Menu
2020-10-27T07:20:09-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
REPARAÇÃO

Eletrobras adere a acordo de leniência da Camargo Corrêa e receberá R$ 117 milhões

Empreiteira assinou acordo de leniência em 2019, confessando ilícitos praticados contra diversas estatais e o governo federal

27 de outubro de 2020
7:20
Sede da Eletrobras no Rio de Janeiro
Sede da Eletrobras no Rio de Janeiro - Imagem: Divulgação

A Eletrobras (ELET6) anunciou na segunda-feira (27) à noite que ela e suas subsidiárias receberão um total de R$ 117 milhões oriundos de acordo de leniência firmado pela Controladoria-Geral da União (CGU) e a Advocacia Geral da União (AGU) com a empreiteira Camargo Corrêa.

A empresa assinou o termo de adesão ao acordo para receber o ressarcimento. Do total acertado, em torno de R$ 29 milhões irão diretamente para a Eletrobras. O restante será dividido entre Chesf (R$ 29 milhões), Eletronorte (R$ 38,5 milhões) e Furnas (R$ 20,6 milhões).

Segundo ela, o acordo garantirá também o acesso a informações e documentos, permitindo a ela avaliar se há a possibilidade de apresentar novas medidas de ressarcimento.

“Esta é uma oportunidade de fazer retornar à Eletrobras parte dos recursos a que a companhia tem direito, diante dos prejuízos causados pela construtora, decorrentes do esquema de corrupção desvendado pela Operação Lava Jato”, diz trecho do comunicado.

A Camargo Corrêa assinou um acordo de leniência com a CGU e a AGU em 2019, por atos ilícitos praticados contra diversas estatais e o governo federal. A empresa se comprometeu a pagar um total de R$ 1,4 bilhão até janeiro de 2038.  

A empreiteira confessou, entre outros ilícitos, que participou de cartel nas obras da usina hidroelétrica de Belo Monte, com pagamento de propinas para funcionários das estatais e políticos para facilitar a participação nas obras.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Entrevista

‘Desemprego alto e déficit público nos deixam cautelosos’, diz presidente da Whirlpool

CEO da fabricante das marcas Consul e Brastemp diz estar cauteloso para investir em produção e em relação à sustentabilidade da demanda, por conta de desemprego e da situação fiscal

Mercadores da noite

Bolsa, dólar e juros subindo: qual dos três está mentindo?

Quando a Bolsa, o dólar e as taxas de juros estão subindo ao mesmo tempo, um dos três está mentindo – qual deles será e o que fazer?

Infraestrutura

Novo marco legal para ferrovias vai a votação no Senado na próxima semana

Legislação promete organizar regras do setor e permitir novos formatos para a atração de investimentos privados

Telecomunicações

Operadoras cobram transparência do governo na definição da tecnologia 5G

Teles se dizem preocupadas com as “incertezas” relativas ao processo, depois de governo sinalizar banimento da chinesa Huawei

Recorde

Estrangeiros põem R$ 30 bilhões na bolsa brasileira em novembro

Trata-se de recorde de entrada de recursos estrangeiros em um mês, impulsionado pela migração de recursos para bolsas emergentes; movimento por aqui, porém, pode ser passageiro

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies