Menu
2019-04-15T17:37:11-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Incorporadora em crise

Gafisa vai investigar decisões da gestora GWI à frente da empresa

Dependendo do resultado da apuração, a Gafisa poderá tomar medidas de ressarcimento de eventuais danos, disse hoje o novo presidente da companhia Roberto Luz Portella

15 de abril de 2019
12:09 - atualizado às 17:37
Gafisa Bote Salva Vidas
Dependendo do resultado da apuração, Gafisa poderá tomar medidas de ressarcimento de eventuais danos contra a GWI

A nova gestão da Gafisa vai investigar as decisões tomadas no turbulento período em que a incorporadora foi administrada pela gestora GWI, do investidor Mu Hak You.

Dependendo do resultado da apuração, a Gafisa poderá tomar medidas de ressarcimento de eventuais danos, disse hoje o novo presidente da companhia Roberto Luz Portella.

As decisões atabalhoadas da GWI à frente da companhia foram amplamente noticiadas aqui no Seu Dinheiro. Ao assumir a gestão, a GWI usou parte do caixa da empresa para recomprar ações da própria empresa. Mesmo assim as cotações da empresa na bolsa despencaram.

A decisão de investigar a GWI foi aprovada em assembleia de acionistas da incorporadora realizada hoje pela manhã. Inicialmente, estava prevista a suspensão dos direitos da gestora.

"Mas a medida agora seria inócua, uma vez que a GWI não é mais acionista da empresa", afirmou Portella, em entrevista logo depois da assembleia.

A Gafisa também pretende apurar o processo de cisão da Tenda, incorporadora voltada ao segmento de baixa renda, que foi realizada antes da entrada da GWI.

"Temos indícios de que a cisão da Tenda foi uma fraude", afirmou Aurélio Valporto, presidente da Associação dos Investidores Minoritários do Brasil.

Aumento de capital

Os acionistas da Gafisa também aprovaram a proposta de aumento de capital, dentro do limite autorizado pelo estatuto. A empresa pode emitir até 26 milhões de ações, o que renderia pouco mais de R$ 200 milhões ao caixa, se considerarmos a cotação de fechamento de sexta-feira na B3.

As condições da capitalização serão definidas até amanhã, mas a ideia é que haja estímulo para acionistas participarem. "Nós precisamos desse dinheiro e temos que mostrar ao mercado que a empresa tem o apoio dos investidores", afirmou Portella. O laudo que determinou o preço por ação na operação, que é restrita aos acionistas da companhia, foi feito pela Eleven Research.

A incorporadora fará uma segunda convocação da assembleia de hoje para permitir um aumento no limite de ações e uma nova capitalização no futuro.

A empresa também foi autorizada a captar até US$ 150 milhões com a emissão de debêntures conversiveis em ações.

Tanure no conselho

Os acionistas da Gafisa aprovaram hoje a indicação dos novos membros para o conselho de administração, incluindo o nome de Nelson Tanure.

O polêmico empresário possui hoje apenas 500 ações da empresa, mas já manifestou interesse em adquirir ações no aumento de capital. O mais provável é que ele negocie a entrada na operação com a Planner, hoje a principal acionista da companhia.

Dependendo de quantas ações Tanure comprar nos dois aumentos de capital previstos, é provável que ele passe a deter ações suficientes para ditar os rumos da empresa.

Sem recuperação judicial

O novo presidente da Gafisa negou a possibilidade de a empresa entrar com pedido de recuperação judicial. "Nenhum plano B nem C contempla essa hipótese", disse Portella.

Ele ponderou que isso não significa que a empresa não vá contestar dívidas que carrega hoje no balanço.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

As ações das novas petroleiras valem a pena?

Nos recentes movimentos de rotação de carteiras nos mercados, temos nos deparado com a dicotomia Velha Economia (empresas de segmentos tradicionais) e Nova Economia (empresas ligadas à tecnologia e novas formas de consumo). Dentro do que se convencionou chamar de Velha Economia, temos visto o destaque das empresas de commodities, justamente o forte do Brasil. […]

Problemas no paraíso

Cesp, Engie, AES Brasil e mais: seca reduz brilho de ações do setor de geração hídrica

Com menos água, as empresas geram menos em hidrelétricas, mas não ficam livres de cumprir os contratos de fornecimento de energia

Jabuti do bem?

MP da Eletrobras: contratação de térmicas a gás pode diminuir conta de luz, diz estudo da Abegás

A medida vem sendo criticada pela maioria das elétricas, que alegam que ela vai na contramão da modernização e competitividade do setor

Viagem bilionária

Bilhete dourado: comprador misterioso gasta R$ 1,4 bilhão para ir ao espaço com Jeff Bezos

O turista espacial superou cerca de sete mil ofertas em um leilão beneficente realizado para definir o tripulante da espaçonave New Shepard

Fechamento dos mercados

Vacinação no Brasil volta a fazer preço, e Ibovespa sobe 0,59%, deixando para trás cautela com ‘Super Quarta’; dólar recua mais de 1%

Mercado deve operar em compasso de espera até a próxima quarta-feira, quando os BCs do Brasil e dos Estados Unidos divulgarão as suas decisões de política monetária

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies