Menu
2019-06-21T19:04:41-03:00
mobilização

Frente parlamentar contra privatização da Petrobras será lançada dia 29, diz FNP

Venda da Petrobras divide o governo Bolsonaro, com a equipe econômica favorável, mas de forma gradual, e parlamentares e militares mais cautelosos em se posicionar

27 de maio de 2019
12:31 - atualizado às 19:04
Plenário da Câmara dos Deputados
Plenário da Câmara dos Deputados - Imagem: Michel Jesus/ Câmara dos Deputados

A Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) informou que na próxima quarta-feira, 29, será lançada uma Frente Parlamentar em Defesa da Petrobras, para tentar evitar a privatização da companhia. A iniciativa acontece em uma semana tensa para o governo, que pretende aprovar medidas provisórias que mexem na administração federal.

A venda da Petrobras divide o governo Bolsonaro, com a equipe econômica favorável, mas de forma gradual, e parlamentares e militares mais cautelosos em se posicionar.

"O objetivo da criação dessa frente, que será composta 190 parlamentares de diversos partidos, é impedir privatização da Petrobras", disse a FNP em seu site nesta segunda-feira.

Segundo a FNP, a Frente Parlamentar vai apresentar dados que reforçam a importância da Petrobras para a sociedade.

Desde a posse do atual presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, a venda de ativos vem sendo acelerada, e com apoio da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), medidas para abrir o mercado de refino, gás natural e distribuição estão sendo tomadas, em parceria com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Nesta segunda-feira, 27, a estatal colocou à venda 27 campos maduros terrestres no Espírito Santo, incluindo as instalações compartilhadas de escoamento e tratamento de produção.

Este ano, a companhia já anunciou a venda de oito refinarias - que podem gerar US$ 20 bilhões - a rede de postos de abastecimento no Uruguai, a redução no capital da BR Distribuidora, e concluiu a venda da Transportadora Associada de Gás S.A. (TAG), iniciada na gestão anterior, além de já ter vendido variados campos de petróleo e gás natural.

No mês passado, a estatal alienou 34 campos de produção terrestres no Rio Grande do Norte e metade dos direitos para exploração e produção no campo de Tartaruga Verde, na bacia de Campos.

A empresa pretende vender também a Liquigás, subsidiária do setor de gás, entre outros ativos.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

disputas internas

Smiles atende minoritários e marca assembleia sobre acordo com Gol

Acionistas questionam termos do acordo com a controladora e defendem que houve abuso de poder por parte dos diretores

esquenta dos mercados

IBC-Br e temporada de balanços nos EUA roubam a atenção dos investidores em meio a temor com a covid-19

Números surpreendentes da economia chinesa não foram o suficiente para diluir as preocupações com o avanço do coronavírus e reestabelecimento de medidas de isolamento na califórnia. Com excessão dos índices futuros em Nova York, o sinal predominante no mercado é o de queda

entrevista

‘Queremos ações mais concretas do Brasil’, diz executivo do grupo Nordea

Com ativos de 550 bilhões de euros, um dos 10 maiores da Europa, grupo parou de comprar ativos do governo brasileiro em 2019 por causa do aumento das queimadas na Amazônia.

Insights Assimétricos

Ainda dá para comprar ouro?

Se o ouro performa muito bem em períodos de inflação elevada, ele também performa bem em momento de inflação baixa; veja por quê

de olho nos barris

União recebe 50% mais petróleo em maio pela produção do pré-sal

De janeiro a maio, foi reservado ao governo o volume de 1,5 milhão de barris de petróleo

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements