Menu
2019-06-07T07:54:59-03:00
Estadão Conteúdo
Cara feia

Senadores fazem pressão contra JBS nos EUA

Na mira dos parlamentares, está um programa lançado por Trump para ajudar produtores afetados pela guerra comercial

7 de junho de 2019
7:54
Logo da JBS na parte externa de um prédio
Logo da JBS na parte externa de um prédio - Imagem: Divulgação

Um grupo de senadores americanos se uniu para pressionar o governo de Donald Trump a interromper repasses milionários à JBS, empresa comandada pelos irmãos Joesley e Wesley Batista. Eles reclamam que, em vez de ajudar os fazendeiros americanos, dinheiro do Departamento de Agricultura está indo para uma empresa estrangeira com "histórico de corrupção", investigada pelo próprio governo dos Estados Unidos.

Na mira dos parlamentares, está um programa lançado por Trump para ajudar produtores afetados pela guerra comercial deflagrada por ele contra China e União Europeia.

Após Trump elevar tarifas para compra de bens industriais produzidos por chineses e europeus, as barreiras a produtos agrícolas americanos aumentaram e as vendas dos fazendeiros foram seriamente afetadas. O governo lançou então um programa para comprar mercadorias e tentar amenizar perdas.

A JBS USA, subsidiária da brasileira JBS, aderiu e já levou mais de US$ 60 milhões (cerca de R$ 240 milhões), segundo os congressistas. No total, o programa pretende chegar a US$ 12 bilhões em compras.

Se o contrato é pequeno para a JBS - a companhia faturou R$ 47 bilhões em 2019 -, o movimento dos senadores pode arranhar a imagem da empresa nos EUA, seu principal mercado.

Em cartas enviadas nas últimas semanas ao próprio presidente e ao secretário de Agricultura, Sonny Perdue, nove parlamentares democratas pediram que o governo tome medidas para impedir que dinheiro de um fundo de assistência, custeado pelo contribuinte americano, termine nas mãos de “competidores” dos agricultores do país.

Uma das cartas classifica como "ultrajante" que parte dos recursos seja destinada a uma empresa investigada pelo Departamento de Justiça americano por corrupção no exterior. Outra menciona que a JBS USA foi alvo de apuração pelo Departamento de Agricultura, que constatou que a empresa estava cometendo irregularidades ao remunerar produtores locais.

No ano passado, a pressão de parlamentares foi bem-sucedida. A chinesa Smithfield recuou do pedido e compras de US$ 240 mil feitas ao governo. Em nota, a JBS USA afirmou que é uma empresa americana e seu único objetivo com o programa é ajudar parceiros americanos.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

seu dinheiro na sua noite

No mundo corporativo, quem não diversifica, se trumbica

De uns tempos para cá, uma antiga fala de Warren Buffett tem pipocado nas minhas redes. Nela, o megainvestidor diz que “diversificação não faz sentido para quem sabe o que está fazendo” — e ele, naturalmente, se coloca como um sábio. Longe de mim querer contrariar o oráculo do mercado financeiro, mas é preciso tomar […]

nos ares

Boeing realiza 1º voo do maior avião da família 737 MAX e inicia fase de testes

Empresa vem trabalhando para superar acidentes aéreos envolvendo a família de aviões 737 MAX. No Brasil, a Gol tem um pedido firme do 737-10

pix questionado

Procon-SP notifica bancos por brechas exploradas por ladrões de celulares

São requisitados esclarecimentos sobre dispositivos de segurança, bloqueio, exclusão de dados de forma remota e rastreamento de operações financeiras disponibilizados aos clientes vítimas de furto ou roubo

FECHAMENTO DA SEMANA

Juros futuros são grandes protagonistas da semana e ainda prometem mais emoção; dólar recua 1% e bolsa fica no vermelho

Com Copom duro e a sinalização de uma possível elevação nas taxas de juros nos EUA, os principais contratos de DI dispararam. Na semana, o dólar recuou com o forte fluxo estrangeiro e a bolsa seguiu o ritmo das commodities (mais uma vez)

Calendário completo

Banco Central: veja as datas das reuniões do Copom em 2022

O Copom é o órgão do BC responsável por definir, a cada 45 dias, a taxa básica de juros da economia brasileira

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies