Menu
2019-08-12T15:21:00-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
mais uma pra agenda

Relator da MP da Liberdade Econômica espera ter acordo para levar texto à votação

No final da última semana, ele enviou a parlamentares seu relatório com mudanças em relação ao texto original enviado pelo governo

12 de agosto de 2019
11:20 - atualizado às 15:21
img20190409163309423MED
Deputado Jerônimo Goergen disse esperar ter acordo para levar o texto à votação amanhã, - Imagem: Vinícius Loures/Câmara dos Deputados

O relator da Medida Provisória 881, da Liberdade Econômica, deputado Jerônimo Goergen (PP-RS), disse nesta segunda-feira, 12, esperar ter acordo para levar o texto à votação amanhã. No final da última semana, ele enviou a parlamentares seu relatório com mudanças em relação ao texto original enviado pelo governo.

"Fizemos alterações para diminuir atritos e corrigimos algumas inconstitucionalidades. O texto continua aberto e novos pontos podem voltar ou sair até amanhã", disse o deputado ao chegar ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) para um debate sobre a MP.

A MP perde validade no final do mês. A nova redação manteve alterações na legislação trabalhista feitas por Goergen ainda na Comissão Especial que analisou a matéria, como a permissão de trabalho em domingos e feriados. O deputado, no entanto, aumentou agora o prazo para que o trabalhador descanse aos domingos. Se no relatório aprovado na Comissão Especial era obrigatória uma folga no domingo a cada quatro semanas, o novo texto prevê que esse repouso se dê nesse dia pelo menos uma vez a cada sete semanas.

Outra alteração incluída no novo texto é a criação de um documento único para operação de transportes, que conterá todos os dados tributários, logísticos, sanitários e outros - o chamado Documento Eletrônico de Transporte.

A unificação dos documentos havia sido prometida pelo ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, em negociação com caminhoneiros.

A emenda redigida agora por Goergen retirou pontos que criaram polêmica e que haviam sido incluídos por ele em seu relatório ainda na Comissão Especial, que apreciou a matéria em julho.

Deixou de fora, por exemplo, artigo que desobrigava empresas ou locais de obras com menos de 20 trabalhadores de constituir Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA). Essa era uma das principais reclamações da oposição.

Também saíram do texto o fim do adicional de periculosidade para motoboys, a ampliação de receitas com corridas de cavalo e a possibilidade de termo de compromisso lavrado por autoridade trabalhista ter precedência sobre ajuste de conduta como os firmados pelo Ministério Público.

Longe das polêmicas

Goergen disse estar ajustando o seu relatório para que ele "fique o mais perto de gerar menos polêmica" na votação na Câmara. Para ele, o governo precisa enviar ao Congresso outros projetos que avancem na desburocratização do Estado.

"O problema da burocracia no Brasil impede o avanço da economia brasileira. Não sei como o Brasil chegou até aqui. Mas sabemos que não podemos fazer a lei ideal de uma vez só. O avanço da desburocratização não pode parar nessa Medida Provisória", disse.

A senadora Soraya Thronicke (PSL-MS), relatora revisora da MP, afirmou que o governo precisa reforçar com a população a necessidade de aprovação de medidas econômicas para que haja maior apoio das pessoas a ponto de pressionar o Congresso por essas mudanças.

"A pauta econômica tem que ficar fora das pautas ideológicas. A população precisa entender a necessidade dessas medidas como entendeu a da reforma da Previdência, para que a própria população pressione seus parlamentares", disse.

Já o 1º vice-presidente da Câmara, Marcos Pereira (PRB-SP), comentou alguns pontos da medida e disse que o governo pode contar com a bancada do seu partido para aprovar propostas que tratem de desburocratização. "Nossa bancada converge quase em todos os assuntos com os interesses do governo", disse.

Pereira afirmou ainda que é uma injustiça a percepção de que o empresariado brasileiro é um vilão e que quem gera o emprego é o setor produtivo. "O melhor programa social definitivamente é o emprego", disse.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Semana positiva

Ibovespa sobe mais de 3% na semana e dólar cai a R$ 5,31; dados positivos se sobrepõem à cautela

Indicadores econômicos mais fortes no mundo, somados a novas injeções de recursos pelos BCs e governos, levaram o Ibovespa às máximas em quase um mês e permitiram um alívio no dólar à vista

secretário do tesouro

Pela 1ª vez, governo está fazendo esforço para construir base política, diz Mansueto

O secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, afirmou nesta sexta-feira, 3, que pela primeira vez o governo está fazendo um esforço para construir uma base política no Congresso, dando os primeiros passos nessa direção

Fernanda Nechio

Crédito aumenta, mas há arrefecimento nos últimos dados, diz diretora do BC

Arrefecimento do crédito em 2020 e concentração de recursos direcionados às grandes empresas foram dois dos motivos que levaram a autoridade monetária a adotar medidas voltadas para o mercado de crédito durante a pandemia do novo coronavírus

mineradora foca pequenas compras

Vale não deve fazer grandes aquisições, diz Luciano Siani

Se aquisições relevantes estão descartadas, pequenas compras podem acontecer, diz CFO da mineradora

mp 950

Isenção na conta de luz da população de baixa renda terminou no dia 30, diz MME

MME esclareceu que a Medida Provisória 950 – que ampliou o desconto nas tarifas a que a população de baixa renda tem direito para 100% até o limite de consumo de 220 kWh mensais – teve sua vigência prorrogada até 5 de agosto

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements