Menu
2019-11-12T16:31:34-03:00
Relação mais que abalada

Trump volta a atacar Fed e diz que BC americano coloca EUA em desvantagem competitiva

Trump voltou a dizer que o Fed, que reduziu a taxa dos Fed funds três vezes neste ano, foi “muito lento” ao cortar juros

12 de novembro de 2019
16:31
Presidente dos EUA, Donald Trump, e presidente do Fed, Jerome Powell
Imagem: Official White House Photo by Andrea Hanks

O presidente americano, Donald Trump, afirmou que o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) coloca o país em "desvantagem competitiva" em relação a outros países. "Estamos competindo com economias que cortaram juros", afirmou em discurso sobre a economia no Clube Econômico de Nova York.

Trump voltou a dizer que o Fed, que reduziu a taxa dos Fed funds três vezes neste ano, para a faixa entre 1,50% e 1,75%, foi "muito lento" ao cortar juros. Segundo o presidente, contudo, a economia avançou "apesar" das altas taxas e do aperto quantitativo do banco central. Ao fazer os comentários, Trump foi apoiado pela plateia e brincou: "apenas os inteligentes estão aplaudindo".

O republicano celebrou os números dos mercados acionários americanos, que estão perto de máximas históricas - hoje, o S&P 500 e o Nasdaq renovaram recordes intraday. "Desde a minha eleição, o S&P 500 subiu mais de 45%, o Dow Jones, mais de 50%, e o Nasdaq, 60%", disse. Ele argumentou ainda que, sem o Fed, os três índices poderiam ter avançado 25 pontos porcentuais a mais.

Trump ainda ressaltou os números do mercado de trabalho e renda no país, que "estão crescendo rapidamente". Na sua avaliação, "ultrapassamos nossas metas para a economia por margem larga".

Comércio

Ao comentar sobre a economia, Trump ainda evocou seu slogan de campanha. "Faça a América grande de novo, faça os acordos comerciais grandes de novo". Logo após, se corrigiu, dizendo que os pactos com outras nações nunca foram muito bons. "Não usaria a expressão de novo [para acordos comerciais]", ironizou.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Especial SD

Onde investir no 2º semestre: a bolsa tem potencial para continuar se recuperando, mas há riscos no radar

Após desabar rumo aos 60 mil pontos em março, o Ibovespa se recuperou e, neste início de julho, já conseguiu retornar aos 100 mil pontos. Para analistas, a tendência continua positiva para a bolsa, embora existam incertezas importantes para o mercado de ações

SD Premium

Os segredos da bolsa: o exterior decide se o Ibovespa segue em alta ou entra em correção

O que esperar do Ibovespa após a retomada do patamar dos 100 mil pontos? No curto prazo, o exterior tende a dar as cartas para a bolsa — e a agenda econômica carregada pode trazer instabilidade

números da pandemia

Brasil chega a 72,1 mil mortes por covid-19, diz Ministério da Saúde

Foram registrados 24.831 novos casos da doença; total chegou a 1.864.681

entrevista

‘Brasil virou pária do investimento internacional’, diz Persio Arida

Um dos signatários da carta de ex-ministros da Fazenda e do BC em defesa de uma retomada econômica “verde”, ele observa que o presidente tem feito uma “política ambiental horrenda” e na contramão do mundo

ao menos sete parlamentares

Verba de gabinete é usada para lucrar na internet

Deputados da base governista recorreram a empresas contratadas com dinheiro da cota parlamentar e assessores pagos pela Casa para gerir canais monetizados no YouTube

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements