Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-07-23T17:24:35-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Vai para a gaveta

Cade arquiva processo contra Google após voto de desempate de presidente

Julgamento teve placar apertado que só foi decidido após o voto de minerva do presidente do Conselho, Alexandre Barreto

26 de junho de 2019
17:39 - atualizado às 17:24
Logo do Google
Imagem: Shutterstock

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) arquivou processo contra o Google que investigava conduta anticompetitiva da empresa.

Outros dois processos foram arquivados pelo conselho na última sessão, há duas semanas.

O julgamento desta quarta-feira, 25, teve placar apertado que só foi decidido após o voto de minerva do presidente, Alexandre Barreto.

Três conselheiros votaram pela condenação da empresa - um deles chegou a sugerir multa de R$ 32 milhões. Outros dois conselheiros e o presidente, porém, entenderam que não havia provas suficientes para condenar o Google neste caso específico.

"O acervo probatório não permite a condenação da representada. Há inexistência de efeitos no Brasil e, ainda que se concluísse por condenação, não vislumbro remédios exequíveis", afirmou Barreto.

As investigações contra o Google foram instauradas entre 2011 e 2013. O processo julgado hoje foi aberto depois de denúncia da E-Commerce, dona dos buscadores Buscapé e Bondfaro, de que o Google teria colocado seu comparador de preços, Google Shopping, em posição privilegiada dentro dos resultados apresentados quando os consumidores fazem pesquisas no buscador na internet.

A E-Commerce também reclamava de que o Google posicionava de maneira fixa os resultados do Google Shopping no topo ou na lateral da página do buscador, o que estaria prejudicando os concorrentes.

Na semana passada, apesar dos arquivamentos, os conselheiros decidiram pedir que a superintendência do órgão abra um processo para investigar se o Google abusa de sua posição de líder no mercado de buscas e também de notícias.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Petrobras privatizada vira possibilidade, Itaú revisa projeções para o Brasil e outros destaques

A proximidade do ano eleitoral não aprofunda apenas as discussões sobre o aumento de gastos do governo com medidas assistencialistas, como o Auxílio Brasil e o auxílio aos caminhoneiros, confirmados na semana passada após uma manobra no teto de gastos. Com outubro engatando a reta final, restam poucas folhas no calendário de 2021 e oportunidades […]

privatização no radar

Petrobras (PETR4) pede que governo explique estudo para venda de ações; papéis dispararam mais de 6% com rumores sobre privatização

Mais cedo, Bolsonaro reafirmou que a privatização “entrou no radar” do governo, mas destacou que o processo é uma “complicação enorme” e não deve sair tão cedo

FECHAMENTO DO DIA

Petrobras na mira da privatização ajuda Ibovespa a recuperar parte das perdas recentes e bolsa sobe 2%; dólar cai a R$ 5,56

Os investidores começam a semana ainda digerindo a confirmação do rompimento do teto de gastos, mas como a situação deixou de ser especulativa, abriu espaço para uma recuperação puxada pela Petrobras

FINANCIAL PAPERS

Polêmica com vazamentos não afeta balanço do Facebook (FBOK34) e ações avançam em NY

Mais cedo, o noticiário sobre a empresa era dominado por notícias menos favoráveis com a divulgação dos “The Facebook Papers”

Vídeo

All time high do Bitcoin: como fica o mercado de criptos com a principal moeda em alta?

Analista de criptomercado comenta sobre a situação atual desse cenário

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies