Menu
2020-09-11T18:13:16-03:00
Faltou fôlego

Ibovespa até que tenta, mas não consegue acompanhar recuperação em Wall Street e fecha em queda

Descontentamento dos investidores com a cena local pesou mais do que a moderada recuperação observada no exterior

11 de setembro de 2020
18:00 - atualizado às 18:13
Mercados em queda Ibovespa dólar
Imagem: Shutterstock

Não foi por falta de tentativa. O Ibovespa até tentou acompanhar a recuperação das bolsas norte-americanas na última sessão desta semana, mas não encontrou fôlego para se firmar em alta em um dia no qual o descontentamento dos investidores com a cena local pesou mais do que a moderada recuperação observada no exterior.

Houve algumas tentativas, é verdade, mas a bolsa brasileira firmou-se em queda acompanhando uma virada para baixo nos principais índices de ações dos Estados Unidos no início da tarde. Os índices Dow Jones e S&P-500 até se recuperaram, mas o Ibovespa e o Nasdaq, não.

Nem mesmo a alta acentuada das ações da Vale ajudou o Ibovespa a se manter no campo positivo. De fato, é mais provável que as ações da mineradora tenham impedido o principal índice da B3 de encerrar a semana com perdas ainda mais acentuadas.

Papel de mais peso dentre todos os componentes do Ibovespa, a Vale anunciou a aprovação de pagamento de dividendos e juro sobre capital próprio pela primeira vez desde a tragédia de Brumadinho, no início do ano passado. A Vale também divulgou novas diretrizes para a sua política de gestão de riscos visando a evitar futuros acidentes. Com isso, as ações ON da mineradora (VALE3) registraram a maior alta do dia na bolsa.

Pedro Galdi, analista da Mirae Asset, chamou a atenção para a expectativa de dividendos ainda mais forte no segundo semestre. Ele aponta três fatores principais para esta análise: a desalavancagem da Vale, a desvalorização do real e a forte geração de caixa derivada da atual cotação do minério de ferro nos mercadores internacionais.

Bluechips pesam sobre o Ibovespa

Com exceção da Vale, porém, as demais bluechips passaram o dia no vermelho e inibiram um melhor desempenho do Ibovespa no pregão desta sexta-feira.

Os papéis da Petrobras e dos setor bancário pesaram sobre o índice em um movimento técnico desencadeado pela perda do nível de suporte de 99 mil pontos, observaram analistas.

O resultado foi uma queda de 0,48% do Ibovespa hoje, encerrando aos 98.363,22 pontos. Trata-se do nível de fechamento mais baixo desde 7 de julho. Na semana, o índice perdeu 2,84%.

Em Nova York, os índices Dow Jones e S&P-500 fecharam em alta de 0,48% e 0,05%, respectivamente. Já o Nasdaq, coração do setor de tecnologia em Wall Street, retrocedeu 0,60% hoje, atingindo perda superior a 4% no acumulado da semana.

Petz estreia bem na B3

No campo positivo, a sexta-feira marcou a estreia da varejista de produtos para animais domésticos Petz (PETZ3) na bolsa brasileira. A empresa protagonizou o maior IPO do ano na B3 até agora, movimentando mais de R$ 3 bilhões.

As ações foram precificadas a R$ 13,75, no centro da faixa indicativa, mas chegaram ao fim de seu primeiro pregão cotadas a R$ 16,75, uma alta de 21,82%.

Sinais de ingerência governamental no mercado incomodam investidores

O principal foco de preocupação dos investidores nesta sexta-feira foi a sinalização de uma possível interferência governamental na economia.

Ontem, em sua live semanal, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que tem conversado com seus ministros e também com o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, sobre caminhos legais para evitar que o dólar suba tanto.

O comentário vem à tona depois de repetidos pedidos do presidente para que os varejistas demonstrem "patriotismo" por meio da redução de suas margens de lucro e não repassem ao consumidor final a alta nos preços dos alimentos.

Em termos de indicadores, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou hoje pela manhã que o volume de serviços prestados subiu 2,6% em julho ante junho, mas caiu 11,9% na comparação com o mesmo mês do ano passado.

Confira a seguir as maiores altas e as maiores quedas do dia entre os componentes do Ibovespa.

MAIORES ALTAS

  • Vale ON (VALE3) +5,84%
  • Bradespar PN (BRAP4) +4,35%
  • CSN ON (CSNA3) +4,03%
  • Pão de Açúcar ON (PCAR3) +3,97%
  • Grupo Natura ON (NTCO3) +3,76%

MAIORES BAIXAS

  • Cielo ON (CIEL3) -4,31%
  • IRB Brasil ON (IRBR3) -4,13%
  • Intermédica ON (GNDI3) -3,77%
  • Hypera ON (HYPE3) -3,59%
  • Qualicorp ON (QUAL3) -3,30%

Dólar e juro

Depois de operar em queda durante a maior parte do dia, o dólar passou a subir ante o real no meio da tarde até fechar em alta de 0,27%, cotado a R$ 5,3334. No acumulado da semana, a moeda norte-americana avançou 1,1%.

Já os contratos de juros futuros acompanharam a dinâmica do mercado de câmbio. Depois de abrirem em queda, os contratos passaram a apresentar leve alta acompanhando a alta do dólar.

Confira as taxas negociadas de alguns dos principais contratos negociados na B3:

  • Janeiro/2022: de 2,840% para 2,850%;
  • Janeiro/2023: de 4,110% para 4,140%;
  • Janeiro/2025: de 5,970% para 6,000%;
  • Janeiro/2027: de 6,950% para 6,970%.
Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Mercados hoje

Mercados ensaiam recuperação, mas segunda onda da covid-19 e ata do Copom ficam no radar

Ata do Copom deve trazer novidades sobre o forward guidance da instituição e renovar as apostas para a Selic

mudança de casa

Após 23 anos com Alpargatas, Mizuno se une à Vulcabrás no País

Ao assumir a marca famosa pelos tênis de corrida, o grupo gaúcho reforça seu portfólio na área, que já inclui a Olympikus e a Under Armour

NOVATA DA BOLSA

Truxt atinge 12,2% de participação no capital da Plano & Plano após IPO

Gestora de fundos passou a deter 24.900.000 de suas ações ordinárias, o equivalente a 12,2% do capital social.

balanço da doença

Brasil acumula 4,55 milhões de casos e 137,2 mil mortes por covid-19

Nas últimas 24 horas, o Brasil registrou 377 mortes por covid-19, segundo o Ministério da Saúde

INSIGHTS ASSIMÉTRICOS

Razão e Sensibilidade no mercado financeiro: a recente pressão de preços e possíveis alternativas

De todos os romances de Jane Austen, prefiro “Razão e Sensibilidade” — talvez pelo fato de estar em um ambiente tão atrelado à ambivalência: os mercados financeiros

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements