Menu
2020-02-04T19:01:32-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa e UBS Escola de Negócios. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência CMA, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico.
Perspectiva positiva

Ações da MRV e da Tenda têm altas firmes com visão mais otimista do J.P. Morgan

As ações da MRV e da Tenda fecharam em alta nesta terça-feira após o J.P Morgan elevar a recomendação para os papéis e mostrar otimismo em relação ao setor. Outras empresas do ramo, como Cyrela e Even, também tiveram um dia positivo na bolsa

4 de fevereiro de 2020
14:59 - atualizado às 19:01
Prédio em construção MRV Cyrela Tenda EZTec Even Direcional
Imagem: Shutterstock

O J.P.Morgan enxerga um bom potencial para as ações do setor de construção. Em meio à estabilização da economia e ao aumento na oferta de financiamento imobiliário, o banco aumentou em cerca de 30% o preço-alvo de todos os papéis do segmento em seu universo de cobertura, mostrando-se particularmente animado com MRV e Tenda.

No caso da MRV, a recomendação para as ações passou de 'neutro' para 'overweight' (desempenho acima da média do mercado), com preço-alvo para o final de 2020 fixado em R$ 25,00. A Tenda, por sua vez, foi de 'underweight' (abaixo da média) para neutro, com preço-alvo em R$ 42,00.

Ambos os papéis reagiram de maneira expressiva à visão otimista do J.P. Morgan. As ações ON da MRV (MRVE3) subiram 2,77%, a R$ 21,15, e apareceram entre as principais altas do Ibovespa. Fora do índice, Tenda ON (TEND3) avançou 3,13%, a R$ 37,93.

Em relatório assinado pelos analistas Marcelo Motta, Adrian Huerta e Froylan Mendez , o J.P. Morgan diz ainda preferir o segmento de alta/média renda — representado por Cyrela, Even e EZTec —, mas que, nos últimos meses, as perspectivas para as construtoras de baixa renda melhorou.

"Estamos com uma visão mais construtiva que antes por casa do veto à redução dos subsídios [para o setor de baixa renda] em 2020, que foram mantidos em R$ 9 bilhões", dizem os analistas, ressaltando ainda a probabilidade de uma nova faixa do programa 'Minha Casa, Minha Vida' ser mais favorável às empresas.

Considerando esse panorama mais benigno, o J.P. Morgan mexeu em suas preferências para o setor de baixa renda, dando preferência à MRV em detrimento da Tenda e da Direcional — essa última foi rebaixada de 'overweight' para neutro.

As alterações, no entanto, têm como base o desempenho recente das ações: enquanto Direcional ON (DIRR3) avançou 43% desde novembro, os papéis ON da MRV subiram "apenas" 14% — e, considerando que o J.P. Morgan vê um potencial maior de crescimento para a MRV no curto prazo, os analistas optaram por mexer nas preferências.

Nesse cenário, as ações da Direcional fecharam em queda de 0,53%, a R$ 16,92.

Alta renda em foco

O J.P Morgan não mexeu nas recomendações para as ações das construtoras de média/alta renda: Even, Cyrela e EZTec continuam como 'overweight'. Todas, no entanto, tiveram os preços-alvos para 2020 aumentados.

"Em nossa visão, o setor [de média/alta renda] está bem encaminhado para mais um ano sólido", escrevem os analistas, citando o cenário macroeconômico mais positivo e a ausência de gargalos no médio prazo.

Essa postura otimista também deu forças às ações dessas empresas: Even ON (EVEN3) subiu 2,70%, a R$ 17,48, e Cyrela ON (CYRE3) avançou 1,23%, a R$ 32,85 — EZTec ON (EZTC3) destoou e caiu 0,51%, a R$ 54,45.

Veja abaixo um resumo com a postura do J.P. Morgan em relação às ações do setor de construção e o potencial de ganho para cada um dos papéis, considerando o preço-alvo fixado pelo banco:

Resumo das recomendações o J.P. Morgan para as ações da Even, Cyrela, EZTec, MRV, Direcional e Tenda
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Recurso da estatal

TRF-4 nega recurso da Petrobras e mantém Odebrecht fora de ação da Lava Jato

No recurso, a estatal buscava o prosseguimento dos réus na ação cível e a manutenção do bloqueio de bens dos executivos

Seu Dinheiro na sua noite

Guedes fora, alta do dólar

Você se lembra de quando o dólar a R$ 4,20 era o grande “patamar psicológico” da moeda americana? Não faz tanto tempo assim, mas esse nível de cotação ficou para trás, e agora parece até um pouco distante. Hoje, o dólar à vista bateu um novo recorde de fechamento. Eu sei que você já leu […]

Mais um recorde: dólar à vista sobe a R$ 4,36 e renova a máxima nominal de fechamento

O dólar à vista subiu mais um degrau nesta quarta-feira (19): pela primeira vez, terminou uma sessão acima dos R$ 4,36, cravando um novo recorde nominal. É a oitava vez em 2020 que a moeda renova as máximas de fechamento

Ainda na liderança

Vitor Hugo crê que permanece como líder do governo; Terra diz não receber convite

O deputado disse que não recebeu sinalizações do presidente Jair Bolsonaro de que poderá ser substituído pelo ex-ministro Osmar Terra

O impasse continua

Após TRT suspender demissões, Petrobras quer negociar desligamentos em fábrica

Encerramento da operação da Ansa é o principal motivo da greve dos petroleiros

Ponto polêmico

Relator mantém trabalho aos domingos na MP do contrato verde e amarelo

Deputado Áureo manteve a permissão para que todos os trabalhadores sejam convocados para trabalhar aos domingos e feriados

Novidade no IR

Programa do IR virá sem dedução da contribuição patronal sobre domésticos

Fim da dedução é a principal novidade para as declarações de IR em 2020

4 a 4

Com placar empatado, julgamento sobre decreto da Petrobras é suspenso no STF

Interrupção se deu diante da ausência dos ministros Celso de Mello e Cármen Lúcia na sessão

Fuga de estrangeiros

Investidor estrangeiro retira R$ 258,518 milhões da B3 no dia 17

Em fevereiro, o saldo acumulado de recursos estrangeiros na Bolsa está negativo em R$ 7,920 bilhões

Parou pelo caminho

Governo desiste de enviar ao Congresso projeto e ‘fast-track’ para privatização

Segundo o secretário Salim Mattar, com a ida do Programa de Parcerias de Investimentos para o Ministério da Economia, o projeto não será mais necessário

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements