Menu
2019-11-29T11:53:55-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
Bolsa

BRF, Movida e BR Distribuidora entram no índice de sustentabilidade da B3 (ISE)

Sem as ações da Vale, que foram excluídas após a tragédia de Brumadinho, índice de ações de empresas que, supostamente, se comprometem com práticas mais rigorosas de sustentabilidade contará com 36 ações de 30 companhias

29 de novembro de 2019
11:53
Movida
Imagem: Divulgação

As ações da empresa de alimentos BRF, da locadora de veículos Movida e a rede de postos de combustível BR Distribuidora são as novidades da nova carteira do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da bolsa.

A B3 divulgou na manhã de hoje a nova carteira do índice de ações de empresas que, supostamente, se comprometem com práticas mais rigorosas de sustentabilidade.

Digo "supostamente" porque a carteira de 2019 incluía a mineradora Vale, responsável pela barragem da mina Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG), cujo rompimento deixou mais de 250 mortos em janeiro deste ano.

A bolsa decidiu excluir os papéis da Vale do índice 13 dias após a tragédia. A mineradora também não figura na nova carteira do ISE, que será válida a partir de janeiro de 2020.

Com a entrada de BRF, Movida e BR Distribuidora, o índice passará a contar 36 ações de 30 empresas. Fora a Vale, nenhum papel deixou a carteira, que contará com companhias de 15 setores e R$ 1,64 trilhão em valor de mercado, o equivalente a 37,62% do total das companhias com ações negociadas na B3.

O peso de cada ação no índice não foi divulgado, mas atualmente os três papéis com maior participação são: Vivo PN (9,775%), Weg (9,149%) e Lojas Renner (9,073%).

Desempenho

Neste ano, o ISE acumula alta de 20,14%, pouco abaixo do ganho de 23,26% do Ibovespa no período.

No longo prazo, porém, o índice de sustentabilidade se sai melhor. Desde a criação, em 2005, o indicador apresentou alta de 266,19%, contra um ganho de 235,43% do Ibovespa. Além da maior alta, o ISE teve menos volatilidade: 23,86% a 26,51% do principal índice da bolsa.

Confira a seguir todas as empresas selecionadas para a nova carteira do ISE:

  • AES Tiete
  • BRF
  • Duratex
  • Fleury
  • Lojas Americanas
  • Petrobras Distribuidora
  • B2W
  • CCR
  • Ecorodovias
  • Itaú Unibanco
  • Lojas Renner
  • Santander
  • Banco do Brasil
  • Cemig
  • EDP
  • Itaúsa
  • Movida
  • Telefonica
  • Bradesco
  • Cielo
  • Eletrobras
  • Klabin
  • MRV
  • TIM
  • Braskem
  • Copel
  • Engie
  • Light
  • Natura
  • Weg
Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

reviravolta na bolsa

Esta ação era patinho feio – agora é cisne!

Procurei 16 corretoras nos últimos dias para saber quais são suas três principais apostas para o mês de julho. A resposta está aqui

de olho na demanda

Consumo de combustíveis cai 23,8% em maio, diz Unica

Na comparação com os registros de abril, em contrapartida, o volume consumido no mês registrou uma alta de 8,14%, com 3,38 bilhões de litros

Segue o jogo

Caixa ignora crise e mantém prestação de mutuário de baixa renda

Procurada, a Caixa disse que “atua na qualidade de gestor operacional e que cumpre determinações do gestor do programa” – que é o Ministério do Desenvolvimento Regional

propostas do governo

Nova Carteira Verde e Amarela simplifica contratação

Ministério da Economia quer tirar os trabalhadores da informalidade – um contingente de 38 milhões de “invisíveis”

balanço do ano

Queda de juros e crise empurram brasileiro para aplicações no exterior

Dados do Banco Central mostram forte crescimento de aplicação de recursos em fundos e em ações em outros países desde o início do ano

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements