Menu
2020-01-20T08:07:43-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
O que esperar dos mercados?

BCs, Davos e feriados pautam os negócios na semana

Enquanto líderes mundiais viajam para o Fórum Econômico de Davos, os investidores aguardam novidades dos BCs e da atividade doméstica. Feriados diminuem a liquidez dos negócios

20 de janeiro de 2020
7:53 - atualizado às 8:07
Mercado de ações Ibovespa
Imagem: Shutterstock

A semana começa menos movimentada, com as bolsas americanas fechadas devido ao feriado do dia de Martin Luther King e a expectativa para o Ano Novo Lunar, que fecha o mercado na China na sexta-feira.

Nesse meio tempo, os investidores ficam de olho na agenda doméstica e nos acontecimentos do Fórum Econômico de Davos, que começa hoje e vai até o fim da semana. O evento reúne todos os anos os maiores líderes mundiais, especialistas e investidores.

Novas atuações dos bancos centrais também estão no radar.

Confira também as ações de dois setores que prometem uma semana intensa pela frente.

BCs nos holofotes

Nesta semana, os bancos centrais voltam a estar no centro do palco.

Começando pelo Banco Central da China, o PBoC, que decidiu não alterar suas taxas de juros de referência para empréstimos de curto e longo prazos pelo segundo mês consecutivo.

Amanhã é a vez do Banco do Japão. Na quinta-feira, o Banco Central Europeu volta ao radar. Hoje, Christine Lagarde, presidente do BCE, discursa. Nenhuma mudança significativa é esperada das instituições.

Pausa no voo

Os indicadores econômicos positivos tanto nos Estados Unidos como na China e a assinatura do acordo comercial de primeira fase impulsionaram mais um dia de recorde triplo em Wall Street, o sexto deste ano.

De olho nos BCs e nos balanços corporativos, as bolsas na Ásia fecharam em alta generalizada nesta segunda-feira. Já na Europa, atenta aos mesmos indicadores, o sentimento que predomina na abertura é a de cautela.

Novos recordes na bolsa americana terão que esperar. Hoje não há pregão no país por conta do feriado de Martin Luther King.

A pausa nas bolsas americanas tende a diminuir a liquidez do mercado. A bolsa brasileira, que fechou a semana passada com uma alta de 2,58%, deve seguir o noticiário local.

Na sexta-feira, será a vez das bolsas chinesas pararem para a comemoração do Ano Novo Lunar.

Agenda

A semana reserva a prévia da inflação oficial de janeiro (IPCA-15), na quinta-feira. O indicador é importante para calibrar as expectativas do mercado sobre a atuação do Banco Central e a possibilidade de um novo corte na Selic.

Além das expectativas para a inflação, o mercado doméstico também conhece os relatório mensal da dívida pública de dezembro e a prévia do IGP-M.

Lá fora, entramos na segunda semana da divulgação dos balanços corporativos, com resultados da Netflix, na terça-feira, e da Intel, na quinta.

Subindo a montanha

Os investidores também estão de olho em tudo o que é dito no Forúm Mundial Econômico em Davos. O evento reúne todos os anos os principais nomes da política e economia mundial. Donald Trump é um dos convidados deste ano e o mercado estará atento.

O ministro da Economia Paulo Guedes também viaja ao evento e tenta conquistar os investimentos estrangeiros para o país. Mas o momento é delicado e o trabalho do ministro do Fórum Econômico Mundial será complicado.

A fala do ex-secretário especial de Cultura, Roberto Alvim , correu o mundo inteiro e teve forte repúdio internacional.

Além dos fracos dados da economia doméstica, a polêmica não melhora o ambiente. O objetivo do governo é mostrar um primeiro ano bem sucedido, com reformas que melhoraram a situação fiscal do país e o ambiente de negócios.

Fique de olho

  • Petrobras deu ínicio à fase vinculante da venda de sua participação de 10% na TAG e 100% das ações detidas pela subsidiária Pusai na Petrobras Uruguay.
  • Conselho da Eneva aprovou a emissão de R$ 600 milhões em debêntures simples. A remuneração será calculada com base no IPCA + 4,7742% ao ano.
  • A TIM antecipou o pagamento de juro sobre capital próprio para o dia 29.
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Pronta para decolar

Gol conclui aumento de capital e levanta mais R$ 423 milhões

Incluindo a incorporação da Smiles, a companhia aérea emitiu mais de R$ 1 bilhão somente neste mês de junho, e no trimestre, captação chega a R$ 2,7 bilhões

segredos da bolsa

Com “Super Quarta” à frente, semana deve ser marcada por cautela e otimismo dos mercados

A divulgação de outros dados econômicos ao longo da semana deve colocar ainda mais pressão da decisão do Fed e do BC brasileiro

Novo apagão?

Governo federal prepara MP que abre caminho para racionamento de energia

Intenção é criar um comitê de crise que terá o poder de adotar medidas como a redução obrigatória de consumo e acionamento de termoelétricas

Entrevista exclusiva

O curioso caso da Dexxos, a sócia da Petrobras que trocou de nome e sobe 690% na bolsa

Rafael Alcides, CEO da Dexxos (antiga GPC), fala ao Seu Dinheiro sobre a longa recuperação judicial e as perspectivas futuras para a empresa

em busca de energia limpa

Criptomoedas: Elon Musk diz que Tesla vendeu 10% do que detinha em bitcoin

Segundo executivo, operação prova que a criptomoeda poder ser liquidada facilmente “sem mover o mercado”

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies