Menu
2020-09-30T19:12:21-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
Cursando jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
Dia de estreia

Boa Vista estreia na bolsa com o pé direito e ações sobem mais de 15%

O birô de crédito concluiu a sua oferta precificando as ações no centro da faixa indicativa que ia de R$ 10,80 a R$ 13,60, a R$ 12,20

30 de setembro de 2020
12:10 - atualizado às 19:12
Boa Vista, IPO
Imagem: Divulgação/B3

O último pregão do mês de setembro reserva novidades na B3. Nesta quarta-feira (30), o birô de crédito Boa Vista (BOAS3) estreou na bolsa brasileira com o pé direito.

Depois de uma oferta de ações bem sucedida, os papéis da companhia subiram forte no primeiro dia de negociações, marcando alta de 15,16%, cotados a R$ 14,05.

A oferta inicial de ações da companhia, finalizada na última segunda-feira (28) destoou dos últimos IPOs feitos na B3. Esse é o 18º IPO realizado na bolsa brasileira este ano e o primeiro de uma empresa de gestão e análise de crédito. As ações estão listadas no Novo Mercado, o mais alto nível de governança da bolsa.

Após uma série de ofertas marcadas pela volatilidade e que saíram abaixo ou no piso da faixa indicativa, o birô de crédito concluiu a sua oferta precificando as ações no centro da faixa indicativa que ia de R$ 10,80 a R$ 13,60, a R$ 12,20.

A companhia, um dos principais nomes do setor de gestão e análise de crédito, captou R$ 2,17 bilhões, executando o lote principal e o suplementar. A demanda chegou a ser 5 vezes superior ao total de ações.

Dos recursos da oferta primária, que irão para o caixa da empresa, parte será utilizado para financiar novas aquisições e pagamento adiantado de contratos financeiros.

A oferta foi coordenada pelo JPMorgan, Citibank e Morgan Stanley.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

seu dinheiro na sua noite

Fidelidade em baixa com a pandemia

Não, não estou falando da fidelidade entre casais. Até porque, por mais que a convivência excessiva em família na quarentena tenha abalado alguns casamentos, o momento não anda muito propício às puladas de cerca. Estou falando do setor de fidelidade, que abarca as empresas de programas de pontos e milhagem, sobretudo aqueles ligados às companhias […]

Empresa ligada à Vale

Justiça aprova pedido de Recuperação Judicial da Samarco

RJ não terá impacto nas atividades operacionais da mineradora, nem nas ações de reparação e compensação pela tragédia de Mariana

FECHAMENTO

Ibovespa ignora tensão em Brasília e NY no vermelho e avança 1%; dólar também sobe

Enquanto as blue chips garantiram o bom desempenho do Ibovespa, o dólar avançou 0,84%, pressionado pelo noticiário em Brasília

Exaltou integração

Presidente do Banco Central não enxerga competição entre bancos e fintechs

Segundo Campos Neto, a integração entre as mídias sociais e o sistema financeiro é maior inovação que existe no momento

Menos pontos e milhas

Setor de empresas de fidelidade encolhe quase 30% em 2020

O segmento de fidelidade movimentou R$ 5,3 bilhões em 2020, segundo a Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização (ABEMF)

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies