Menu
2020-12-18T06:42:56-03:00
Agência Brasil
NÚMEROS DA PANDEMIA

Covid-19: Brasil registra 7.110.434 casos e 1.092 mortes

Última vez em que foram registrados mais de 1 mil óbitos pelo novo coronavírus no País foi no dia 30 de setembro

18 de dezembro de 2020
6:42
coronavírus pandemia
Imagem: Shutterstock

O Brasil registrou 1.092 novas mortes por covid-19 segundo atualização divulgada na quinta-feira (17) pelo Ministério da Saúde.

Com isso, o país voltou ao nível de setembro. O último dia em que foram registrados mais de 1 mil óbitos foi no dia 30 daquele mês. Com estas mortes acrescidas às estatísticas, o número de falecimentos provocados pela pandemia totalizou 184.827. 

Na quinta-feira, o sistema do Ministério da Saúde marcava 183.735 óbitos acumulados. Há 2.236 mortes em investigação.

De acordo com o balanço do ministério, o número de diagnósticos positivos desde o início da pandemia chegou a 7.110.434. Nas últimas 24 horas foram registrados 69.826 novos casos.

Na quarta-feira (16) foram notificadas 70.574 pessoas infectadas e 7.040.608 casos. Ainda conforme a atualização do órgão, há 747.905 pacientes em acompanhamento e 6.177.702 já se recuperaram da infecção.  

Estados

A lista dos estados com mais mortes pela covid-19 é encabeçada por São Paulo (44.681), Rio de Janeiro (24.204), Minas Gerais (10.933), Ceará (9.883) e Pernambuco (9.361).

As Unidades da Federação com menos óbitos pela doença são Acre (756), Roraima (766), Amapá (864), Tocantins (1.210) e Rondônia (1.681).

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Aceno a Biden

Na Cúpula do Clima, Bolsonaro promete zerar emissões de gases de efeito estufa até 2050

No encontro, organizado por Joe Biden, o presidente do Brasil também se comprometeu a zerar o desmatamento ilegal até 2030

Nem o agro se salva

Centro de Tecnologia Canavieira (CTC) engrossa a lista de IPOs adiados em 2021

A empresa, que já havia interrompido a oferta por alguns dias em janeiro, citou a “deterioração” do mercado em seu segundo adiamento

perspectivas

Temporada de balanços 1º tri: quem deve ir bem e quem ainda está mal, segundo o BofA

Empresas começam a divulgar resultados de um período marcado por lockdowns e alta dos preços das commodities; veja o que esperar

vale o que pesa?

Oi perdeu atratividade após vender fibra ótica? BTG Pactual diz que não

Para analistas, que trabalham dentro do grupo que fez a oferta pelos ativos, as ações possuem bom potencial de alta em qualquer cenário

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies