Menu
2019-09-08T09:14:46-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Ação cai 21% no ano

Suzano terá dificuldade para reduzir dívida com preço baixo da celulose

Guerra comercial entre Estados Unidos e China afetou a demanda por papel e embalagens no país asiático, o que resultou em uma acentuada redução da demanda por celulose, de acordo com a agência de risco Fitch

8 de setembro de 2019
9:14
Linha de produção da Suzano
Linha de produção da Suzano - Imagem: Clayton de Souza/Estadão Conteúdo

A guerra comercial entre Estados Unidos e China já faz "vítimas" entre as empresas brasileiras. A Suzano terá dificuldades para reduzir seus níveis de endividamento em meio à disputa entre os dois países, que afetou a demanda por celulose no país asiático.

A avaliação é da agência de risco Fitch, que revisou a perspectiva da nota de crédito da produtora de papel e celulose de estável para negativa. As ações da Suzano (SUZB3) sentem o reflexo da queda nos preços de seus produtos e acumulam uma queda de 21,3% neste ano. Nem mesmo a alta recente do dólar impulsionou os papéis da empresa, que exporta a maior parte da produção.

Para a Fitch, a Suzano precisa diminuir a dívida líquida, atualmente em US$ 13,7 bilhões (R$ 55,8 bilhões), para US$ 10 bilhões (R$ 40,7 bilhões) até o fim de 2021 para manter o nível de endividamento entre 2,2 vezes e 3,5 vezes o Ebitda (sigla em inglês para lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização).

Além da guerra comercial, a demanda por celulose está fraca na Europa, o que aumentou os estoques e derrubou os preços da matéria-prima. Pelas projeções da Fitch, o índice de endividamento da Suzano em relação ao Ebitda atingirá 4,7 vezes em 2019, e a companhia não gerará fluxo de caixa significativo, o que deve resultar na manutenção da dívida líquida em torno de US$ 13 bilhões (R$ 52,9 bilhões).

A classificação de risco da companhia é "BBB-", o último nível dentro da escala de grau de investimento da Fitch. Ou seja, mesmo com a piora nas condições financeiras, a empresa tem uma nota melhor do que a do Brasil, atualmente em "BB-".

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

uma bolada

Bradesco paga R$ 5 bilhões em juros sobre capital próprio

Valor representa R$ 0,416 por ação ordinária e R$ 0,458 por ação preferencial, após o desconto do Imposto de Renda

seu dinheiro na sua noite

Dólar abaixo de R$ 5, Selic de volta aos 7% e o investimento da Petz em página de gatinhos

Apesar dos avanços na vacinação e do relaxamento nas medidas de distanciamento social, o fato de ainda estarmos convivendo com o coronavírus e uma elevada mortalidade pela covid-19 faz com que 2021 tenha um sabor de 2020 – parte 2. Assim tem sido, pelo menos para mim. Imagino que também seja assim para todas as […]

atenção, acionista

Weg e Lojas Renner anunciam juros sobre capital próprio; confira valores

Empresa de fabricação e comercialização de motores elétricos paga R$ 86,1 milhões; provento da varejista chega a R$ 88 milhões

Alívio no câmbio

Dólar fica abaixo dos R$ 5,00 pela primeira vez em mais de um ano — e o empurrão veio dos BCs

O dólar à vista terminou o dia em R$ 4,96, ficando abaixo dos R$ 5,00 pela primeira vez desde 10 de junho de 2020. O Ibovespa caiu

Constitucionalidade em xeque

Autonomia do Banco Central: STF retoma julgamento no dia 25, mas recesso pode estender votação até agosto

A lei em análise restringe os poderes do governo federal sobre a autoridade máxima da política monetária do País

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies