🔴 META: ATÉ R$ 3.000 POR DIA COM 2 OPERAÇÕES – CONHEÇA O INDICADOR X

Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico. Em 2020, foi eleito pela Jornalistas & Cia como um dos 10 profissionais de imprensa mais admirados no segmento de economia, negócios e finanças.
Tensão no exterior

Surto de coronavírus na Itália gera pânico nos mercados e faz bolsas globais despencarem

A aversão ao risco tomou conta dos mercados globais nesta segunda-feira, em resposta ao aumento súbito de casos do coronavírus na Europa. Os índices acionários dos EUA caíram mais de 3% e as praças do velho continente despencaram; o dólar se fortalece em escala mundial

Victor Aguiar
Victor Aguiar
24 de fevereiro de 2020
8:21 - atualizado às 18:46
Selo Mercados AGORA Ibovespa dólar
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Os mercados brasileiros ficaram fechados nesta segunda-feira (24), por causa do Carnaval. Mas, no exterior, tivemos um dia normal — e, lá fora, a sessão foi caótica, por causa da tensão generalizada com o coronavírus.

Os casos da doença deram um salto ao longo do fim de semana, com destaque para o surgimento de um novo epicentro: a Itália, que já registra sete mortes e mais de 200 pessoas infectadas. No mundo todo, já são mais de 2,6 mil óbitos e quase 80 mil contaminados.

O surto na Itália gera um princípio de pânico no velho continente — em Veneza, as tradicionais festas de carnaval foram canceladas, como maneira de conter a disseminação do vírus. E, em meio às incertezas, a Áustria suspendeu as conexões via trem com o país vizinho.

Na Ásia, as preocupações em relação ao coronavírus também estão elevadas, em meio à percepção de que a doença começa a ganhar força para além das fronteiras da China. Na Coreia do Sul, por exemplo, já são oito mortos e outros 833 casos confirmados; no Japão, há um óbito e 159 pessoas infectadas; em Taiwan, há outro falecimento e 30 contaminados.

Outro país que também teve um pico nos casos da doença foi o Irã: ao longo do fim de semana, 12 pessoas morreram e outros 61 casos foram constatados — o que eleva o medo quanto a um quadro de pandemia no mundo.

E, considerando esse cenário de incertezas, o VIX, que é conhecido como 'índice do medo', terminou o dia com alta de 46,55%, cotado em 25,03 pontos.

As bolsas americanas também tiveram reação negativa. O Dow Jones caiu 3,56% e anulou os ganhos obtidos neste ano; S&P 500 recuou 3,35% e o Nasdaq apresentou perdas de 3,71%; o dólar se valorizava em escala global, tanto em relação às divisas fortes quanto as de países emergentes.

E, por mais que a bolsa brasileira estivesse fechada hoje, os ativos do país não passaram imunes à forte aversão ao risco. O EWZ, principal ETF de ações brasileiras negociado em Nova York, despencou 4,99% no pregão de hoje.

Os recibos de ações (ADRs) de companhias brasileiras acompanharam o clima de tensão e também caíram forte, o que tende a trazer pressão aos papéis da B3 na quarta-feira (26), quando as negociações voltam a funcionar por aqui:

No front do mercado de commodities, a cautela também dá as cartas: o petróleo Brent para abril terminou em queda de 3,76% e o WTI recuou 3,65%; por outro lado, o principal ETF lastreado em ouro (GLD) — ativo que se fortalece em momentos de incerteza — fechou o pregão com alta de 0,90%, cotado em US$ 156,09.

Onda vermelha

O clima de forte cautela e apreensão com a Itália provocou perdas massivas às bolsas da Europa, que despencaram de 3% nesta segunda-feira. Veja abaixo um resumo das principais praças do continente nesta segunda-feira:

  • Alemanha (DAX): -3,98%
  • Reino Unido (FTSE 1000): -3,33%
  • França (CAC 40): -3,94%
  • Holanda (AEX): -3,89%
  • Itália (FTSE MIB): -5,43%
  • Espanha (IBEX 35): -4,00%.

A sessão asiática também foi bastante negativa. Na Coreia do Sul, o índice Kospi caiu 3,87% e, em Hong Kong, o Hang Seng fechou em baixa de 1,79%. Os mercados da China e de Taiwan encerraram no vermelho e completaram o quadro de maior aversão ao risco no mundo.

Compartilhe

Engordando os proventos

Caixa Seguridade (CXSE3) pode pagar mais R$ 230 milhões em dividendos após venda de subsidiárias, diz BofA

14 de setembro de 2022 - 13:22

Analistas acreditam que recursos advindos do desinvestimento serão destinados aos acionistas; companhia tem pelo menos mais duas vendas de participações à vista

OPA a preço atrativo

Gradiente (IGBR3) chega a disparar 47%, mas os acionistas têm um dilema: fechar o capital ou crer na vitória contra a Apple?

12 de setembro de 2022 - 13:09

O controlador da IGB/Gradiente (IGBR3) quer fazer uma OPA para fechar o capital da empresa. Entenda o que está em jogo na operação

novo rei?

O Mubadala quer mesmo ser o novo rei do Burger King; fundo surpreende mercado e aumenta oferta pela Zamp (BKBR3)

12 de setembro de 2022 - 11:12

Valor oferecido pelo fundo aumentou de R$ 7,55 para R$ 8,31 por ação da Zamp (BKBR3) — mercado não acreditava em oferta maior

Exclusivo Seu Dinheiro

Magalu (MGLU3) cotação: ação está no fundo do poço ou ainda é possível cair mais? 5 pontos definem o futuro da ação

10 de setembro de 2022 - 10:00

Papel já alcançou máxima de R$ 27 há cerca de dois anos, mas hoje é negociado perto dos R$ 4. Hoje, existem apenas 5 fatores que você deve olhar para ver se a ação está em ponto de compra ou venda

NOVO ACIONISTA

Com olhos no mercado de saúde animal, Mitsui paga R$ 344 milhões por fatias do BNDES e Opportunity na Ourofino (OFSA3)

9 de setembro de 2022 - 11:01

Após a conclusão, participação da companhia japonesa na Ourofino (OFSA3) será de 29,4%

Estreia na bolsa

Quer ter um Porsche novinho? Pois então aperte os cintos: a Volkswagen quer fazer o IPO da montadora de carros esportivos

6 de setembro de 2022 - 11:38

Abertura de capital da Porsche deve acontecer entre o fim de setembro e início de outubro; alguns investidores já demonstraram interesse no ativo

Bateu o mercado

BTG Pactual tem a melhor carteira recomendada de ações em agosto e foi a única entre as grandes corretoras a bater o Ibovespa no mês

5 de setembro de 2022 - 15:00

Indicações da corretora do banco tiveram alta de 7,20%, superando o avanço de 6,16% do Ibovespa; todas as demais carteiras do ranking tiveram retorno positivo, porém abaixo do índice

PEQUENAS NOTÁVEIS

Small caps: 3R (RRRP), Locaweb (LWSA3), Vamos (VAMO3) e Burger King (BKBR3) — as opções de investimento do BTG para setembro

1 de setembro de 2022 - 13:50

Banco fez três alterações em sua carteira de small caps em relação ao portfólio de agosto; veja quais são as 10 escolhidas para o mês

PATRIMÔNIO HISTÓRICO

Passando o chapéu: IRB (IRBR3) acerta a venda da própria sede em meio a medidas para se reenquadrar

30 de agosto de 2022 - 11:14

Às vésperas de conhecer o resultado de uma oferta primária por meio da qual pretende levantar R$ 1,2 bilhão, IRB se desfaz de prédio histórico

Exclusivo Seu Dinheiro

Chega de ‘só Petrobras’ (PETR4): fim do monopólio do gás natural beneficia ação que pode subir mais de 50% com a compra de ativos da estatal

30 de agosto de 2022 - 9:00

Conheça a ação que, segundo analista e colunista do Seu Dinheiro, representa uma empresa com histórico de eficiência e futuro promissor; foram 1200% de alta na bolsa em quase 20 anos – e tudo indica que esse é só o começo de um futuro triunfal

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar