Menu
2019-11-18T15:21:36-03:00
Bruna Furlani
Bruna Furlani
Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem passagem pelas editorias de economia, política e negócios de veículos como O Estado de S.Paulo, SBT e Correio Braziliense.
Briga de gigantes

Softbank planeja criar rival japonesa para competir com gigantes como Google e Amazon

O grupo anunciou acordo para a fusão de uma de suas subsidiárias conhecida como Yahoo Japan com a empresa Line Corp. Com isso, as duas companhias podem criar mais um “super app”

18 de novembro de 2019
15:21
Masayoshi Son, fundador do SoftBank
Masayoshi Son, fundador do SoftBank - Imagem: Shutterstock

Depois de investir em uma série de startups ao redor do mundo, o fundador do grupo japonês Softbank Group Corp., Masayoshi Son, está de olho em criar uma companhia japonesa capaz de competir com gigantes da tecnologia como Google, Amazon e Facebook.

Segundo informações divulgadas hoje (18) por meio de fato relevante, o grupo anunciou acordo para a fusão de uma de suas subsidiárias conhecida como Yahoo Japan com a empresa Line Corp. Ela é líder no serviço de mensagens por aplicativo no Japão, com mais de 82 milhões de usuários e está avaliada em mais de US$ 11,52 bilhões na Nasdaq, o que seria equivalente a mais de R$ 42,18 bilhões.

De acordo com o que foi divulgado, a Yahoo Japan e a Line Corp estão considerando uma oferta aos acionistas minoritários da Line de 5.200 ienes, o que seria equivalente a US$ 47,78, por ação. A esse preço, cada empresa gastaria mais de US$ 1,5 bilhão na transação.

O acordo ainda precisa ser aprovado pelos acionistas e pelo governo, que pode barrar a fusão de duas das maiores empresas de internet do país. Mas, se tudo certo, a expectativa das companhias é que o contrato seja fechado até outubro de 2020.

Com isso, as duas companhias podem criar mais um "super app", que funciona como uma plataforma capaz de reunir em um só lugar lojas de vários segmentos e as mais variadas opções de serviços que o cliente possa precisar ao longo do seu dia. Entre os exemplos de sucesso há o da Rappi, que está seguindo os passos da gigante Meituan Dianping, que é líder nesse segmento na China.

Expansão na Ásia

Ao adicionar a Line ao seu portfólio, o SoftBank teria acesso aos usuários do serviço de mensagens no Japão e a dezenas de milhões em outras partes da Ásia, como Tailândia, Taiwan e Indonésia. Tal estratégia poderia ajudar o grupo a ser mais competitivo no continente asiático e a diminuir a distância que possui em relação a gigantes do setor de tecnologia dos Estados Unidos e da China.

A ideia seria permitir que as empresas mesclassem os seus serviços para criar um super aplicativo que poderia servir como porta de entrada para as duas companhias oferecem. Tal fusão poderia ajudar, por exemplo, o Softbank a se consolidar como um importante player no setor de pagamentos digitais do Japão, ao combinar a sua empresa PayPay com os serviços da Line Pay.

Isso sem contar que poderia ajudar o Yahoo Japão. Ele já foi o principal mecanismo de pesquisa e player de comércio eletrônico do país, mas perdeu terreno à medida que os usuários migraram para smartphones. Por conta disso, hoje o Yahoo Japan conta com cerca de 48 milhões de usuários ativos diários e está presente em mais de 100 aplicativos para celulares.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

AS DICAS DO GURU

Coronavírus é ‘assustador’, mas não é hora de vender ações, para Warren Buffett

“Compramos ações para ficar por 20, 30 anos e achamos que o cenário para 20, 30 anos não mudou pelo coronavírus.”

AÇÕES

ADRs do Brasil fecham em forte queda em NY; Vale cai 7,5% e Petrobras recua 6,7%

Os grandes bancos também amargaram perdas importantes em Nova York, embora menores que Petrobras e Vale

OLHO NO VÍRUS

Brasil amplia lista de países para definir suspeitos de coronavírus

Com a nova atualização, a lista agora inclui, além da Itália, Alemanha, França, Austrália, Filipinas, Malásia, Irã e Emirados Árabes

CORONAVÍRUS

Impacto do coronavírus na economia ficará mais claro em 3 a 4 semanas, diz Mnuchin

“Não acho que as pessoas deveriam estar entrando em pânico mas, por outro lado, é preocupante”, disse o secretário

CAÇADOR DE ASSIMETRIAS

Quarteirão, Quarter Pounder ou Royale, não importa… temos que comprar ouro

Uma curiosidade: alguns lanches mudam de nome a depender do país em que estamos. Sabe por quê? Devido ao sistema métrico de cada território. Por exemplo, um Quarteirão com Queijo aqui no Brasil leva o nome de Quarter Pounder with Cheese nos EUA e Royale with Cheese na França.  Quem me ensinou isso foi Pulp […]

Check up dos investimentos

O que considerar na hora de avaliar o desempenho da sua carteira – e quais ferramentas podem te ajudar

Montei um guia para você saber tudo que precisa levar em consideração na hora de avaliar o desempenho da sua carteira de investimentos, principalmente se você investe por meio de diversas instituições financeiras. Também listei algumas ferramentas que podem te ajudar na empreitada.

DE OLHO NO NUBANK

Número de contas do Nubank cresce 485%, mas prejuízo também acelera e chega a R$ 312,7 milhões

Mas nem tudo foi ruim. De acordo com o documento apresentado pela fintech, o Nubank fechou o ano passado com 16 milhões de contas, sendo que 45 mil foram apenas contas voltadas para pessoas jurídicas (PJs)

AVERSÃO AO RISCO

‘Índice do medo’ dispara mais de 46% em meio a movimento de aversão ao risco no mundo

Seguindo na mesma direção, o ouro também apresentou alta na tarde desta segunda-feira por conta do movimento de busca por proteção

ECONOMIA

Carnaval 2020 deve movimentar R$ 8 bilhões na economia, diz CNC

Segundo a CNC, “a recuperação gradual da atividade econômica, combinada à inflação baixa” tendem a refletir na recuperação moderada dos serviços turísticos

AVIAÇÃO

Empresa americana ExpressJet Airlines compra 36 aviões da Embraer

A companhia anunciou também que vai diminuir gradualmente a sua frota de aeronaves E175 para acelerar o crescimento e se tornar uma companhia mais eficiente

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements