Menu
2019-06-10T10:56:10-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Política

Caso envolvendo Moro não afeta agenda econômica do governo, diz Arko Advice

Cristiano Noronha avalia que vazamento de conversas não atinge governo Bolsonaro diretamente e Câmara deve levar adiante votações da semana

10 de junho de 2019
10:56
Sergio Moro
Ministro Sergio Moro - Imagem: Marcos Corrêa/PR

O vazamento de conversas entre o ministro da Justiça, Sérgio Moro, e procuradores da Operação Lava Jato não deve afetar de forma consistente a agenda econômica do governo. A avaliação é do cientista político e vice-presidente da Arko Advice, Cristiano Noronha.

Segundo Noronha, esse episódio não afeta o governo, pois é uma revelação que aconteceu no âmbito da Lava Jato, quando Moro era juiz do caso. Ainda assim, pondera Noronha, temos de aguardar para ver se surgem novas gravações e revelações. Assim, Moro deve ficar na defensiva, mas isso não deve resultar na demissão do ministro. “Isso cria ruído político, mas ainda está com impacto delimitado”, avalia.

Com relação à reforma da Previdência, Noronha aponta que as negociações estão em torno do parecer do relator, Samuel Moreira (PSDB-SP). A votação de seu parecer deve acontecer na última semana do mês, acredita Noronha, e o caso envolvendo Moro não teria impacto sobre isso.

O caso pode ter algum reflexo sobre as discussões envolvendo o projeto de lei de combate à corrupção encaminhado pelo próprio Moro. Para Noronha, o episódio pode resultar em novas tentativas de impor algum tipo de controle na atuação do Ministério Público.

O que ganha força, segundo Noronha, é a retórica da oposição e do PT, que devem fazer movimentos para convocar o ministro a dar explicações no Congresso. Também fica reforçada a retórica de que o ex-presidente Lula foi alvo de perseguição política.

Regra de Ouro

Uma das votações mais relevantes prevista para a semana envolve a chamada regra de ouro. O governo pede autorização para emitir até R$ 248 bilhões em dívida, caso contrário faltará dinheiro para pagamento de aposentadorias, Bolsa Família e Plano Safra.

Para Noronha, o episódio não impacta essa votação, pois o pedido de crédito é justamente para o pagamento de benefícios sociais e Plano Safra, que interessa à bancada ruralista.

Além disso, se o crédito não for concedido, a conta pode recair sobre o Congresso. Noronha lembra que o próprio Bolsonaro já foi às redes sociais para dizer que a atuação da oposição prejudica os mais pobres. “Acho que isso pode acabar se voltando contra o Congresso”, diz.

Opinião pública

Ainda de acordo com Noronha, para a opinião pública a revelação das conversas não parece clara em termos de que tipo de erro teria sido cometido ou não por Moro e pelos procuradores.

Segundo ele, diálogos fora de contexto ganham conotações distintas. Por isso mesmo, temos de aguardar para ver quais podem ser as eventuais consequências.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Viagem bilionária

Bilhete dourado: comprador misterioso gasta R$ 1,4 bilhão para ir ao espaço com Jeff Bezos

O turista espacial superou cerca de sete mil ofertas em um leilão beneficente realizado para definir o tripulante da espaçonave New Shepard

Fechamento dos mercados

Vacinação no Brasil volta a fazer preço, e Ibovespa sobe 0,5%, deixando para trás cautela com ‘Super Quarta’; dólar recua mais de 1%

Mercado deve operar em compasso de espera até a próxima quarta-feira, quando os BCs do Brasil e dos Estados Unidos divulgarão as suas decisões de política monetária

Realização brusca?

Com uma alta de mais de 800% no ano, ações da Fertilizantes Heringer recuam 40% em um único dia

A companhia, que se encontra em recuperação judicial, já subiu mais de 800% só neste ano

Oscar do jornalismo

Victor Aguiar, repórter do Seu Dinheiro, é indicado ao prêmio Comunique-se; saiba como votar

O repórter Victor Aguiar, do Seu Dinheiro, é um dos dez indicados na categoria “Economia- mídia escrita” do prêmio Comunique-se

Nova rodada

Auxílio emergencial será prorrogado por mais três meses, afirma Guedes

O benefício será estendido até outubro nos mesmos valores atuais, com parcelas de R$ 150 a R$ 375 que contemplam cerca de 39 milhões de brasileiros

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies