Menu
2019-12-11T09:02:08-03:00
Não vai ter veto

Bolsonaro propõe fundo eleitoral de R$ 2,5 bi

Distribuição da verba para candidatos fica a critério das cúpulas partidárias, que, em geral, privilegiam políticos com mandato. Existe, ainda, o Fundo Partidário, que banca atividades do dia a dia das legendas

11 de dezembro de 2019
9:02
Bolsonaro
Imagem: Isac Nóbrega/PR

O presidente Jair Bolsonaro sinalizou a líderes do Congresso que não vetará o fundo eleitoral caso a proposta seja de R$ 2,5 bilhões. O recado foi dado nesta terça-feira, 10, aos parlamentares durante reunião convocada para fechar acordo sobre votações no Legislativo até o fim do ano.

A proposta de Bolsonaro é inferior aos R$ 3,8 bilhões previstos no relatório parcial da Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2020, apresentado pelo deputado Domingos Neto (PSD-CE), na semana passada. Líderes de partidos avisaram que aceitam o acordo caso haja a garantia pública do presidente de que ele não vetará o fundo.

Se a proposta de Bolsonaro for aceita, será uma importante vitória política do presidente sobre o Congresso. Desde o início da discussão sobre os recursos para as campanhas eleitorais do ano que vem, Bolsonaro e a equipe econômica do ministro Paulo Guedes deixaram claro que não seria possível qualquer mudança na estimativa de aumento de recursos para as eleições.

Na semana passada, após a divulgação do relatório parcial do Orçamento, o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE), afirmou à revista eletrônica Crusoé que o governo não garantia a aprovação e sanção do aumento do fundo eleitoral para R$ 3,8 bilhões.

"Não existe acordo de R$ 3,8 bilhões para o fundo eleitoral. Defendemos o valor de R$ 2,5 bilhões. Se for para R$ 3,8 bilhões, deve ser vetado", afirmou Bezerra na ocasião.

Coube ao próprio Bezerra costurar um novo acordo nesta terça com os líderes dos 13 partidos que assinaram o ofício encaminhado ao relator do Orçamento, Domingos Neto, pedindo um fundo com mais recursos para as eleições do ano que vem.

O valor de R$ 3,8 bilhões destinados a campanhas eleitorais teve o apoio do PP, MDB, PTB, PT, PSL, PL, PSD, PSB, Republicanos, PSDB, PDT, DEM e Solidariedade. Juntos, esses partidos representam 430 dos 513 deputados e 61 dos 81 senadores.

A avaliação de líderes ouvidos pelo Estado é a de que é melhor ter "um pássaro na mão do que dois voando". Procurado, o relator da LDO não quis comentar o acordo firmado entre as lideranças.

Recursos públicos

O fundo eleitoral é abastecido com dinheiro do Tesouro e se destina ao financiamento das campanhas dos candidatos. Ele foi criado em 2017 para compensar as perdas impostas por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que, dois anos antes, em 2015, proibiu as doações de pessoas jurídicas para as campanhas eleitorais.

A distribuição da verba para candidatos fica a critério das cúpulas partidárias, que, em geral, privilegiam políticos com mandato. Existe, ainda, o Fundo Partidário, que banca atividades do dia a dia das legendas.

O valor final do fundo eleitoral ainda precisa ser votado pela Comissão Mista de Orçamento e pelo Congresso.

O relator afirmou que os recursos extras virão da receita adicional aprovada pelos parlamentares, de R$ 7 bilhões, com base no pagamento de dividendos das empresas estatais. Em entrevista anterior, Domingos Neto alegou que nenhum recurso da saúde ou educação seria transferido para o fundo. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

NOVO IMPOSTO NO RADAR

Paulo Guedes está de olho em criar “imposto do pecado” sobre bebidas, cigarros e açúcar

Tal medida poderia impactar no futuro ações de empresas de bebidas como Ambev, além de sucroenergéticas, como São Martinho, Biosev e Cosan

POLÍTICOS NA MIRA

BC aperta cerco contra políticos e familiares envolvidos em transações suspeitas

Atualmente, políticos como deputados federais, senadores e ministros já são considerados politicamente expostos, assim como seus parentes de primeiro grau

NADA DE VÍRUS POR AQUI

Ministério da Saúde afasta suspeita de casos de coronavírus no Brasil

Segundo o secretário, o Brasil está preparado para lidar com uma eventual epidemia da doença

Olho na Linx

Credit Suisse mantém recomendação de compra para Linx, mas reduz preço-alvo para ações; papéis caem forte

Em relatório divulgado hoje (23), os analistas Daniel Federle, Felipe Cheng e Juan Pablo Alba disseram que o corte tem a ver com as estimativas mais baixas para o volume de compras (TPV) dentro do Linx Pay e com a taxa que é cobrada pelo uso do sistema de pagamentos, que é conhecida como MDR

DE OLHO NA CORRUPÇÃO

Brasil piora no ranking de corrupção

O índice é calculado com base nos níveis percebidos de corrupção no setor público por especialistas e empresários – quanto menor a nota maior é a percepção de corrupção no país

ficou para depois

Odebrecht adia assembleia de credores para aprovar plano de recuperação judicial

BNDES exige que o grupo abra mão do controle da Atvos, empresa de açúcar e etanol, para aprovar o plano; instituição é a maior credor entre os bancos públicos

conversa vai avançar

União Europeia visita EUA em fevereiro para negociar acordo, diz presidente do BCE

Trump chegou a ameaçar tarifar carros e outros produtos da UE se os dois lados não conseguirem fechar um novo acordo

na agenda americana

EUA começaram a trabalhar no corte de impostos ‘2.0’, diz secretário

Casa Branca planeja implementar um segundo corte de impostos para a classe média e “outros incentivos” para impulsionar o crescimento da economia

dados da receita

Arrecadação federal de impostos em 2019 é a maior em cinco anos

Crescimento é explicado pelo comportamento dos principais indicadores macroeconômicos, especialmente os relacionados com o consumo, produção industrial e importações

SIGA O 'BUY AND HOLD'

A estratégia de comprar ações para acelerar sua aposentadoria; entenda

Um dos maiores erros dos investidores que poupam para a aposentadoria é colocar todo o seu dinheiro na renda fixa. O investimento em ações é o gás que você precisa para acelerar o seu plano. O Seu Dinheiro lançou nesta semana o curso “Aposente-se aos 40 (ou o quanto antes)” para ajudar os leitores a […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements