Menu
2020-09-08T16:40:38-03:00
Ricardo Gozzi
Mercado agora

Bolsa cai e dólar sobe forte com temor externo com relação à retomada da economia

Temores relacionados com a retomada da atividade econômica e com o avanço continuado da pandemia inibem o apetite por risco

8 de setembro de 2020
10:15 - atualizado às 16:40
Selo Mercados AGORA Ibovespa dólar
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

O Ibovespa retornou do feriado prolongado em queda acentuada em mais uma sessão na qual os temores relacionados com a velocidade da retomada da atividade econômica global e os preços dos ativos inibem o apetite por risco.

O recuo acentuou-se depois da abertura em Nova York, mas a bolsa brasileira acomodou-se perto da faixa dos 100 mil pontos e passou a oscilar em torno dela com a posterior desaceleração da queda nos mercados norte-americanos de ações.

Em Wall Street, os índices Dow Jones, S&P-500 e Nasdaq recuam entre 1,8% e 3,5% cada, dando continuidade ao declínio observado na semana passada em meio a uma aparente correção nos preços das ações do setor de tecnologia.

Por volta das 16h40, o Ibovespa operava em queda de 1,07%, aos 100.160 pontos.

O recuo em Nova York continua sendo capitaneado pelo setor de tecnologia. Na semana passada, as cinco maiores empresas do mundo - Apple, Amazon, Microsoft, Google e Facebook - perderam cerca de US$ 392 bilhões em valor de mercado em apenas cinco dias.

A correção nos preços dos papéis das gigantes de tecnologia prossegue em um momento no qual participantes do mercado questionam se esses ativos não estariam caros demais.

Ações ligadas a commodities sob pressão

No Ibovespa, as ações ligadas a commodities passaram o dia sob o impacto da queda pronunciada dos contratos futuros de petróleo nos mercados internacionais em meio a temores de um novo avanço da pandemia de covid-19 sobre os Estados Unidos. Os papéis do setor financeiro também caem.

Na direção oposta, as ações do setor de telefonia sobem depois de a Oi ter confirmado Tim, Claro e Vivo com principais proponentes da compra de sua rede móvel.

Os papéis da Hapvida também operam descolados da tendência de queda depois de a operadora de saúde ter anunciado um pacote bilionário de aquisições.

Dólar e juro

O dólar opera em alta ante a maior parte das moedas nesta terça-feira em mais um momento de forte aversão ao risco nos mercados financeiros globais.

Em meio a este cenário, o desempenho do real ante a divisa norte-americana figura entre os piores do dia entre as moedas emergentes.

Por volta das 16h40, o dólar operava em alta de 1,68%, cotado a R$ 5,3605.

Já os contratos de juros futuros acompanharam a alta do dólar ao mesmo tempo em que refletiram a percepção deixada pelo IGP-DI de alta nos preços do atacado bem acima do registrado no restante da economia.

Na avaliação do economista-chefe da Necton Corretora, André Perfeito, tais dados reforçam a percepção de que o Banco Central deve finalmente encerrar o ciclo de cortes na taxa Selic. Atualmente, a taxa de juro oficial no Brasil encontra-se no nível mais baixo da história.

Ainda de acordo com Perfeito, a disparidade entre os preços no atacado e para o consumidor "mostram a queda generalizada das margens de lucro da economia, o que por sua vez diminui o apetite empresarial por investimentos".

Confira as taxas negociadas de alguns dos principais contratos negociados na B3:

  • Janeiro/2022: de 2,740% para 2,830%;
  • Janeiro/2023: de 3,900% para 4,040%;
  • Janeiro/2025: de 5,690% para 5,840%;
  • Janeiro/2027: de 6,640% para 6,790%.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

seu dinheiro na sua noite

No mundo corporativo, quem não diversifica, se trumbica

De uns tempos para cá, uma antiga fala de Warren Buffett tem pipocado nas minhas redes. Nela, o megainvestidor diz que “diversificação não faz sentido para quem sabe o que está fazendo” — e ele, naturalmente, se coloca como um sábio. Longe de mim querer contrariar o oráculo do mercado financeiro, mas é preciso tomar […]

nos ares

Boeing realiza 1º voo do maior avião da família 737 MAX e inicia fase de testes

Empresa vem trabalhando para superar acidentes aéreos envolvendo a família de aviões 737 MAX. No Brasil, a Gol tem um pedido firme do 737-10

pix questionado

Procon-SP notifica bancos por brechas exploradas por ladrões de celulares

São requisitados esclarecimentos sobre dispositivos de segurança, bloqueio, exclusão de dados de forma remota e rastreamento de operações financeiras disponibilizados aos clientes vítimas de furto ou roubo

FECHAMENTO DA SEMANA

Juros futuros são grandes protagonistas da semana e ainda prometem mais emoção; dólar recua 1% e bolsa fica no vermelho

Com Copom duro e a sinalização de uma possível elevação nas taxas de juros nos EUA, os principais contratos de DI dispararam. Na semana, o dólar recuou com o forte fluxo estrangeiro e a bolsa seguiu o ritmo das commodities (mais uma vez)

Calendário completo

Banco Central: veja as datas das reuniões do Copom em 2022

O Copom é o órgão do BC responsável por definir, a cada 45 dias, a taxa básica de juros da economia brasileira

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies