Menu
2019-04-20T16:42:39-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Pedido negado

Marco Aurélio nega pedido de Flávio Bolsonaro para suspender investigação do ‘caso Coaf’

Suspensão do pedido ocorre no mesmo dia em que foi protocolado na corte

1 de fevereiro de 2019
10:03 - atualizado às 16:42
Flávio Bolsonaro
Imagem: Reprodução

O Ministro Marco Aurélio, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou nesta sexta-feira, 1º, o pedido do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) para suspender investigações do Ministério Público do Rio de Janeiro sobre as movimentações financeiras consideradas "atípicas" pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).

Suspensão do pedido ocorre no mesmo dia em que foi protocolado na corte. O senador alegou que iria ganhar foro perante ao Supremo já que assume hoje o mandato de senador. Para Fux, ao restringir o alcance do foro privilegiado, o Supremo considerou que cabe ao próprio tribunal decidir o que deve ficar ou não na Corte.

Com isso, as investigações devem voltar à primeira instância. O ministro já havia dito que pretendia rejeitar o pedido da defesa de Flávio e que daria um parecer assim que voltasse do recesso.

Entenda o caso Coaf

Em dezembro, um relatório do Coaf apontou movimentações atípicas entre as contas de Flávio e seu ex-motorista e assessor, Fabrício Queiroz.

Segundo o documento, o ex-assessor movimentou R$ 1,2 milhão entre janeiro de 2016 e janeiro de 2017. Uma das movimentações foi o depósito de um cheque de R$ 24 mil na conta da futura primeira-dama, Michelle Bolsonaro ­- no início de dezembro, Bolsonaro disse que o cheque era o pagamento de um empréstimo. Além disso, funcionários do gabinete de Flávio chegaram a depositar 99% do que receberam no período na conta de Queiroz, e que a maioria das transferências foram feitas no dia ou em datas próximas ao pagamento na Alerj.

*Com Estadão Conteúdo 

*Conteúdo em atualização

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

objetivo mais ambicioso

CMN fixa meta de inflação em 3,00% para 2024, com margem de 1,5 pp

Objetivo fixado pelo governo é mais ambicioso do que nos anos anteriores e dá sequência ao processo de redução gradual da meta de inflação, iniciado em 2017

inovação

Duratex cria fundo de R$ 100 milhões para investir em startups

Fabricante de madeira, deca e revestimentos cerâmicos planeja realizar aportes em iniciativas em diferentes estágios de evolução, sendo a única cotista do fundo

FECHAMENTO

BC mais brando e novo ‘pacote Biden’ deram o que falar — com inflação em foco, dólar se firma em R$ 4,90 e Ibovespa volta aos 129 mil pontos

A moeda americana registrou o quarto dia consecutivo de queda, com a pressão do pacote de infraestrutura dos EUA e a melhora do cenário local. No mercado de juros, os investidores reduziram as apostas em uma alta agressiva da Selic na próxima reunião

Fome de propostas

Presidente da Câmara quer acelerar reformas e pautas econômicas no Congresso

Lira espera receber ainda hoje o projeto do governo para mudanças no Imposto de Renda e comprometeu-se a votar a privatização dos Correios no mês que vem

Meta ambiental

Vale triplica para até US$ 6 bi previsão de investimentos para reduzir emissões de carbono

O objetivo da empresa é reduzir 33% das emissões diretas e indiretas de carbono até 2030

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies