⚠️ DIVIDENDOS EM RISCO? Lula e Bolsonaro querem taxar seus proventos e podem atacar sua renda extra em 2023. Saiba mais aqui

2019-11-01T09:15:55-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Siga o dinheiro

Emergentes receberam US$ 22,5 bilhões para ações e dívida em outubro

Dados são do Instituto Internacional de Finanças (IIF), que também mostra preocupação com a persistente fraqueza das moedas emergentes

1 de novembro de 2019
9:15
mercados emergentes
Imagem: Shutterstock

Os mercados emergentes receberam US$ 22,5 bilhões em fluxo de portfólio em outubro, segundo estimativas preliminares do Instituto Internacional de Finanças (IIF). As ações ficaram com US$ 1,2 bilhão e os mercados de dívida concentram US$ 21,3 bilhões. Em setembro, o ingresso tinha ficado na casa dos US$ 38 bilhões.

Em relatório, o IIF reconhece a melhora de ambiente em função do avanço nas negociações comerciais entre China e Estados Unidos, mas chama atenção para o fato de que os cortes de juros feitos pelo Federal Reserve (Fed), banco central americano, não mostram o impacto sobre a cotação das moedas emergentes.

O esperado seria um movimento mais firme de desvalorização do dólar. Para o IIF, o que pode explicar essa reação mais tímida que a esperada é o fato de que nos últimos 10 anos os emergentes já receberam massivas quantidades de dinheiro, reflexo das políticas adotadas desde a crise de 2008/2009. Há uma “ressaca de posicionamento”.

A instituição está entre aquelas que enxerga o copo meio cheio em termos de crescimento global, mas mostra preocupação com a persistente fraqueza das moedas emergentes ante o dólar.

Segundo o IIF é possível elencar uma série de fatores que explicaram essa fraqueza das moedas, como tensões geopolíticas e queda no preço das commodities. Mas há um denominador comum que é a queda no fluxo de não residentes para o conjunto de emergentes (ex-China), que se mostra menos robusto mesmo diante de catalisadores positivos.

O IIF também tem uma medida ampliada de fluxo estrangeiro, considerando captações bancárias e investimento direto. Os dados referentes ao mês de setembro mostram saída líquida de US$ 31,4 bilhões, praticamente o dobro do volume registrado em agosto. A China responde por quase 50% dessa fuga de capital (US$ 17,3 bilhões).

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Embate entre Opep+ e Biden, nova pesquisa do Ipec e a pedra no sapato da Oi (OIBR3); confira os destaques do dia

5 de outubro de 2022 - 19:16

A decisão da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+) de cortar a produção em dois milhões de barris por dia (bpd) para manter o mercado estável não agradou o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden. Com a inflação batendo insistentemente em sua porta e uma resistência da alta dos preços aos remédios […]

CONSOLIDAÇÃO

Líder em consolidação no setor de saúde, Hapvida (HAPV3) compra operadora de baixo custo por R$ 120 milhões

5 de outubro de 2022 - 18:57

A compra será feita por meio da subsidiária Intermédica e custará cerca de R$ 120 milhões

PRÉVIA DO BALANÇO

Multiplan (MULT3) vende R$ 4,7 bilhões e renova recorde de performance para um terceiro trimestre — confira os destaques da prévia operacional da companhia

5 de outubro de 2022 - 18:51

Todos os ativos do portfólio da empresa apresentaram crescimento de dois dígitos na comparação anual, com destaque para um shopping paulistano

ELEIÇÕES 2022

Ipec mostra Lula com 51% e Bolsonaro com 43% — confira a primeira pesquisa após o primeiro turno

5 de outubro de 2022 - 18:33

Considerando apenas os votos válidos, ou seja, excluindo os brancos e nulos, o petista aparece com 55%, ante 45% do presidente que tenta a reeleição

FECHAMENTO DO DIA

Corte de produção da Opep+ embala petroleiras e Ibovespa vai a 117.197 pontos; dólar sobe a R$ 5,18

5 de outubro de 2022 - 18:16

Mesmo com o cenário político movimentado, o Ibovespa conseguiu pegar carona na alta do petróleo no mercado internacional

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies