Menu
2020-09-02T08:45:31-03:00
esquenta dos mercados

Tudo no azul: compromisso com teto de gastos e exterior positivo injetam otimismo nos mercados

2 de setembro de 2020
8:10 - atualizado às 8:45
MERCADOTESTAOTIMISMO

As bolsas de valores globais parecem com folêgo para continuar o rali observado ontem, patrocinado por números melhores do que o esperado das duas maiores economias do mundo. Lá fora, os investidores também monitoram a possibilidade de um novo pacote de estímulos nos Estados Unidos.

Por aqui, ao invés de focar no recuo histórico do PIB do 2º trimestre, os investidores, preocupados com a situação fiscal do país durante a pandemia, refletiram alívio com as declarações do governo de que o teto de gastos é uma prioridade e deverá ser seguido. A aprovação da Lei do Gás - que pode destravar mais de R$ 40 bilhões em investimentos - ajuda na percepção de melhora do clima político e do risco fiscal.

Tudo azul

Dados positivos da economia chinesa e dos Estados Unidos e a expectativa por novos estímulos fiscais vindos de Washington - o secretário do Tesouro americano, Steven Mnuchin, disse que Trump decidiu liberar recursos (ainda não especificados) para auxiliar os estados - levaram as bolsas americanas a atingirem novos recordes de fechamento.

O bom humor contaminou o restante dos mercados globais. As bolsas asiáticas fecharam em alta - com exceção dos índices de Taiwan e Hong Kong.

Mesmo com alguns dados decepcionantes da economia europeia, nesta manhã os investidores do velho continente também seguem os bons sinais vindos da China e dos Estados Unidos, operando em alta firme nesta quarta-feira. Os investidores deixam de lado até mesmo a queda nas vendas no varejo da economia alemã - que caiu 0,9% em julho.

Em Nova York, os índices futuros também operam no azul, após dia de intenso rali em Wall Street.

Apesar de você…

Assim como as bolsas americanas, o mercado brasileiro também viveu um dia de apetitte por risco e um rali generalizado na última terça-feira.

O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro caiu 9,7% no segundo semestre, colocando o Brasil oficialmente na lista de países em recessã técnica. Mesmo assim, a bolsa brasileira superou o resultado negativo e fechou em alta de 2,82%, aos 102.167,65 pontos.

Os investidores deixaram o PIB de lado um pouco e focaram nas sinalizações do governo de que as reformas vão continuar ocorrendo e que o teto de gastos deverá ser respeitado.

Durante a manhã, ao lado do ministro da Economia, o presidente Jair Bolsonaro anunciou a prorrogação do auxílio emergencial, com mais 4 parcelas, no valor de R$ 300, que irão até dezembro. Além de reforçar a preocupação com o teto de gastos, o presidente também anunciou que a reforma administriva - muito aguardada pelo mercado - deve ser encaminhada na próxima quinta-feira.

Guedes aproveitou o momento para também garantir o governo está comprometido com o teto de gastos e esclarecer que o resultado do PIB é consequência da crise em abril e que agora o país caminha para uma recuperação em V.

O dólar também foi influenciado pelo bom humor do mercado local. A moeda americana terminou o dia cotada a R$ 5,3852, após queda de 1,74%.

Mais alívio no horizonte

Ontem, a Câmara dos Deputados aprovou a Lei do Gás. O governo acredita que a medida pode destravar investimentos de até R$ 43 bilhões e contribuir para a reindustrialização do momento.

Com a aprovação e a reforma administrativa no horizonte, a percepção de uma melhora no cenário político e no risco fiscal deve predominar entre os investidores brasileiros.

Agenda

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, participa de um fórum virtual sobre mercados emergentes (10h). O lançamento da nota de R$ 200 também está marcado para esta quarta-feira (13h30).

No exterior, o destaque é o Livro Bege do Federal Reserve (15h) que traz dicas sobre o futuro da política monetária dos Estados Unidos. Ainda nos EUA, às 9h15 temos o relatório de empregos no setor privado de agosto - considerado uma prévia do payroll. A previsão é que o documento mostre a criação de 1,17 milhão de novas vagas.

Fique de olho

  • A 3R Petroleum entrou com pedido de autorização para IPO. Objetivo é adquirir campos da Petrobras.
  • Totvs pagará multa de R$ 100 milhões caso a operação com a Linx não seja aprovada pelo Cade.
  • Enjoei deu entrada em um pedido para IPO.
  • A Fleury anunciou R$ 50 milhões em investimentos em plataformas de serviços à saúde.
  • Hapvida concluiu incorporação de ativos adquiridos do Grupo América, em Goiás
Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Decisão do Supremo

Marco Aurélio libera meio bilhão da Andrade Gutierrez que TCU havia bloqueado

Indisponibilidade de bens foi decretada pela Corte de Contas em maio de 2018 no âmbito de auditoria que fiscalizou as obras civis da Usina Termonuclear de Angra 3, pelo prazo de um ano.

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta segunda-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

Movimentando o mercado

Acordo para TikTok nos EUA seria capaz de desbancar Facebook

Acordo – teoricamente aprovado pelo presidente Donald Trump, mas ainda sem aprovação das companhias envolvidas – criaria uma força capaz de desafiar a dominância do Facebook na internet

mercado agora

Ibovespa opera em forte queda e dólar sobe com escândalo envolvendo bancos da Europa e dos EUA

Aumento do casos de covid-19 na Europa e morte de juíza federal norte-americana constituem ingredientes adicionais à forte aversão ao risco nos mercados globais

entrevista

‘Incerteza fiscal trava a volta do investimento’, diz economista

Para José Roberto Mendonça Barros, o déficit fiscal do País inibe a volta dos investimentos produtivos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements