Menu
2019-04-05T15:49:45-03:00
Estadão Conteúdo
Fim da guerra com Bolsonaro?

Rodrigo Maia à CBN: “Trabalharei como deputado pela aprovação da Previdência”

Presidente da Câmara também prometeu que conversará com parlamentares com quem possui boa relação para avançar no debate mais técnico e profundo do texto para garantir que a reforma seja definida até o início do segundo semestre

29 de março de 2019
7:22 - atualizado às 15:49
Presidente Jair Bolsonaro, e o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia no CCBB.
Presidente Jair Bolsonaro e o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia - Imagem: Antonio Cruz/ Agência Brasil

Em entrevista à Rádio CBN, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, afirmou que a escolha do deputado Marcelo Freitas (PSL-MG) como relator da proposta de emenda à Constituição (PEC) foi "o primeiro passo em direção à reforma" e que trabalhará pessoalmente, "como deputado, e não como presidente da Câmara", para a aprovação da reforma.

De acordo com Maia, a matéria da Previdência é importante porque "ou a aprovação levará o Brasil ao crescimento, ou a reprovação nos levará para um caminho de recessão profunda". O presidente da Câmara também aproveitou a entrevista para elogiar o ministro da Economia, Paulo Guedes, que, de acordo com ele, "tem sido uma pessoa com bom diálogo com a Câmara".

No entanto, Maia demonstrou preocupação com o andamento da matéria porque "a base do governo ainda está desorganizada", prometendo que conversará com os parlamentares com quem possui boa relação para avançar no debate mais técnico e profundo do texto para que "até o meio do ano ou início do segundo semestre" a reforma seja definida.

Perguntado sobre a declaração de líderes partidários da Câmara que assinaram documento se comprometendo a retirar do texto da Previdência as alterações no benefício de prestação continuada, Maia afirmou que "esse ponto não gera nenhum tipo de problema econômico em relação à expectativa do governo com a economia" prevista com a reforma.

No início da entrevista, Maia afirmou que preferia não comentar suas declarações no final da tarde de quarta, quando disse que o presidente Jair Bolsonaro deveria "parar de brincar de governar", dizendo que este assunto já foi superado e convidou Guedes para almoçar e o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, para um café da manhã em sua residência.

Ao final da conversa, Maia foi perguntado sobre a declaração de Bolsonaro em sua Live semanal nas redes sociais na qual afirmou que, retornando de sua viagem a Israel, vai "filar uma boia" na residência oficial do presidente da Câmara, mas desconversou e falou que seus atritos com Moro foram superados.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Relembre a história

Crime e castigo: Bernie Madoff, responsável pela maior pirâmide financeira da história, morre na cadeia

Condenado a 150 anos de prisão, financista que fraudou US$ 20 bilhões e enganou milhares de investidores morreu em desgraça aos 82 anos. Conheça sua história e relembre seus crimes.

Atividade em queda

Indicador da FGV mostra contração da economia em março com agravamento da pandemia

A queda nas expectativas dos consumidores foi um dos destaques negativos entre os componentes do indicador

Benefício com garantia

Paulo Guedes reeditará BEm somente após a aprovação do Orçamento ou da PEC “fura-teto”

“O ministro disse ‘ou um, ou outro, o que sair primeiro a gente faz o BEm'”, afirmou Paulo Solmucci, presidente da Abrasel

PPI

Decreto de Bolsonaro inclui Correios no Programa Nacional de Desestatização

A privatização dos Correios ainda depende da aprovação de um projeto de lei de autoria do Executivo que permite à iniciativa privada prestar serviços

Exile on Wall Street

Bitcoins, IPOs, reestruturações e M&As: coisas para comprar ainda nesta semana

De onde você menos espera é que não vem nada mesmo. É notável a regularidade da incompetência. Ela não surpreende. Está sempre por aí.  Lembro com frequência da famosa frase, já meio clichê, você tem razão, do Kennedy: não pergunte o que seu país pode fazer por você. Pergunte o que você pode fazer por […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies