Menu
2020-12-07T18:42:46-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
reformulação

Projeto do Senado prevê substituir Bolsa Família por plano de redução da pobreza

Proposta prevê metas para redução da pobreza nos próximos três anos e verba extra para ações de transferência de renda

7 de dezembro de 2020
14:57 - atualizado às 18:42
Bolsa Família
Bolsa Família - Imagem: Shutterstock

A ausência de uma solução do governo para o fim do auxílio emergencial concedido à população vulnerável na pandemia, previsto para este mês, fez surgir no Senado um projeto que reformula os programas sociais do País, incluindo o Bolsa Família.

Chamada de Lei de Responsabilidade Social (LRS), ela prevê metas para a queda da taxa geral de pobreza nos próximos três anos e verba extra de recursos do Orçamento destinada às ações de transferência de renda aos mais pobres, alívio na flutuação de renda e estímulo à emancipação econômica.

"Estamos terminando o ano sem resolver a questão emergencial", disse o autor do projeto, senador Tasso Jereissati (PSDB-CE). Para ele, a sociedade está "madura" para aprovar essa lei.

A proposta foi apresentada ao líder do governo do Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE), e ao vice-presidente da Casa, Antônio Anastasia (PSD-MG), que tem presidido as sessões na ausência do presidente Davi Alcolumbre (DEM-AP). Segundo Jereissati, a recepção foi muito boa.

A expectativa é de indicação rápida do relator para começar os trabalhos, diante da urgência do problema com o fim do auxílio. Para Anastasia, o projeto é muito interessante. "É uma lei que tem possibilidade de avançar e tecnicamente muito bem feita por especialistas gabaritados", afirmou.

Qual é a proposta?

O projeto da LRS prevê três benefícios sociais para substituir o programa Bolsa Família:

  • o Benefício de Renda Mínima (BRM), com valor médio de R$ 230;
  • o Programa Poupança Seguro Família, que cria uma espécie de "FGTS" para os trabalhadores de baixa renda, incluindo informais, com depósitos mensais (R$ 39) vinculados a até 15% do valor declarado da renda, beneficiando quem ganha até R$ 780 por mês e;
  • a poupança Mais Educação, formada com depósitos de R$ 20 por estudante regularmente matriculado na rede de ensino, enquanto sua família estiver recebendo o BRM. A expectativa é que o estudante receba R$ 3.253, quando terminar o ensino médio.

Custos e fonte de recursos

A proposta prevê um custo inicial de R$ 46 bilhões, com financiamento dentro da regra do teto de gasto (que impede o crescimento das despesas acima da inflação).

Os gastos vão bancar R$ 36,6 bilhões do BRM, R$ 6,7 bilhões da Poupança Seguro Família e R$ 2,7 bilhões do programa Poupança mais Educação.

A previsão de recursos em 2021 do governo para o Bolsa Família é de R$ 34,8 bilhões. Pelo projeto, esse dinheiro iria para o novo programa, que prevê reforço também entre R$ 4 bilhões a R$ 6 bilhões com parte de remanejamento das emendas parlamentares, recursos vinculados ao Orçamento que deputados e senadores podem escolher onde alocar.

A proposta incluiu no texto mudanças nas regras do abono salarial, uma espécie de 14.º salário pago a quem ganha até dois mínimos, que pode garantir mais R$ 4 bilhões, além do direcionamento de parte dos recursos do Fundo Social do Pré-Sal para assistência social, com mais R$ 2,7 bilhões.

Próximos passos

Jereissati encampou proposta desenhada pelo Centro de Debates de Políticas Públicas (CDPP), com aperfeiçoamentos, entre elas a fixação de metas para a redução de pobreza e acionamento das medidas no caso de frustração das metas.

Ao longo desta semana, Jereissati vai intensificar a articulação com senadores do MDB, PSD e PP. Com consenso, diz, será possível aprovar em fevereiro. O senador também pretende procurar o ministro da Economia, Paulo Guedes.

*Com informações do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Preocupante

Mortes por covid-19 chegam a 217,6 mil no Brasil

Número de casos da doença passam de 8,87 milhões.

Dívida

Gastos de anos anteriores pressionam Orçamento

A maior parte das emendas (R$ 11,1 bilhões) está concentrada no Ministério do Desenvolvimento Regional.

Esquenta dos mercados

Mercado amanhece cauteloso com dados sobre covid-19 e renúncia de Ferreira Jr.

Além disso, surgiram dúvidas sobre a capacidade do governo dos EUA em aprovar no Congresso norte-americano um novo pacote fiscal de US$ 1,9 trilhão.

remendando a situação

Eletrobras tenta apaziguar ânimos dizendo que escolha de CEO será técnica

Saída de Wilson Ferreira Jr. está sendo vista como uma derrota para os planos de privatização da companhia elétrica

agora vai?

CSN anuncia IPO da parte de mineração. Veja a cifra bilionária que ela pode levantar

Siderúrgica divulga prospecto da operação, buscando vender um total de 720,8 milhões de ações e com faixa de preço de R$ 8,50 a R$ 11,35

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies