🔴 SAVE THE DATE: 22/07 – FERRAMENTA PARA GERAR RENDA COM 1 CLIQUE SERÁ LIBERADA – CONHEÇA

Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Formada em jornalismo pela Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
esquenta dos mercados

Mercados ensaiam recuperação enquanto investidores aguardam payroll

Após a queda observada em Nova York ontem, os mercados apresentam sinais mistos. Investidores aguardam a divulgação do payroll

Jasmine Olga
Jasmine Olga
4 de setembro de 2020
8:22 - atualizado às 8:52
A primeira onda de valorização da bolsa já passou, mas ainda dá tempo de surfar na segunda
Imagem: Shutterstock

Os mercados internacionais começam o dia sinalizando uma tentativa de recuperação após a queda acentuada observada em Nova York nesta quinta-feira, com os índices futuros em NY apresentando sinais mistos e as bolsas europeias subindo. No entanto, o fôlego dos ativos de risco é limitado. Os investidores aguardam os números do relatório de emprego dos Estados Unidos, o payroll, que deve pautar o dia.

No Brasil, a tensão política segue no radar. A notícia de que Rodrigo Maia, peça importante para a articulação política do governo no Congresso , rompeu relações com o ministro Paulo Guedes pode gerar preocupação no mercado.

Efeito dominó

A queda brusca das bolsas americanas arrastou o Ibovespa para o campo negativo na sessão desta quinta-feira.

Nos Estados Unidos, os investidores interromperam o rali das últimas semanas após novos temores relacionados ao ritmo da retomada econômica no pós-pandemia ganharem força. A queda atingiu principalmente o setor de tecnologia - visto por muitos como supervalorizado após os recordes recentes.

O teor da proposta de reforma administrativa ajudou o Ibovespa a limitar as perdas, mas, ainda assim, o principal índice da bolsa brasileira fechou o dia em queda de 1,17%, aos 100.572,36 pontos.

Com a desvalorização da moeda americana em escala global, o dólar teve queda de 1,15%, a R$ 5,2960.

Ruídos em Brasília

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e o ministro da Economia, Paulo Guedes, parecem ter rompido relações em um momento crítico para o governo, que precisa de articulação política com o Congresso.

Logo após receber a proposta de reforma administrativa do governo, Maia disse que a partir de agora irá tratar apenas com o ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos. Segundo Maia, a decisão vaio após Guedes proibir o diálogo com os secretários da área econômica.

De olho no Banco Central

Os investidores locais também devem repercutir as falas do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, feitas ontem em um evento virtual ao lado do empresário Abílio Diniz.

Campos Neto defendeu que deve existir um alinhamento do governo a favor do teto de gastos em benefício da estabilidade econômica. O presidente do BC também comentou que todo ruído atrelado ao quadro fiscal causa um ruído ainda maior nos preços.

Em sua live semanal, o presidente Jair Bolsonaro disse esperar uma queda da Selic nos próximos trinta dias, mas que não interfere nas decisões do Banco Central.

Atualmente a sinalização do BC é de que existe a chance de apenas um corte residual. A próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) acontece no dia 15 e 16 de setembro.

Hoje, o diretor de Política Econômica do Banco Central, Fabio Kanczuk, participa de videoconferência (11h).

No vermelho

A queda das bolsas americanas durante a tarde de ontem também influenciou o pregão asiático durante a madrugada. As bolsas do continente fecharam em baixa generalizada.

Compasso de espera

Nesta manhã, os índices futuros operam com sinais mistos. Os investidores aguardam o relatório de emprego dos Estados Unidos, o payroll (9h30), que dará uma dimensão do impacto recente do coronavírus na economia.

A expectativa é que o relatório de agosto registre 1,39 milhão de novos postos de trabalho.

Na contramão de Wall Street, as bolsa europeias operam em alta. A notícia de uma possível fusão entre os bancos CaixaBank e Bankia - que pode criar o terceiro maior banco da Espanha - mexe com o setor bancário do continente e puxa a alta das bolsas.

Agenda

Além da expectativa pelo payroll (9h), no Brasil a Anfavea divulga os números do setor de veículos do mês passado (8h).

Fique de olho

  • Ações unit do Banco Inter foram precificadas em R$ 62,49 em follow on
  • Wine entrou com pedido de registro de IPO
  • Hapvida aprovou pagamento de R$ 0,1490 por ação de juros sobre capital próprio
  • Magazine Luiza adquiriu a startup AiQFome, presente em 350 cidades.

Compartilhe

BRIGA PELO TRONO GRELHADO

Acionistas da Zamp (BKBR3) recusam-se a ceder a coroa do Burger King ao Mubadala; veja quem rejeitou a nova oferta

21 de setembro de 2022 - 8:01

Detentores de 22,5% do capital da Zamp (BKBR3) já rechaçaram a nova investida do Mubadala, fundo soberano dos Emirados Árabes Unidos

FECHAMENTO DO DIA

Inflação americana segue sendo o elefante na sala e Ibovespa cai abaixo dos 110 mil pontos; dólar vai a R$ 5,23

15 de setembro de 2022 - 19:12

O Ibovespa acompanhou o mau humor das bolsas internacionais e segue no aguardo dos próximos passos do Fed

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Cautela prevalece e bolsas internacionais acompanham bateria de dados dos EUA hoje; Ibovespa aguarda prévia do PIB

15 de setembro de 2022 - 7:42

As bolsas no exterior tentam emplacar alta, mas os ganhos são limitados pela cautela internacional

FECHAMENTO DO DIA

Wall Street se recupera, mas Ibovespa cai com varejo fraco; dólar vai a R$ 5,17

14 de setembro de 2022 - 18:34

O Ibovespa não conseguiu acompanhar a recuperação das bolsas americanas. Isso porque dados do varejo e um desempenho negativo do setor de mineração e siderurgia pesaram sobre o índice.

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Depois de dia ‘sangrento’, bolsas internacionais ampliam quedas e NY busca reverter prejuízo; Ibovespa acompanha dados do varejo

14 de setembro de 2022 - 7:44

Os futuros de Nova York são os únicos que tentam emplacar o tom positivo após registrarem quedas de até 5% no pregão de ontem

FECHAMENTO DO DIA

Inflação americana derruba Wall Street e Ibovespa cai mais de 2%; dólar vai a R$ 5,18 com pressão sobre o Fed

13 de setembro de 2022 - 19:01

Com o Nasdaq em queda de 5% e demais índices em Wall Street repercutindo negativamente dados de inflação, o Ibovespa não conseguiu sustentar o apetite por risco

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Bolsas internacionais sobem em dia de inflação dos EUA; Ibovespa deve acompanhar cenário internacional e eleições

13 de setembro de 2022 - 7:37

Com o CPI dos EUA como o grande driver do dia, a direção das bolsas após a divulgação dos dados deve se manter até o encerramento do pregão

DANÇA DAS CADEIRAS

CCR (CCRO3) já tem novos conselheiros e Roberto Setubal está entre eles — conheça a nova configuração da empresa

12 de setembro de 2022 - 19:45

Além do novo conselho de administração, a Andrade Gutierrez informou a conclusão da venda da fatia de 14,86% do capital da CCR para a Itaúsa e a Votorantim

FECHAMENTO DO DIA

Expectativa por inflação mais branda nos Estados Unidos leva Ibovespa aos 113.406 pontos; dólar cai a R$ 5,09

12 de setembro de 2022 - 18:04

O Ibovespa acompanhou a tendência internacional, mas depois de sustentar alta de mais de 1% ao longo de toda a sessão, o índice encerrou a sessão em alta

novo rei?

O Mubadala quer mesmo ser o novo rei do Burger King; fundo surpreende mercado e aumenta oferta pela Zamp (BKBR3)

12 de setembro de 2022 - 11:12

Valor oferecido pelo fundo aumentou de R$ 7,55 para R$ 8,31 por ação da Zamp (BKBR3) — mercado não acreditava em oferta maior

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar