Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-12-15T21:14:34-03:00
Guilherme Valle
Radiocash

Em vez de só prender os responsáveis, Lava Jato quebrou as empresas, critica o advogado criminalista Kakay, no RadioCash

O assunto no RadioCash dessa semana foi a Operação Lava Jato e seus desdobramentos; veja mais

15 de dezembro de 2021
21:14
RADIOCASH_KAKAY
O RadioCash dessa semana recebe o advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, mais conhecido como Kakay -

Crítico da Lava Jato, o advogado criminalista Antônio Carlos de Almeida Castro, mais conhecido como Kakay, não deixa de reconhecer o mérito da operação. Para ele, ela foi importante para desnudar “um esquema de corrupção profundo e capilarizado”, mas foram “cometidos abusos que prejudicaram (e ainda prejudicam) o país, inclusive economicamente”.

“Ao invés de fazer como todo país faz, atacar o crime e prender os responsáveis, eles quebraram as empresas”, disse Kakay em entrevista ao podcast RadioCash, da Empiricus, nesta semana apresentado pelo sócio-fundador da Vitreo, Jojo Wachsmann, e a jornalista Roberta Scrivano.

“Sem contar a Petrobras. Só o que ela teve que pagar, sendo que os elementos que subsidiaram as ações nos EUA foram fornecidos pelo Ministério Público, foi muito maior do que o que foi trazido de volta”, completou o criminalista.

Advogado de empresários, celebridades e políticos, incluindo ex-presidentes da República, Kakay diz que há comprovações de que, na verdade, a Lava Jato teria causado um prejuízo perto de R$ 172 bilhões, além de gerar “mais de 4 milhões de desempregados”, com as consequências para as empresas envolvidas.

No seu entendimento, a Lava Jato não contribuiu para a construção de um sistema anticorrupção eficaz. “Nós que criticávamos os excessos tínhamos que ouvir desse grupo que nós éramos contra o combate à corrupção. Nada. Eles são muito fracos em termos de Direito. Mas eles são muito bons de marketing, só que isso não se sustenta o tempo inteiro”, comentou, referindo-se aos responsáveis pela operação.

O convidado desta semana do RadioCash falou também sobre os impactos da operação nas próximas eleições presidenciais e revelou um pouco das suas preferências políticas. 

Com o ex-juiz Sérgio Moro, responsável pela força-tarefa e pelos casos em primeira instância da operação, cada vez mais presente no tabuleiro político, vai ficando complicado ignorar sua influência no cenário eleitoral para o ano que vem.

Mesmo em meio à bagunça fiscal, a dificuldade do governo Bolsonaro de aprovar reformas importantes, algumas delas já praticamente prontas, e a sua inépcia no enfrentamento à pandemia, a Operação Lava Jato terá influência decisiva no próximo pleito e movimenta importantes atores da política nacional.

Kakay esteve envolvido na Ação Direta de Constitucionalidade (ADC) que derrubou a prisão em segunda instância, o que por sua vez habilitou o ex-presidente Lula a ser candidato nas próximas eleições. 

Mesmo assim, o advogado nega ser petista ou lulista e atribui as críticas de que teria uma atuação politizada ao fato de que a própria atuação dos membros da força-tarefa teria motivações políticas, na sua visão.

“O que o Moro queria? Ele queria atingir o poder (...) E ele ganhou. Eu não sou petista, nem sou lulista, a minha atuação é dentro da Constituição, embora digam que eu sou advogado do Lula e tal. Veja bem: ele prendeu o principal opositor do Bolsonaro e com isso ele elegeu o Bolsonaro. Claro que isso não é o único fator, mas para mim isso é o principal fator.”

A transição para a política partidária protagonizada por alguns dos cabeças da operação é bem vista pelo advogado, já que, segundo ele, agora sim o enfrentamento se dá no espaço adequado, o que é legítimo em uma democracia. 

Contudo, sua avaliação é de que pode ser difícil para o ex-juiz Sérgio Moro se tornar eleitoralmente viável: “Eu fui chamado agora pra fazer uma palestra para 60 empresários importantes de São Paulo, não tinha nenhum morista. Ninguém queria saber dele, porque todos sabem dos excessos que ele fez com as empresas.”

Kakay também trata da atuação “espetacularizada” do judiciário e como isso prejudicaria o ambiente de negócios no país: “No caso do mensalão, quando começou tudo isso, o meu cliente foi o Duda Mendonça, e ele foi absolvido. Só que durante aqueles meses de exposição massacrante, depois da absolvição dele, (nós fomos) comemorar e ele me disse que ia sair do país e abrir uma empresa em Lisboa e outra na Polônia, porque no imaginário popular ele estava condenado.”

Quer saber o que mais rolou nesse papo? Ouça abaixo a íntegra do podcast RadioCash:

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

TECHS SOFREM

Por que a alta dos juros nos EUA derruba as ações de Locaweb (LWSA3) e Inter (BIDI11) na B3?

O movimento com as ações ligadas ao setor de tecnologia na B3 ocorre desde o início do ano. Os papéis da Locaweb, por exemplo, acumulam queda de 40% apenas nos primeiros dias de 2022

FOLLOW ON

BRF definirá dia 1º preço da ação no follow on, que pode girar cerca de R$ 8 bi

A operação pode abrir o caminho para a Marfrig assumir o controle da BRF

Fatia maior

Gestora Alaska aumenta participação na Cogna (COGN3) para mais de 15%, e ação dispara

Papel tem uma das maiores altas do Ibovespa depois que gestora de Henrique Bredda e Luiz Alves Paes de Barros informou ter adquirido mais ações na companhia de educação

O PLAYSTATION QUE SE CUIDE

Em guerra pelo metaverso, Microsoft compra fabricante do ‘Call of Duty’ e do ‘Candy Crush’ por R$ 380 bilhões

Aquisição da Activision Blizzard pela empresa fundada por Bill Gates é a maior da história do setor de games

BITCOIN (BTC) HOJE

‘Freakconomics’ 2.0: atentado nos Emirados Árabes faz bitcoin (BTC) cair; entenda o que mais movimenta as criptomoedas hoje

Avanço do petróleo, valorização dos Treasuries, queda das bolsas e pressão no bitcoin: tudo está conectado ao atentado de hoje

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies