, pela sigla em inglês) rebaixou hoje sua perspectiva para todas as economias regionais do país, uma vez que os setores manufatureiro e de serviços foram atingidos pela pandemia do novo coronavírus.

As economias de todas as nove regiões estão "fracas" ou enfrentando "forte pressão de baixa", afirmou o BC japonês em relatório trimestral, que é conhecido como "Sakura" e equivale ao Livro Bege do Federal Reserve (Fed, o BC dos EUA).

Antes da publicação do documento, o presidente do BoJ, Haruhiko Kuroda, comentou que há forte incerteza em relação à perspectiva da economia global e reiterou que a instituição não vai hesitar em adotar novas medidas de estímulos se a crise do coronavírus exigir. Fonte: Dow Jones Newswires.

*Como Dow Jones Newswires e Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

balanço do dia

Covid-19: casos sobem para 15,5 milhões e mortes, para 432,6 mil

O total de vidas perdidas durante a pandemia subiu para 432.628. Entre ontem e hoje, foram registradas 2.211 novas mortes.

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Mudaram as estações, mas nada mudou na bolsa

Quem olha para o saldo do Ibovespa na semana pode achar que os últimos dias foram um marasmo. O índice, afinal, ficou praticamente estável — uma quase desprezível queda de 0,13%. “Mas eu sei que alguma coisa aconteceu / tá tudo assim, tão diferente”, já dizia a música. E é verdade: nada mudou na bolsa, […]

Fechamento da semana

Inflação americana e minério de ferro vivem ‘dias de luta e dias de glória’, monopolizando a semana; dólar avança e bolsa recua no período

O minério de ferro puxou Vale e siderúrgicas para cima – mas depois derrubou. A inflação americana também assustou, mas conseguiu acalmar o ânimo dos investidores. Confira tudo o que movimentou a semana

Engordando o caixa

Petrobras gera US$ 2,5 bilhões com desinvestimentos em 2021; venda mais recente é para fundo árabe

E a estatal não deve parar por aí, pois o diretor financeiro da empresa já reafirmou a intenção de continuar com o programa de venda de ativos

Em evento do BofA

Presidente do BC revela preocupação com análise de autonomia no STF e planos para PIX internacional

Campos Neto e o ministro da Economia, Paulo Guedes, têm conversado com ministros da Corte sobre os questionamento acerca do tema

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies