Menu
Ivan Sant’Anna
Seu Mentor de Investimentos
Ivan Sant’Anna
É trader no mercado financeiro e autor da Inversa
2020-03-17T12:59:35-03:00
seu mentor de investimentos

Ivan Sant’Anna está confinado, mas dá o recado: ‘a Bolsa não volta tão cedo nos 119 mil pontos’

Volta e meia falo que, em meus mais de 60 anos de mercado, vi de tudo. Pois bem, exagerei. Esta pandemia pegou todo mundo de surpresa. Nunca testemunhei algo parecido.

17 de março de 2020
12:25 - atualizado às 12:59
Ivan Sant’Anna
Ivan Sant’Anna - Imagem: Divulgação

Na última quarta-feira, 11 de março, desembarquei no aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, procedente de Londres, após uma viagem de 20 dias por diversos países da Europa. Tossia e espirrava muito.

  • Ivan Sant'Anna, que está de volta ao Brasil após semanas na Europa, se diz surpreso pelo efeito do Coronavírus. Mas, ele não se deixa abater e garante que pode ser hora de comprar. Leia abaixo a fabulosa crônica desse grande mestre do mercado. E, para acessar as melhores 30 ideias da carreira do Ivan, clique aqui.

Em casa, constatei que minha temperatura começou a subir bastante: 37,1, 37,2... 37,9 graus. Chamei então um médico, que fez um pedido de teste de coronavírus. O laboratório veio aqui e colheu o material.

Acontece que o resultado só sai na próxima quinta-feira (19). Até lá, ficarei confinado em meu apartamento.

Nos últimos dias, perdi nove quilos. Simplesmente não consigo engolir nada, nem mesmo uma xícara de chá.

Se realmente estiver com o vírus, acho que desenvolvi uma forma branda da doença. Pois não tenho nenhuma dificuldade respiratória. Segundo o médico, meus pulmões estão limpinhos.

Por puro palpite, e sem nenhuma base científica, acho que tenho 50% de probabilidade de ter desenvolvido esta nova versão do corona.

Já estou bem velhinho (faço 80 anos daqui a dois meses) e passei por diversas áreas de risco, inclusive Barcelona, onde estive por três dias e três noites.

Não podemos desconsiderar que a Catalunha é atualmente o epicentro da doença na Europa.

Acho melhor estar logo com o coronavírus duma vez. Quando ele chegar para valer no Brasil, e isso acontecerá em algumas semanas, faltarão kits de laboratório, remédios e leitos em CTIs de hospitais.

Volta e meia falo que, em meus mais de 60 anos de mercado, vi de tudo. Pois bem, exagerei. Esta pandemia pegou todo mundo de surpresa. Nunca testemunhei algo parecido.

Na gripe espanhola, ao final da Primeira Guerra Mundial, e que foi infinitamente pior que esta, eu ainda não tinha nascido.

As demais foram café pequeno perto do coronavírus.

Tenho aconselhado aos caros amigos leitores que perguntam se não está na “hora de voltar a comprar ações” que isso deve ser feito muito lenta e seletivamente.

Só que isso será uma atitude de bargain hunters (caçadores de barganhas) ou bottom pickers (prospectores de mínimas), de gente que quer comprar papéis baratos, muito baratos, cujos preços já tenham embutido tudo de ruim que aconteceu.

Sinto lhe informar: as empresas vão perder muito dinheiro, o desemprego voltará a crescer e pouquíssimos negócios resistem a uma economia paralisada.

Quem acha que a máxima de todos os tempos do Ibovespa, 119.527 pontos, alcançada no dia 23 de janeiro de 2020, voltará a acontecer este ano, pode tirar o cavalo da chuva.

Tão cedo a Bolsa não volta lá.

Quando o processo de recuperação for iniciado, cada patamar do índice será o patamar de alguém que comprou ações apenas para fugir dos fundos de “perda fixa” e levou uma fubecada.

Os caras, ou as caras, vão se sentir extremamente aliviados quando recuperarem seu preju e pularão fora imediatamente. 

De uma coisa, todo mundo tem certeza: o cenário mudou. Isso não necessariamente significa perda para os que entrarem agora.

Chegou o momento de separar os meninos dos homens.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Guerra de preços

Opep+ deve anunciar acordo para cortar produção petróleo entre maio e junho

A decisão foi tomada na reunião de hoje dos países-membros da organização, de acordo com relatos da imprensa internacional. Mas não deve ser suficiente para estabilizar o mercado

socorro ao setor

Ajuda para aéreas será próxima grande medida nos EUA, diz secretário do Tesouro

Steven Mnuchin comentou com otimismo o novo pacote de estímulos lançado nesta manhã em conjunto com o Federal Reserve

entrevista

‘Talvez as grandes empresas tenham de pagar mais tributos’, diz presidente do Bradesco

Octavio de Lazari vê a economia encolhendo até 4% neste ano, pior até que a estimativa do próprio banco, de queda de 1%, e diz que o impacto fiscal terá de ser resolvido a partir de 2021

entrevista

‘Sem liquidez, empresas vão começar a quebrar’, diz presidente da GM na América do Sul

Para Carlos Zarlenga, única saída, diz, é BNDES liberar linhas de curto prazo ou o governo assumir a garantia para empréstimos dos bancos privados

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta quinta-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

emergência

Auxílio emergencial já pago soma R$ 1,5 bilhão, diz Caixa

Segundo informações do banco, o benefício já foi creditado na conta poupança de 2.150.497 clientes da Caixa, e outros 436.078 lançamentos serão realizados pelo Banco do Brasil ainda nesta quinta

180 dias para pagar

Caixa vai dar carência de seis meses para pagamento de financiamento imobiliário

Opção estará disponível a partir de segunda-feira para a compra de imóveis novos por qualquer linha de crédito; financiamentos em andamento já podiam optar por uma pausa de 90 dias nas prestações

agenda de brasília

Câmara adia votação de projeto de socorro a Estados para dia 13

Além de suspender o pagamento de parcelas de dívidas com a União e bancos, o projeto permite aos governadores tomar crédito novo no limite de até 8% de suas receitas

crise chegando

Pedidos de auxílio-desemprego nos EUA chegam a 6,61 milhões

Total ficou bem acima da expectativa de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, de 5 milhões de solicitações

diante da crise

BC autoriza emissão de letra de crédito imobiliário (LCI) por cooperativas

Segundo BC, medida tem potencial para impactar positivamente o setor imobiliário, propiciando condições para aumentar a concorrência e a oferta de produtos e de serviços no sistema financeiro

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu