Menu
2019-04-04T14:25:11-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
FORTUNA

Luiza Trajano, Luciano Hang, irmãos Batista: os novos bilionários brasileiros, segundo a Forbes

O ranking da revista americana mostra que o Brasil ganhou 18 novos representantes no clube do bilhão. Confira as 20 maiores fortunas do país

9 de março de 2019
16:31 - atualizado às 14:25
Luiza Trajano magazine luiza
Luiza Trajano: estreante no ranking de bilionários da Forbes - Imagem: WERTHER SANTANA/ESTADÃO CONTEÚDO

O Brasil ainda sente os efeitos de uma das maiores recessões de sua história. Mas, ao menos quando o assunto é o número de super ricos, há um indicativo de que o país esteja vendo uma luz no fim do túnel. Desde o ano passado, 18 novos nomes entraram para a lista de bilionários da Forbes por aqui.

Com os novatos na turma, a publicação americana contabilizou 58 ricaços no país com mais de 1 bilhão de dólares no bolso. Juntos, eles possuem nada menos que 179 bilhões de dólares.

Vale ressaltar que, apesar do avanço, o número ainda está abaixo do recorde de 2014, de 65 bilionários.

Da Magalu à Havan

Algumas das novidades na lista são a empresária Luiza Helena Trajano, acionista majoritária da varejista Magazine Luiza. A gigante viu suas ações se multiplicarem nada menos que 183 vezes desde o fim de 2015.

Em sua coluna mais recente para o Seu Dinheiro, o colunista Alexandre Mastrocinque conta se a Magalu tem força para dobrar a meta e surpreender ainda mais seus acionistas.

Curioso é que, se Luiza é amiga pessoal da ex-presidente Dilma, outro nome que acaba de entrar no ranking de bilionários da Forbes é um admirador do atual presidente, Jair Bolsonaro.

Luciano Hang, dono da Havan, construiu um império de mais de 100 lojas de departamento principalmente em pequenas e médias cidades pelo país.

Não está se lembrando do nome? Talvez a imagem de um empreendimento parecido com a Casa Branca, com uma grande réplica da Estátua da Liberdade em sua entrada, refresque sua memória.

Sim, como lembra a Forbes, Hang também é um fã de carteirinha da terra do tio Sam. E, assim como Bolsonaro, o bilionário se notabiliza pela grande audiência de suas transmissões ao vivo nas redes sociais.

A fortuna da JBS

Outros velhos conhecidos dos brasileiros que estrearam na lista são os irmãos Joesley e Wesley Batista, marcados por um escândalo de corrupção envolvendo alguns dos maiores políticos do país. Que investidor de bolsa não se lembra do Joesley Day, em maio de 2017?

Mas parece que o jogo virou para os hermanos. Após surfar na onda do aumento da demanda por carne bovina nos EUA e na China, eles viram sua fabricante de carnes valorizar quase 40% em um ano.

Mais alguns nomes que ganharam destaque da publicação estrangeira foram Samuel Barata, acionista majoritário da Drogarias DPSP, segunda maior do país; e Rubens Menin Teixeira de Souza, proprietário da MRV Engenharia que retornou à lista de bilionários.

Sobre a MRV, vale a pena ler com calma a instigante entrevista do Seu Dinheiro com seu presidente, Eduardo Fischer. Nela, ele defende que o mercado imobiliário no Brasil pode até dobrar de tamanho.

Lemann x Safra

A dança das cadeiras entre os bilionários brasileiros afetou a ponta do ranking da Forbes no país. Com o modelo Ambev em xeque, Jorge Paulo Lemann perdeu o título de homem mais rico para o banqueiro Joseph Safra. Nesta análise imperdível, o Vinícius Pinheiro listou 5 motivos que ajudam a explicar por que isso aconteceu.

Confira, a seguir, que são os 20 maiores bilionários do Brasil e a origem de suas fortunas, segundo a Forbes:

1 – Joseph Safra

Riqueza: US$ 25,2 bilhões

Fonte: Banco Safra

 

2 – Jorge Paulo Lemann

Riqueza: US$ 22,8 bilhões

Fonte: 3G Capital

 

3 – Marcel Herrmann Telles

Riqueza: US$ 9,9 bilhões

Fonte: 3G Capital

 

4 – Eduardo Saverin

Riqueza: US$ 9,7 bilhões

Fonte: Facebook

 

5 – Carlos Alberto Sicupira e família

Riqueza: US$ 8,8 bilhões

Fonte: 3G Capital

 

6 – José João Abdalla Filho

Riqueza: US$ 3,4 bilhões

Fonte: Investimentos diversos

 

7 – Abilio dos Santos Diniz

Riqueza: US$ 3,1 bilhões

Fonte: Comércio

 

8 – Fernando Roberto Moreira Salles

Riqueza: US$ 3,1 bilhões

Fonte: Banco Unibanco e mineração

 

9 – João Moreira Salles

Riqueza: US$ 3,1 bilhões

Fonte: Banco Unibanco e mineração

 

10 – Pedro Moreira Salles

Riqueza: US$ 3,1 bilhões

Fonte: Banco Unibanco e mineração

 

11 – Walther Moreira Salles Júnior

Riqueza: US$ 3,1 bilhões

Fonte: Banco Unibanco e mineração

 

12 – André Esteves

Riqueza: US$ 3 bilhões

Fonte: Banco BTG Pactual

 

13 – Alfredo Egydio Arruda Villela Filho

Riqueza: US$ 2,6 bilhões

Fonte: Banco Itaú

 

14 – Jayme Garfinkel

Riqueza: US$ 2,5 bilhões

Fonte: Porto Seguro

 

15 – João Roberto Marinho

Riqueza: US$ 2,5 bilhões

Fonte: Grupo Globo

 

16 – José Roberto Marinho

Riqueza: US$ 2,5 bilhões

Fonte de riqueza: Grupo Globo

 

17 – Roberto Irineu Marinho

Riqueza: US$ 2,5 bilhões

Fonte: Grupo Globo

 

18 – Ana Lucia de Mattos Barretto Villela

Riqueza: US$ 2,4 bilhões

Fonte: Banco Itaú

 

19 – Walter Faria

Riqueza: US$ 2,3 bilhões

Fonte: Grupo Petrópolis

 

20 – Candido Pinheiro Koren de Lima

Riqueza: US$ 2,3 bilhões

Fonte: Grupo Hapvida

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

seu dinheiro na sua noite

Fidelidade em baixa com a pandemia

Não, não estou falando da fidelidade entre casais. Até porque, por mais que a convivência excessiva em família na quarentena tenha abalado alguns casamentos, o momento não anda muito propício às puladas de cerca. Estou falando do setor de fidelidade, que abarca as empresas de programas de pontos e milhagem, sobretudo aqueles ligados às companhias […]

Empresa ligada à Vale

Justiça aprova pedido de Recuperação Judicial da Samarco

RJ não terá impacto nas atividades operacionais da mineradora, nem nas ações de reparação e compensação pela tragédia de Mariana

FECHAMENTO

Ibovespa ignora tensão em Brasília e NY no vermelho e avança 1%; dólar também sobe

Enquanto as blue chips garantiram o bom desempenho do Ibovespa, o dólar avançou 0,84%, pressionado pelo noticiário em Brasília

Exaltou integração

Presidente do Banco Central não enxerga competição entre bancos e fintechs

Segundo Campos Neto, a integração entre as mídias sociais e o sistema financeiro é maior inovação que existe no momento

Menos pontos e milhas

Setor de empresas de fidelidade encolhe quase 30% em 2020

O segmento de fidelidade movimentou R$ 5,3 bilhões em 2020, segundo a Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização (ABEMF)

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies