Menu
2019-04-05T14:21:10-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
Quem mexeu no meu CRI?

Acusada de desviar recursos, Gafisa diz que tem R$ 11 milhões a receber da Polo Capital

Comandada desde outubro pela gestora GWI, incorporadora é acusada de querer receber novamente por créditos imobiliários que já havia transferido à gestora

7 de fevereiro de 2019
15:42 - atualizado às 14:21
Cuidado Investidor em Perigo Gafisa
Cuidado Investidor em Perigo Gafisa - Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Acusada de desviar recursos de de créditos imobiliários que havia transferido à gestora de recursos Polo Capital, a incorporadora Gafisa (GFSA3) diz que é credora de uma dívida de R$ 11 milhões da gestora.

"Se o Grupo Polo não estava de acordo com a forma de cobrança e repasse desses valores, poderia ter agendado uma reunião com a Gafisa, visando esclarecimentos e informações", informa a empresa, em comunicado encaminhado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

A Polo detém créditos de 20 séries da primeira emissão de certificados de recebíveis imobiliários (CRIs) da Gafisa, cujo saldo devedor é da ordem de R$ 60 milhões.

Nesse tipo de operação, a incorporadora "empacota" uma série de financiamentos que tem a receber de clientes e antecipa os recursos vendendo os títulos a investidores no mercado.

Pelo acordo com a Polo, a Gafisa ficou responsável pela cobrança dos financiamentos e deveria repassar os recursos recebidos para as contas da gestora. No mês passado, porém, emitiu os boletos contendo dados bancários da própria incorporadora, que é comandada desde outubro passado pela gestora GWI, do investidor coreano Mu Hak You.

A acusação de desvio de recursos dos CRI foi feita pela Polo por meio de um fato relevante encaminhado à CVM nesta semana.

Empreendimento em conjunto

No comunicado, a Gafisa diz que se associou à Polo e a outra construtora na execução de um empreendimento no Rio de Janeiro. Mas as sócias não teriam aportado os recursos no projeto e que a incorporadora vem arcando sozinha com todos os custos. É daí que saiu o valor de R$ 11 milhões que a empresa diz que tem a receber.

"Tentamos cobrar inúmeras vezes esta dívida de forma amigável sem êxito", informa a empresa, que diz ter aberto ações de arbitragem e na Justiça para reaver os valores.

O problema é que quem saiu perdendo foram os investidores dos CRI emitidos pela Polo, que não têm nada a ver com a disputa sobre o empreendimento.

Procurada, a Polo informou não comentaria o assunto.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

tarifas e justiça

Trump ameaça retaliar Brasil por causa do etanol

Atualmente, há isenção para importação de até 750 milhões de litros de etanol dos EUA por ano, mas a partir daí a tarifa é de 20%

em reunião do corte

Em ata, Copom indica cautela na análise de novos cortes de juros

Documento mostra que o BC monitora risco da elevada ociosidade da economia produzir inflação abaixo da esperada, ao mesmo tempo que se preocupa com trajetória fiscal

investimento

Bradesco cria ‘ranking ambiental’ de empresas

Ao longo deste semestre, a gestora está se estruturando para fazer a classificação das empresas, que receberão notas de zero a 100

revisão

Pandemia derruba ‘preços’ de aeroportos

Com a revisão dos estudos da próxima rodada de concessão de aeroportos em razão da pandemia, o valor mínimo que o governo vai arrecadar à vista com a transferência dos terminais à iniciativa privada caiu 60%

novo serviço

Uber lança assinatura por R$ 25 ao mês

Novidade é um pacote de serviços que inclui descontos em viagens no app de transporte e na entrega de comida, pelo Uber Eats e pelo Cornershop

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements