Menu
2020-09-24T08:27:21-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
Cursando jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
esquenta dos mercados

Cautela com segunda onda da covid-19 e relatório de inflação guiam investidores nesta quinta-feira

No Brasil, os investidores devem digerir o Relatório Trimestral de Inflação e pronunciamento do presidente do Banco Central, de olho na alta dos alimentos

24 de setembro de 2020
8:09 - atualizado às 8:27
Segunda onda coronavírus
Imagem: Shutterstock

A segunda onda de casos de coronavírus é uma realidade cada vez mais clara na Europa. A preocupação é que novas medidas de isolamento social sejam necessárias, desacelerando o ritmo da retomada econômica. No Reino Unido e em algumas regiões da França o endurecimento das regras já é uma realidade.

No Brasil, o temor global com a nova onda de covid-19 deve pesar nos negócios. Nesta quinta-feira, os investidores possuem uma agenda cheia para digerir, com a divulgação do Relatório Trimestral de Inflação (RTI) - que deve abordar a alta recente do preço dos alimentos -, fala do presidente do BC, Roberto Campos Neto, e nova participação de Jerome Powell no Congresso americano.

Sob pressão

A aversão ao risco que tomou conta dos mercados nesta quarta-feira fez o dólar disparar pela 4ª sessão seguida, fechando em alta de 2,15%, a R$ 5,5869.

O Ibovespa também foi pressionado pela queda das bolsas americanas e pelo resultado do IPCA-15 de agosto, se afastando ainda mais do patamar dos 100 mil pontos. O principal índice da bolsa brasileira fechou o dia em queda de 1,60%, aos 95.734,82 pontos.

Mau humor geral

Também influenciados pela queda das bolsas de Nova york observada ontem, as preocupações com o impacto da pandemia do coronavírus na economia e a velocidade da recuperação econômica voltam a assombrar os investidores.

Parte da aversão ao risco teve origem na fala do vice-presidente do Federal Reserve, Richard Clarida. Clarida afirmou que a economia americana segue em um 'profundo buraco' de desemprego e demanda fraca. No Reino Unido, o governo voltou a adotar medidas de restrição, aumentando a preocupação de que outros países sigam os mesmos passos.

Tensão entre as duas Coreias também marcou o pregão asiático. O índice sul-coreano caiu mais de 2% após a Coreia do Norte ter matado tiros um militar sul-coreano. Na região, a ressurgência de casos de coronavírus também preocupa.

Com a cautela predominando entre os investidores, as bolsas asiáticas fecharam em baixa durante a madrugada. Durante a madrugada, as bolsas asiáticas fecharam em queda generalizada.

Segunda onda

A retomada de medidas de restrição pelo Reino Unido e algumas regiões da França confirma o que todos temiam: o continente europeu é palco de uma segunda onda de infecções pelo coronavírus, o que pode retardar a recuperação econômica regional e global. Só nos últimos dias, o governo britânico registrou mais de 1,2 mil novos casos.

Puxadas pela queda do setor de viagens e lazer, um dos mais afetados caso novas restrições de viagens sejam impostas, as bolsas europeias amanhecem no vermelho.

O mau humor também segue em Wall Street. Os analistas veem como cada vez mais distante a possibilidade do Congresso americano aprove novos estímulos à economia. Nesta manhã, os índices futuros apresentam um comportamento misto.

Agenda

Os investidores ficam atentos ao Relatório Trimestral de Inflação, divulgado pelo Banco Central às 8h. O documento deve guiar o mercado nas apostas para a alta do IPCA deste ano e abordar a alta recente do preço dos alimentos.

Em seguida (11h), os agentes financeiros ficam de olho no presidente do BC, que pode trazer mais informações sobre o forward guidance para a política monetária. No mercado de juros, destaque também para o leilão semanal de títulos prefixados, às 11h.

No exterior, o mercado segue de olho em novo discurso de Powell, buscando dicas sobre a possibilidade de novos estímulos fiscais. Hoje, o secretário do Tesouro americano, Steven Mnuchin, também fala ao Congresso (11h). Ainda nos Estados Unidos, temos também o número de pedidos de auxílio-desemprego da última semana (9h30).

Na Europa, diversas autoridades econômicas também devem se pronunciar hoje. Os agentes econômicos aguardam declarações do comitê de política monetária do BCE e do presidente do Banco da Inglaterra.

Fique de olho

  • Petrobras deve realizar o 'Petrobras Day', quando deve anunciar um programa de apoio à sua cadeia fornecedora.
  • Hidrovias do Brasil fixou o valor de sua ação em R$ 7,56 por ação em seu IPO, movimentando R$ 3 bilhões
Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

TRETA

Maia e Alcolumbre criticam Salles após atrito com Ramos

Presidente da Câmara diz que ministro do Meio Ambiente resolveu destruir o próprio governo

SE PROTEJA

Títulos de renda fixa atrelados ao IPCA viram opção

Alta da inflação em outubro faz investidores e gestores avaliarem novas formas de proteção de patrimônio

SELEÇÃO DE NOTÍCIAS

BDR, bitcoin, shopping: o melhor do Seu Dinheiro na semana

O fim de semana chegou com uma notícia bastante esperada pelos investidores: a volta do Ibovespa ao patamar de 100 mil pontos. O principal índice da B3 foi impulsionado esta semana por dois acontecimentos. O primeiro deles foi o alívio das preocupações em torno do risco fiscal brasileiro, com políticos e governo demonstrando compromisso com a manutenção do teto de gastos. Outro tema foi a esperança de aprovação de um pacote de estímulos […]

TRIBUTAÇÃO

É ilegal tributar doação fora do país, diz Toffoli

Ministro votou pela inconstitucionalidade da cobrança de ITCMD quando patrimônio herdado ou doado está no exterior

Prévia do terceiro trimestre

Grandes bancos começam a olhar crise pelo retrovisor, mas com lucro ainda em queda

Lucro combinado de Itaú, Banco do Brasil, Bradesco e Santander deve aumentar em relação ao trimestre anterior, mas ainda ficará bem abaixo dos patamares de 2019

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies