🔴 AS BIG TECHS ESTÃO ‘SUGANDO’ DINHEIRO DA BOLSA BRASILEIRA? – VEJA COMO SE PROTEGER

Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Formada em jornalismo pela Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
esquenta dos mercados

Ata do Copom é o destaque do dia, enquanto mercado internacional sobe apoiado nas vacinas

Lá fora, o otimismo com o início da vacinação contra a covid-19 se choca com a possibilidade cada vez mais certa de novas medidas de lockdown

Jasmine Olga
Jasmine Olga
15 de dezembro de 2020
8:24 - atualizado às 8:59
O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, concede entrevista coletiva para apresentar os resultados de implementação da Agenda BC#.
O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto - Imagem: Agência Brasil

Os investidores ficam atentos ao futuro da política monetária brasileira nesta terça-feira. Com a divulgação da ata da última reunião do Copom e a participação do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, em eventos, o mercado fica atento às sinalizações do que pode acontecer em breve com a taxa básica de juros.

Lá fora, a preocupação com novas medidas restritivas de circulação e o otimismo com o início da vacinação contra a covid-19 se chocam, limitando a alta nesta manhã. Na Ásia, a indefinição em torno de um novo pacote de estímulos nos Estados Unidos também pesou, levando as bolsas da região a fecharem o dia no vermelho.

Com emoção

Depois de oscilar próximo da estabilidade durante boa parte do dia, o Ibovespa fechou o dia em queda de 0,45%, aos 114.610 pontos. O dólar avançou 1,5%, aos R$ 5,12.

A bolsa refletiu o peso da preocupação com o cenário fiscal e o desempenho das gigantes Vale, Ambev, Itaú e Bradesco, que pressionaram o índice para baixo.

No mercado, pesou a decisão do presidente do Senado, Davi ALcolumbre, de não protocolar a apreciação dos vetos relativos ao pacotwe anticrime e ao marco do saneamento, o que pode atrasar a votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). Outro ponto de atenção, é a possibilidade de prorrogação do auxílio emergencial até março.

De olho no BC

A ata da última reunião de política monetária do Copom é o grande destaque do dia de hoje.

Embora o Banco Central tenha mantido a taxa básica de juros em seu piso histórico, os investidores buscam sinalizações de que o 'forward guidance' da instituição deve ser abandonado em breve e outras leituras sobre a situação da economia brasileira feita pelo BC (8h).

A autoridade fiscal segue em destaque ao longo da tarde, com a participação do presidente Roberto Campos Neto em dois eventos com investidores (10h e 17h30).

Com moderação

O avanço da covid-19 pelo mundo e a necessidade de medidas restritivas cada vez mais rígidas limita o apetite por risco dos investidores estrangeiros nesta terça-feira.

A preocupação, no entanto, é neutralizada pelo início da campanha de vacinação contra a doença nos Estados Unidos e a previsão de que a FDA, a Anvisa americana, aprove a vacina para uso geral já no fim desta semana.

Outro assunto que não sai do radar e a negociação do novo pacote fiscal americano que pode amenizar o impacto do coronavírus na economia. Segundo Nancy Pelosi, o Congresso deve aumentar o plano existente e aprovar a medida ainda nesta semana.

Embora ainda sem solução, um acordo entre Reino Unido e União Europeia para um cenário pós-Brexit também é monitorado. Com a soma de todos esses fatores, as bolsas europeias apresentam desempenho positivo nesta manhã, mas sem muito fôlego para um rali mais intenso.

O mesmo ocorre nos Estados Unidos, onde o medo de novas restrições é balanceado pela vacinação. Os índices futuros em Wall Street operam em leve alta.

Durante a madrugada, na Ásia, o sentimento entre os investidores foi diferente.

Mesmo com dados chineses que mostraram um avanço na recuperação da produção industrial e nas vendas do varejo, os investidores preferiram dar mais atenção ao aumento das restrições de circulação no mundo devido ao avanço do coronavírus. A indefinição de um acordo no Congresso americano sobre o pacote de estímulos também minou o bom humor do mercado. Assim, as bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em queda.

No rastro da vacina

Não é só lá fora que as expectativas pela vacina mexem com os investidores.

Por aqui, o mercado também aguarda plano mais bem desenhados sobre a estratégia de vacinação adotada pelo governo federal.

Hoje, o presidente Jair Bolsonaro deve assinar uma medida provisória que libera R$ 20 bilhões para a compra de vacinas.

Agenda

Além da ata e as falas de Campos Neto, outras divulgações econômicas também ficam no radar.

De olho na inflação, o Índice Geral de Preços - 10 (IGP-10) de dezembro e referente ao ano de 2020 será divulgado hoje (8h).

Nos Estados Unidos, é dia de conhecer a produção industrial de novembro (11h15) e o índice de atividade industrial Empire State (10h30). Temos também o discurso do economista-chefe do BCE, Philip Lane (11h).

Fique de olho

  • A Ultrapar avalia vender sua fatia na petroquímica Oxiteno.
  • A JHSF vendeu por R$ 98,6 milhões uma área no complexo Parque Catarina para a construção do Villa XP.

Compartilhe

BRIGA PELO TRONO GRELHADO

Acionistas da Zamp (BKBR3) recusam-se a ceder a coroa do Burger King ao Mubadala; veja quem rejeitou a nova oferta

21 de setembro de 2022 - 8:01

Detentores de 22,5% do capital da Zamp (BKBR3) já rechaçaram a nova investida do Mubadala, fundo soberano dos Emirados Árabes Unidos

FECHAMENTO DO DIA

Inflação americana segue sendo o elefante na sala e Ibovespa cai abaixo dos 110 mil pontos; dólar vai a R$ 5,23

15 de setembro de 2022 - 19:12

O Ibovespa acompanhou o mau humor das bolsas internacionais e segue no aguardo dos próximos passos do Fed

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Cautela prevalece e bolsas internacionais acompanham bateria de dados dos EUA hoje; Ibovespa aguarda prévia do PIB

15 de setembro de 2022 - 7:42

As bolsas no exterior tentam emplacar alta, mas os ganhos são limitados pela cautela internacional

FECHAMENTO DO DIA

Wall Street se recupera, mas Ibovespa cai com varejo fraco; dólar vai a R$ 5,17

14 de setembro de 2022 - 18:34

O Ibovespa não conseguiu acompanhar a recuperação das bolsas americanas. Isso porque dados do varejo e um desempenho negativo do setor de mineração e siderurgia pesaram sobre o índice.

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Depois de dia ‘sangrento’, bolsas internacionais ampliam quedas e NY busca reverter prejuízo; Ibovespa acompanha dados do varejo

14 de setembro de 2022 - 7:44

Os futuros de Nova York são os únicos que tentam emplacar o tom positivo após registrarem quedas de até 5% no pregão de ontem

FECHAMENTO DO DIA

Inflação americana derruba Wall Street e Ibovespa cai mais de 2%; dólar vai a R$ 5,18 com pressão sobre o Fed

13 de setembro de 2022 - 19:01

Com o Nasdaq em queda de 5% e demais índices em Wall Street repercutindo negativamente dados de inflação, o Ibovespa não conseguiu sustentar o apetite por risco

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Bolsas internacionais sobem em dia de inflação dos EUA; Ibovespa deve acompanhar cenário internacional e eleições

13 de setembro de 2022 - 7:37

Com o CPI dos EUA como o grande driver do dia, a direção das bolsas após a divulgação dos dados deve se manter até o encerramento do pregão

DANÇA DAS CADEIRAS

CCR (CCRO3) já tem novos conselheiros e Roberto Setubal está entre eles — conheça a nova configuração da empresa

12 de setembro de 2022 - 19:45

Além do novo conselho de administração, a Andrade Gutierrez informou a conclusão da venda da fatia de 14,86% do capital da CCR para a Itaúsa e a Votorantim

FECHAMENTO DO DIA

Expectativa por inflação mais branda nos Estados Unidos leva Ibovespa aos 113.406 pontos; dólar cai a R$ 5,09

12 de setembro de 2022 - 18:04

O Ibovespa acompanhou a tendência internacional, mas depois de sustentar alta de mais de 1% ao longo de toda a sessão, o índice encerrou a sessão em alta

novo rei?

O Mubadala quer mesmo ser o novo rei do Burger King; fundo surpreende mercado e aumenta oferta pela Zamp (BKBR3)

12 de setembro de 2022 - 11:12

Valor oferecido pelo fundo aumentou de R$ 7,55 para R$ 8,31 por ação da Zamp (BKBR3) — mercado não acreditava em oferta maior

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar