Menu
2019-05-13T12:16:35-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Traz o extintor!

Aliados de Bolsonaro tentam apaziguar a guerra entre Rodrigo Maia e o governo

Mourão, Flávio Bolsonaro e Joice Hasselmann fizeram afagos ao presidente da Câmara depois que ele ameaçou sair da articulação pela Previdência

22 de março de 2019
17:14 - atualizado às 12:16
Rodrigo Maia
Presidente da Câmara do Deputados, Rodrigo Maia - Imagem: Sérgio Dutti/Estadão Conteúdo

Após um novo mal-estar entre o Palácio do Planalto e o Congresso Nacional, dessa vez encabeçado por Rodrigo Maia, aliados do presidente Jair Bolsonaro trouxeram o extintor de incêndio para tentar apagar o fogo que ameaça tomar grandes proporções.

O presidente em exercício, Hamilton Mourão, falou que compete ao governo lançar "pontes" e conversar com o presidente da Câmara.

O comentário foi feito em entrevista à Rádio Gaúcha, após Mourão ter sido confrontado com a informação de que Maia teria ficado irritado com publicação feita por um dos filhos do presidente da República, vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ). Mourão ressaltou que "rede social não tem a ver com a opinião do Executivo".

"Eu vi a respeito disso (publicação de Carlos) agora cedo, mas não vi o teor completo da mensagem. Mas, se por acaso o presidente Rodrigo ficou incomodado com isso, compete a nós do governo lançarmos as pontes e conversarmos com ele. Lembrar que rede social não tem nada a ver com a opinião que todos nós, do Executivo, temos sobre ele como presidente de uma das casas do Legislativo. Eu considero, particularmente, um apoiador incondicional das principais ideias que nós temos, e conto, assim como todos nós do governo, com o apoio dele", disse o presidente em exercício.

Na quinta-feira, Carlos publicou em sua conta no Instagram que Rodrigo Maia andava "nervoso", em virtude da declaração de Maia de que o ministro da Justiça, Sergio Moro, "conhece pouco de política" e que não é mais que um "funcionário do presidente Bolsonaro". Nesta sexta, Maia disse ao site BR18 que cabe ao governo conseguir os votos necessários para a aprovação da reforma da Previdência e que ele possui um papel "institucional".

Ao ser questionado se as falas dos filhos do presidente em redes sociais dificulta a vida do governo, Mourão afirmou que é uma "adaptação". "Eu não dou bola para rede social. Porque se for dar bola para rede social a gente não faz outra coisa. Temos de ter foco e nos concentrar em nosso trabalho. Buscar ter a resiliência necessária para implementar as reformas que o país precisa e olhar menos para essa questão de rede social."

Sobre a atuação do governo em redes sociais, Mourão disse que entre os membros do "primeiro escalão" todos buscam manter uma posição "bem equilibrada" a respeito da reforma da Previdência. "Junto com o ministro Paulo Guedes, eu e ele, temos mantido esse foco (reforma da Previdência) em todos os lugares em que estamos falando sobre isso. Consideramos que é preciso ter a perseverança necessária e a paciência para levar esse assunto e convencer o conjunto, não só da população, como do parlamento, da necessidade dessa reforma. Agora é óbvio que, de vez em quando, ocorrem esses ruídos que causam algum estranhamento."

Flávio Bolsonaro: "fundamental"

O senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) também fez declarações favoráveis a Maia e escreveu em seu Twitter que o presidente da Câmara "é fundamental na articulação para aprovar a Nova Previdência e projetos de combate ao crime". Segundo o senador, que é filho do presidente Jair Bolsonaro, Maia "está engajado em fazer o Brasil dar certo!".

Joice: "sem ele, a coisa não vai"

A deputada e líder do governo no Congresso Nacional, Joice Hasselmann (PSL-SP), se somou a Flávio Bolsonaro e Mourão nos elogios ao presidente da Câmara. Joice tratou de defender o político de "um movimento nas redes para colar em Rodrigo Maia a pecha de que ele é contra a Nova Previdência", o que, segundo a deputada, é uma campanha mentirosa.

De acordo com a deputada, Maia é um dos que "mais tem trabalhado" pela aprovação "logo" do "principal plano do governo", a reforma da Previdência. "Na prática, sem Maia, a coisa não vai e o Brasil empaca. Simples assim", escreveu a líder do governo.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Risco fiscal

Efeito de fatiamento da PEC emergencial seria extremamente perverso, diz secretário do Tesouro

“Se for fatiado será pior para todos. Queremos dar o auxílio aos vulneráveis, mas também precisamos de um ambiente fiscalmente organizado para que a economia melhore”, disse Bruno Funchal

Nível pré-pandemia

Governo Central tem superávit de R$ 43,219 bilhões em janeiro

Após 11 meses consecutivos de rombos causados pelos gastos de enfrentamento à pandemia, contas do Governo Central voltam a ter superávit

Pagamentos e maquininhas

Lucro do PagSeguro soma R$ 430 mi no trimestre, maior da história da companhia

Entretanto, companhia com ações negociadas na Nasdaq teve queda no lucro em 2020

o melhor do seu dinheiro

Lá vem o Leão de novo…

Estamos naquela época do ano de novo: temporada de prestação de contas ao Leão! A Receita Federal acaba de divulgar as regras de preenchimento da declaração de imposto de renda 2021, que neste ano deverá ser entregue entre 1º de março e 30 de abril. Parece que foi ontem que estávamos fazendo o exercício cívico […]

Nova fase

Conselho do Santander aprova proposta de reorganização societária com a cisão da Getnet

Em fato relevante, o banco explica que na cisão serão entregues aos acionistas do Santander Brasil, conforme aplicável, ações ordinárias ou preferenciais de emissão da Getnet ou certificados de depósito de ações

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies