Menu
2020-02-12T14:10:50-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
Cursando jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
Esquenta dos mercados

Com apetite para risco renovado, mercado aguarda dados do varejo

Após a ata do Copom, que parece ter deixado espaço para mais cortes no futuro, investidores aguardam os dados do varejo, que devem servir de termômetro para a atividade doméstica

12 de fevereiro de 2020
8:00 - atualizado às 14:10
varejo compras
Imagem: Shutterstock

Os investidores brasileiros aguardam atentos a divulgação dos dados do varejo brasileiro em dezembro e o consolidado de 2019, que será divulgado às 9h.

As estimativas de crescimento não empolgam e alguns analistas podem usar o número para calibrar suas expectativas para a ação do BC no segundo semestre do ano.

Após o entendimento de muitos que o Copom deixou espaço para novas quedas na Selic, dados mais fracos da atividade podem embalar a torcida pela retomada dos cortes.

Uma nova esperança

No mercado asiático, a segunda alta consecutiva pode ser justificada pela esperança de que o pior do coronavírus já tenha passado.

O número de infectados continua subindo, mas o ritmo de transmissão caiu pelo segundo dia consecutivo. Ao todo, já são mais de 40 mil infectados e 1.113 vítimas fatais.

A previsão da China é que o surto do coronavírus atinja o seu pico entre a metade e o final deste mês e termine em abril.

A menor tensão com o vírus segue embalando os mercados em Nova York. Após mais um dia de recorde, os índices futuros e os juros dos Treasuries operam em alta. No país, a previsão de juros estáveis ganha força. Em discurso, Powell disse que o Fed monitora o vírus, mas que não haverão novos cortes.

E não é só nos Estados Unidos que as bolsas buscam novos recordes. Na Europa, o Stoxx-600 atingiu uma nova máxima intraday pela manhã.

Fôlego renovado

O Ibovespa voltou a brilhar acima dos 115 mil pontos, após uma alta de 2,49% no pregão de ontem.

O alívio momentâneo do noticiário envolvendo o coronavírus puxou as commodities para cima, impactando positivamente o Ibovespa.

A ata do Copom, classificada como 'dovish' por muitos, também deu um gás extra para as ações das varejistas, que subiram em bloco. A novidade fica por conta da menção ao risco que o coronavírus pode trazer para a economia brasileira.

Agenda

Lá fora, o dia começa com a divulgação da produção industrial da zona do euro e o relatório da Opep. O presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, volta a falar no Senado, mas o discurso não deve trazer novidades

Recorde atrás de recorde

Enquanto a bolsa ensaia uma volta aos trilhos, o dólar teve mais um dia de recorde e fechou cotado a R$ 4,3264.

Enquanto os analistas estudam se o patamar é o novo piso para a moeda americana, o BC continua de fora do mercado de câmbio e não tem nenhuma interferência no radar.

Água no chope

A tão aguardada reforma administrativa pode não acontecer.

Sem clima político, o governo parece ter desistido de enviar a PEC ao Congresso.

Balanços

A Tim registrou lucro líquido de R$ 756 milhões no 4º trimestre, um crescimento de 19,6%. A receita líquida foi para R$ 4,587 bilhões, alta de 2,9%

A Claro teve lucro operacional de R$13,968 bilhões em 2019, alta de 10,8%. O faturamento cresceu 1,8%, a R$ 35,897 bilhões.

Já a Comgás teve uma queda de 57,2% no seu lucro, que ficou em R$ 367,171 milhões.

As ofertas seguem…

A mais nova empresa listada na bolsa, a Moura Debeux, precificou as suas ações em R$ 19. A operação movimentou R$ 1,25 bilhão. As ações começam a ser negociadas na bolsa no dia 13, sob o código MDNE3.

Já a Cogna precificou em R$ 11 os papéis para sua nova oferta de ações. O valor é o maior já alcançado por uma empresa de educação.

Quem também planeja embarcar no mundo do capital aberto é a Ouro Fino Saúde Animal. A companhia contratou o Itaú BBA e XP Investimentos para coordenar a potencial oferta de ações.

Fique de olho

  • Alpargatas irá pagar dividendos no valor de R$ 30,4 milhões - R$ 0,05 por ação ON e R$ 0,55 por ação PN.
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

A mesa virou?

Sistema bancário dos EUA pode ter problema por excesso de liquidez

Com acesso ao dinheiro, empresas estão guardando os recursos em poupanças, o que, juntamente com a liquidação de ativos de risco, inunda os bancos com liquidez

Reflexos da crise

Empresas alegam ‘força maior’ e já pedem revisão de contratos na Justiça

Com a alegação de “força maior” ou “evento fortuito” – por conta do coronavírus -, o meio jurídico teme que os contratos sejam suspensos em um efeito dominó, com distorções em toda economia

covid-19 no radar

‘Esse é o momento de sobreviver à crise’, diz presidente do Itaú Unibanco

Segundo Candido Bracher, o mundo tem dificuldades para lidar com a crise por sua origem em um fator de saúde pública – e não no mercado financeiro, como ocorreu em 2008

diante do coronavírus

Opep+ vislumbra corte de produção de 10 milhões bpd, incluindo EUA e Brasil

Mais cedo, fontes afirmaram que a Opep+ planeja uma teleconferência na segunda-feira (06) para debater um eventual corte

efeitos da crise

PMI composto cai a 37,6 pontos em março, menor nível da série histórica

Quando acima dos cinquenta pontos, o indicador mostra melhora nas perspectivas de empresas na comparação com o mês anterior

novos ataques

‘Miséria, fome e violência’, diz Bolsonaro sobre eventual desemprego na crise

Presidente disse que “a sociedade não aguenta ficar dois, três meses parada” e que “vai quebrar tudo”

atritos entre poderes

Bolsonaro continua insistindo em tese, mas chave da equipe econômica virou, diz Maia

Presidente da Câmara disse que a gestão federal não pensou em como isolar a população idosa nas comunidades de baixa renda

Exile on Wall Street

Os fundos DI que não servem para investir a sua reserva de emergência

Quando se trata da alocação do seu portfólio, esta é a hora em que a reserva de emergência é rainha. Quem negou-se no passado a deixar dinheiro “parado” em um fundo DI, rendendo perto do CDI, talvez esteja passando aperto hoje

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta sexta-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

mercados agora

Ibovespa cai mais de 5% e fica abaixo de 70 mil pontos, acompanhando a cautela externa; dólar vai a R$ 5,31

Dão tom às negociações os dados de desemprego nos EUA, de atividade econômica brasileira – especialmente no setor de serviços – e a contínua instabilidade em Brasília

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements