Menu
2020-02-25T17:09:17-03:00
Bruna Furlani
Bruna Furlani
Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem passagem pelas editorias de economia, política e negócios de veículos como O Estado de S.Paulo, SBT e Correio Braziliense.
AVERSÃO AO RISCO

‘Índice do medo’ dispara mais de 46% em meio a movimento de aversão ao risco no mundo

Seguindo na mesma direção, o ouro também apresentou alta na tarde desta segunda-feira por conta do movimento de busca por proteção

24 de fevereiro de 2020
16:18 - atualizado às 17:09
Vírus coronavírus China Ibovespa
Imagem: Shutterstock

De olho na velocidade de propagação acelerada do novo tipo de coronavírus na Itália e em outros países como Irã e Coreia do Sul, os investidores acenderam o alerta e ficaram mais cautelosos. Hoje (24), o índice que mede "o medo" do investidor e a sensibilidade do mercado por meio das opções do S&P 500, o VIX, subiu 46,55% e terminou o pregão cotado em 25,03 pontos.

Na máxima intradiária, o indicador chegou a bater a casa dos 26,35 pontos. O índice não ultrapassava a barreira dos 20 pontos desde outubro de 2018 no auge da guerra comercial entre Estados Unidos e China.

Seguindo na mesma direção, o ouro também apresentou alta nesta segunda-feira por conta do movimento de aversão ao risco e busca por proteção.

Ao fim do dia, o SPDR Gold (GLD), que é o principal ETF referenciado em preços de ouro, fechou em alta de 0,90%, cotado em US$ 156,09.

Porém, na máxima intradiária o ETF de ouro chegou a bater os US$ 158,51. A última vez em que o ativo tinha ido além dos US$ 158 tinha sido em fevereiro de 2013.

Queda generalizada nas bolsas mundo afora

As notícias do aumento na velocidade de propagação do coronavírus em países fora da China geraram uma reação bastante negativa também nas bolsas de fora.

Por volta de 15h45, o Dow Jones caía 3,40%, S&P 500 recuava 3,35% e o Nasdaq tinha perdas de 3,78%; o dólar se valorizava em escala global, tanto em relação às divisas fortes quanto as de países emergentes.

As bolsas da Europa, por sua vez, também despencaram e encerraram o pregão de hoje (24) com quedas superiores a 3%. Acompanhe a nossa cobertura de mercados.

Por estar no epicentro do surto do novo tipo de coronavírus, com seis mortes e mais de 200 pessoas infectadas, a bolsa italiana (FTSE MIB) foi a mais afetada e recuou 5,43% hoje.

Já no Reino Unido (FTSE 1000), a retração da bolsa foi a menor entre as europeias, que terminou o dia com queda de 3,33%.

A sessão asiática também foi bastante negativa. Na Coreia do Sul, o índice Kospi caiu 3,87% e, em Hong Kong, o Hang Seng fechou em baixa de 1,79%. Os mercados da China e de Taiwan também terminaram o dia no vermelho.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

crise do coronavírus

BRF contrata financiamento de R$ 1,4 bilhão

A gigante de produtos alimentícios BRF anunciou a contratação, entre 25 e 31 de março de 2020, de linhas de financiamento de aproximadamente, R$1,4 bilhão. O prazo é de um ano. Segundo a companhia, a iniciativa visa reforçar, preventivamente, o nível de liquidez durante o período de grande volatilidade provocado pela crise do novo coronavírus. […]

Esquenta dos mercados

Cautela externa e demora para efetivação de medidas emergenciais trazem incertezas aos negócios

Medidas mais duras dos Estados Unidos contra o avanço do coronavírus preocupam investidores no mundo inteiro quanto ao impacto da doença na economia

é hoje

Caixa começa a pagar saque aniversário do FGTS nesta quarta

Modalidade permite a retirada de parte do saldo de qualquer conta ativa ou inativa do fundo a cada ano, no mês de aniversário, em troca de não receber parte do que tem direito em caso de demissão sem justa causa

na suprema corte

Ministro do STF proíbe campanha do governo para fim do isolamento social

Luís Roberto Barroso avaliou que a situação é “gravíssima” e que “não há qualquer dúvida” de que a infecção por covid-19 representa uma ameaça à saúde e à vida da população

em brasília

Guedes condiciona auxílio de R$ 600 a aprovação da PEC emergencial e cria atrito com Maia

Presidente da Câmara falou em chamou de “transferência de responsabilidade” por parte do economista

momento de crise

Não adianta abrir comercio e as pessoas não irem às compras, diz Luiza Trajano

Para presidente do Conselho do Magazine Luiza, é preciso garantir que as medidas do governo cheguem a quem realmente precisa

Ursos à solta

Sim, você já sabe, a bolsa está em ‘bear market’. Mas o que a crise do coronavírus tem de diferente?

Eu preparei um histórico das crises que fizeram a bolsa sofrer e falei com especialistas para saber quanto tempo pode levar para as ações se recuperarem do tombo

IR 2020

Como declarar previdência privada no imposto de renda

Aprenda a declarar no imposto de renda as contribuições feitas a PGBL, VGBL e fundos de pensão, bem como os rendimentos recebidos dos planos de previdência privada

Números atualizados

País tem 201 mortes por coronavírus e 5.717 casos

Casos confirmados chegam a 5.717, segundo boletim

Novo pronunciamento

Bolsonaro modera o tom em novo pronunciamento, mas é alvo de panelaços

Presidente reconheceu a falta de um medicamento com eficácia confirmada para o combate à covid-19, citou a OMS e não pediu mais o fim do isolamento

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements