Menu
2019-05-19T12:31:12-03:00
Estadão Conteúdo
Congresso

‘Não haverá nova proposta da Previdência’, diz líder do governo na Câmara

Após conversa com o relator da reforma na Comissão Especial, Samuel Moreira, Major Vitor Hugo disse não acreditar que os deputados enviem uma proposta própria, mas sim um substitutivo para facilitar mudanças no texto atual

19 de maio de 2019
12:27 - atualizado às 12:31
Major Vitor Hugo
"Vamos dialogar para que se mantenha o texto encaminhado pelo governo, a sua essência", disse Major Vitor Hugo. - Imagem: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

O líder do Governo na Câmara dos Deputados, Major Vitor Hugo (PSL-GO), disse neste domingo (19) que, após conversar com o relator da reforma da Previdência na Comissão Especial, Samuel Moreira (PSDB-MG), não acredita em um novo texto da reforma da Previdência.

"Eu conversei com o relator (da Previdência) e ele explicou que não haverá uma nova proposta de Previdência. O texto como este é complexo e é natural que se apresente um substitutivo já que qualquer pequena modificação pode obrigar a adaptação de toda proposta. Vamos dialogar para que se mantenha o texto encaminhado pelo governo, a sua essência", afirmou Vitor Hugo, ao chegar no Palácio da Alvorada para se reunir com o presidente Jair Bolsonaro.

Neste domingo, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), recebe na residência oficial o relator da reforma da Previdência, Samuel Moreira (PSDB-SP), e o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, para tratar dos ajustes no texto que vai alterar as regras da aposentadoria no País. Na segunda-feira, 20, está prevista outra reunião do relator da proposta com a equipe econômica do governo, mas, desta vez, no Ministério da Economia, com a presença do ministro Paulo Guedes e de todos os secretários da pasta.

Ao jornal "O Estado de São Paulo", na sexta-feira, o presidente da Comissão Especial que analisa a reforma na Câmara, deputado Marcelo Ramos (PR-AM), afirmou que um grupo de deputados decidiu que o projeto de reforma da Previdência terá a marca do Parlamento, e não a do Executivo. Assim, a ideia é apresentar um texto alternativo ao enviado pelo governo, de forma a garantir que o projeto tenha o DNA da Câmara, sem mudar os prazos de tramitação, no entanto. O líder do governo minimizou as alterações.

No sábado, o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, disse ao "Estado" que está em constante diálogo com o relator Samuel Moreira e com Rodrigo Maia para apoiá-los na elaboração das mudanças no projeto enviado pelo Executivo. As mudanças na concessão da aposentadoria rural e do Benefício de Prestação Continuada (BPC) devem ser excluídas do projeto.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

seu dinheiro na sua noite

No mundo corporativo, quem não diversifica, se trumbica

De uns tempos para cá, uma antiga fala de Warren Buffett tem pipocado nas minhas redes. Nela, o megainvestidor diz que “diversificação não faz sentido para quem sabe o que está fazendo” — e ele, naturalmente, se coloca como um sábio. Longe de mim querer contrariar o oráculo do mercado financeiro, mas é preciso tomar […]

nos ares

Boeing realiza 1º voo do maior avião da família 737 MAX e inicia fase de testes

Empresa vem trabalhando para superar acidentes aéreos envolvendo a família de aviões 737 MAX. No Brasil, a Gol tem um pedido firme do 737-10

pix questionado

Procon-SP notifica bancos por brechas exploradas por ladrões de celulares

São requisitados esclarecimentos sobre dispositivos de segurança, bloqueio, exclusão de dados de forma remota e rastreamento de operações financeiras disponibilizados aos clientes vítimas de furto ou roubo

FECHAMENTO DA SEMANA

Juros futuros são grandes protagonistas da semana e ainda prometem mais emoção; dólar recua 1% e bolsa fica no vermelho

Com Copom duro e a sinalização de uma possível elevação nas taxas de juros nos EUA, os principais contratos de DI dispararam. Na semana, o dólar recuou com o forte fluxo estrangeiro e a bolsa seguiu o ritmo das commodities (mais uma vez)

Calendário completo

Banco Central: veja as datas das reuniões do Copom em 2022

O Copom é o órgão do BC responsável por definir, a cada 45 dias, a taxa básica de juros da economia brasileira

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies