Menu
2020-04-02T08:48:21-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
esquenta dos mercados

Esperança com resolução para crise do petróleo anima mercados, mas covid-19 segue no radar

Mesmo com o alívio das bolsas do exterior, os investidores seguem monitorando os números de casos de covid-19 e as medidas do governo para suporte da população

2 de abril de 2020
8:08 - atualizado às 8:48
Petróleo Opep
Petróleo já subiu 133% em 12 meses, sendo 20% só em 2021 - e este pode ser só o começo de um'superciclo' da commodity - Imagem: Shutterstock

O dia começa com o clima mais ameno no exterior, dessa vez patrocinado por Donald Trump.

O presidente americano se mostrou confiante com um desfecho rápido para a guerra de preços que toma conta do mercado e derruba o preço da commodity. Trump acredita que um acordo logo será firmado e anunciou, inclusive, que se reuniria com empresas petrolíferas ainda hoje.

O posicionamento trouxe esperanças ao mercado, que reagem de forma positiva. Durante a madrugada, os futuros do petróleo chegaram a subir mais de 10%.

Agora pela manhã, por volta das 8h, o WTI para maio avançava 9,55%. Já o Brent para junho subia 10,71%.

Só cresce

Por outro lado, o avanço do coronavírus nos Estados Unidos continua preocupando os investidores e os países seguem com os números no radar.

Os casos da doença dobraram nos Estados Unidos entre sexta-feira da semana passada e ontem. Já são mais de 200 mil infectados, o que torna o país o epicentro da pandemia no momento.

A Casa Branca espera que o novo coronavírus mate até 240 mil pessoas nos próximos meses.

A preocupação também segue sendo a economia, por isso a importância de acompanhar os novos dados do país. Hoje, o país divulga os números semanais de pedidos de auxílio-desemprego, que atingiram um recorde na semana passada. Amanhã, expectativa para o payroll.

Mas, em meio ao otimismo com o setor petrolífero, as bolsas asiáticas fecharam em alta firme.

Os índices futuros em Wall Street também avançam por volta de 2%. As bolsas europeias também avançam, mas a preocupação com o covid-19 segura os ganhos.

Ontem, o Ibovespa seguiu a toada negativa que tomou conta do exterior e terminou o dia com queda de 2,81%, aos 70.966,70 pontos.

A fala de Trump, que levantou a possibilidade de restringir voos vindos do Brasil, ajudou a derrubar ainda mais os papéis do setor aéreo e do turismo, com o destaque negativo ficando com Azul PN (-15,38%), CVC ON (-15,32%) e Gol PN ( -12,23%).

Bons olhos

Mesmo em meio ao mar vermelho do mercado brasileiro, a Petrobras conseguiu se destacar, se afastando da tendência vista no petróleo ontem. Hoje, a fala de Trump também deve influenciar positivamente os negócios da petroleira.

No pré-mercado americano, os ADRs da Petrobras saltavam mais de 8%, por volta das 8h30.

A empresa, que está bastante descontada, tem chamado a a atenção também por suas práticas trabalhistas durante o período de crise. Na semana passada, a companhia divulgou uma série de medidas para manter o seu fluxo de caixa positivo durante o período.

Ontem, a companhia teve um avanço de 2,22% em suas ações PN e 0,50% nas ações ON.

Contra o covid-19

O presidente Jair Bolsonaro finalmente aprovou a MP que disponibilizará um avale emergencial de R$ 600,000 por mês aos informais. A medida terá um custo de R$ 98 bilhões e deve atender 54 milhões de famílias.

A lentidão do governo em aprovar as medidas econômicas já divulgadas azeda o humor de investidores e da classe política. Foram três dias para o auxílio-emergencial ser aprovado e o pagamento começará apenas no dia 10 de abril. A contradição do presidente Jair Bolsonaro, que voltou a relaxar a fala em torno do isolamento social também geram mal-estar.

O governo anunciou ainda novas medidas que permite a redução da jornada de trabalho e do salário em até 70%, mas ao contrário da polêmica medida anunciada algumas semanas atrás, dessa vez o acordo prevê compensação salarial por parte do governo, com liberação de parte do seguro-desemprego. A medida, conhecida como MP do emprego e que foi detalhada ontem pelo governo, busca preservar empregos durante a crise.

Além disso, a Câmara aprovou ontem que empresas adiem por dois meses o recolhimento da contribuição previdenciária de funcionários. Já a Receita Federal anunciou a prorrogação da entrega da Declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física para o dia 30 de junho.

No Brasil, a doença já infectou 6.836 pessoas e registrou 240 mortos. Segundo o próprio ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, o número pode ser ainda maior devido à falta de testes.

Mais Fed

O Federal Reserve aprovou uma nova medida para elevar o fluxo de crédito para consumidores e empresas descapitalizadas durante a crise causada pelo coronavírus, relaxando temporariamente os requisitos de capital para grandes bancos.

A nova regra vale por um ano.

Agenda

No Brasil, o dia começa com o IPC-Fipe (5h) e a arrecadação federal do mês de março (10h). Ainda nesta quinta-feira, a Fenabrave informa dados de vendas de veículos novos em março.

Nos Estados Unidos, três indicadores devem dar o tom d dia: balanaça comercial (9h30), pedidos do auxílio-desemprego (9h30) e encomendas à indústria (11h).

Fique de olho

  • Marco Gilberto Bellini foi eleito como presidente do conselho e Paulo Cezar da Silva foi eleito vice da Marcopolo.
  • Mudanças também na Raízen Energia, que comunicou ao mercado a eleição de Ricardo Dell Aquila Mussa como novo diretor presidente.
  • Na CVC, Leonel Andrade, ex-presidente da Smiles, tomou posse como CEO.
  • O Conselho da Localiza adiou o pagamento dos juros sobre capital próprio.
  • Enquanto isso, o Conselho da Sabesp propôs pagamento de dividendos de R$ 940,9 milhões. O crédito será feito em 26 de junho.
  • A Even anunciou programa de recompra de ações.
  • O Banco do Brasil adiou a assembleia que estava marcada para o próximo dia 30 de abril. A nova data determinada é de 30 de julho.
Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Em evento do BofA

Presidente do BC revela preocupação com análise de autonomia no STF e planos para PIX internacional

Campos Neto e o ministro da Economia, Paulo Guedes, têm conversado com ministros da Corte sobre os questionamento acerca do tema

Confiança em alta

Casa Branca não vê fator gerador de inflação que Fed não possa controlar

A presidente do Conselho de Consultores Econômicos do governo ressaltou que é importante focar nas tendências para os índices ao invés de oscilações semanais ou mensais

Política monetária em detalhes

Diretor do BC afirma que Selic em 2% não era mais necessária e defende centro da meta inflacionária

Bruno Serra explicou que a retomada da atividade econômica foi mais rápida do que se imaginava e justificou a elevação da taxa básica de juros

ESTRADA DO FUTURO

O que rola nos bastidores de uma startup de sucesso: uma conversa com Paulo Veras, ex-CEO e fundador da 99Taxi

Na edição desta semana do Tela Azul, recebemos o Paulo Veras, ex-CEO e fundador da 99Taxi.

Receita Federal dos EUA

Binance é investigada por manter contas suspeitas de lavagem de dinheiro nos EUA

Desde 2019, a Binance não oferece mais serviços de trading de criptomoedas para quem mora nos Estados Unidos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies