Menu
2020-06-11T19:11:14-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
Nova turbulência

Apertem os cintos: Risco coronavírus volta ao radar e derruba bolsas mundo afora

A volta dos temores de uma segunda onda da doença após aumento de casos nos EUA coloca investidores na defensiva e deve se refletir na reabertura da B3 amanhã

11 de junho de 2020
17:18 - atualizado às 19:11
Cinto mercado Ibovespa dólar turbulência
Imagem: Shutterstock

Aperte os cintos, porque tudo indica que a volta do feriado de Corpus Christi na bolsa brasileira será bastante turbulenta. A volta dos temores de uma segunda onda de coronavírus derrubou os mercados mundo afora e deve se refletir na reabertura da B3 amanhã.

As principais bolsas globais fecharam no vermelho. Em Nova York, o índice S&P 500 fechou em forte queda de 5,89% e o Nasdaq recuou 5,27%. Na Europa, as principais bolsas fecharam em forte queda. O índice pan-europeu Stoxx 600 terminou o pregão em baixa de 4,10%.

Leia também:

Com a B3 fechada hoje, o baque para as ações brasileiras se refletiu no EWZ, o principal fundo de índice (ETF, na sigla em inglês) de papéis nacionais, que desabava 7,84% por volta das 17h.

O sentimento de aversão a risco também interrompeu a recuperação das cotações das commodities, com a percepção de que a economia deve se manter em marcha lenta por mais tempo. O petróleo WTI era o mais afetado e despencava quase 10%.

O pessimismo generalizado veio de um risco que os investidores vinham negligenciando nas últimas semanas: o da pandemia do coronavírus.

A percepção mais positiva vinha da reabertura das economias no exterior sem o registro de aumento significativo novos casos da covid-19. Mas esse cenário mudou com a informação de que a média de novos infectados nas últimas duas semanas continua subindo em mais de 20 estados norte-americanos.

Os investidores também parecem ter caído na real depois das projeções nada positivas para a economia divulgadas ontem pelo Federal Reserve.

A estimativa do BC dos EUA é de uma contração de 6,5% da maior economia do mundo, com uma taxa de desemprego de 9,3% no fim de 2020.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, usou o Twitter para criticar mais uma vez o Fed.

Do lado positivo – ou menos negativo, como preferir – estão os indicadores da economia norte-americana. O principal deles divulgado hoje foi o número de novos pedidos de auxílio-desemprego.

De acordo com o Departamento de Trabalho dos EUA, foram 1,542 milhão de novos pedidos na última semana – encerrada no dia 6 de junho. O resultado ficou abaixo da expectativa dos economistas, que previam 1,6 milhão de novos pedidos.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Exile on Wall Street

Por que você está lendo isso?

O falso e platônico herói modelista era economista de um grande banco lá pelo final dos anos 1980, começo dos 1990.

Retomada

IPC-Fipe acelera e sobe 0,86% na 2ª quadrissemana de janeiro (+0,79% na primeira)

Por outro lado, dois componentes perderam força ou aprofundaram leituras no território negativo: Alimentação e Despesas Pessoais (de um recuo de 0,39% para uma queda de 0,79%).

alta de mais de 8%

Olha quem apareceu! Jack Ma participa de evento e ações da Alibaba sobem

Paradeiro do bilionário chinês é motivo de especulações após ele não aparecer em público desde que fez críticas ao governo chinês

o melhor do seu dinheiro

Bolsonaro: muitas caneladas e um gol

pandemia da covid-19. Erramos ao minimizar a gravidade do novo coronavírus e na falta de articulação na negociação para a compra de vacinas. Para Jair Bolsonaro, a fatura é cobrada na queda da popularidade. A avaliação negativa do governo superou a positiva pela primeira vez desde julho do ano passado, de acordo com a pesquisa […]

Esquenta dos mercados

Mercado amanhece agitado com posse de Biden, Copom e pandemia

Para você querido investidor que ama um “econoflix”, hoje é dia de pegar a pipoca e acompanhar estes eventos.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies