Menu
2019-06-12T20:05:46-03:00
Bruna Furlani
Bruna Furlani
Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem passagem pelas editorias de economia, política e negócios de veículos como O Estado de S.Paulo, SBT e Correio Braziliense.
Xi...

Situação delicada… E-mails sugerem que CEO do Facebook sabia dos problemas de privacidade da rede

Apesar de os documentos não mostrarem com clareza que ele violou a política de privacidade dos usuários, o simples fato de que ele estava a par dos problemas pode ter um efeito negativo sobre a gestão da companhia

12 de junho de 2019
20:05
mark-zuckerberg
Mark Zuckerberg - Imagem: Shutterstock

Depois da última assembleia de acionistas em que um número maior de minoritários pediu a saída de Mark Zuckerberg da presidência do conselho do Facebook, a situação dele pode piorar ainda mais agora. Segundo reportagem do jornal The Wall Street Journal publicada hoje (12), e-mails internos apresentados para reguladores do governo sugerem que CEO da companhia havia questionado algumas das políticas de privacidade da companhia.

Apesar de os documentos não mostrarem com clareza que ele violou a política de privacidade dos usuários, o simples fato de que ele estava a par dos problemas pode ter um efeito negativo sobre a gestão da companhia, que já vem sendo colocada à prova pelos acionistas.

Entenda o caso

Os e-mails foram apresentados à Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos (FTC, na sigla em inglês), como prova para a investigação que está sendo feita pela agência.

Na denúncia, a companhia é acusada de violar um acordo feito com a FTC em que a empresa se comprometeu a cuidar da privacidade dos dados de seus usuários. O termo foi fechado em 2012.

As alegações de uso indevido de dados de usuários do Facebook foram feitas após o escândalo da Cambridge Analytica ser revelado. A consultoria é acusada de ter sido contratada pela campanha do atual presidente Donald Trump em 2016.

Na época, 87 milhões de usuários tiveram as informações acessadas pela Cambridge Analytica.

E se tais documentos forem incluídos no processo, ainda em andamento, o Facebook pode enfrentar multas e punições maiores do que o previsto. De acordo com os resultados financeiros deste ano, a empresa estimou que terá de pagar entre US$ 3 bilhões e US$ 5 bilhões à autoridade regulatória americana.

Reação do mercado

Com a divulgação da notícia, as ações do Facebook (FB) terminaram o pregão de hoje (12), com queda de 1,72%, cotadas em US$ 175,04. No mês, os papéis tiveram desvalorização de 7,06%.

Já no acumulado do ano, as ações apresentam alta de 33,53%.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Contas analisadas

CMN aprova balanço do Banco Central no 2º semestre de 2019, com lucro de R$ 64,5 bilhões

Com os R$ 21,04 bilhões de lucro no primeiro semestre, o resultado total do ano para a instituição em 2019 foi de R$ 85,57 bilhões

Novidade na área

Caixa confirma parceria om Visa em cartões

Acordo marca o primeiro negócio fechado pelo banco público para constituir um braço de meios de pagamentos

Ano trágico

Vale tem prejuízo de US$ 1,7 bilhão em 2019; provisões e despesas por Brumadinho chegam a US$ 7,4 bilhões

A Vale fechou 2019 com um prejuízo bilionário, fortemente pressionada pelas provisões relacionadas ao rompimento da barragem em Brumadinho — efeitos que superaram em muito os ganhos relacionados à valorização do minério de ferro no ano

Gigante do varejo

Carrefour registra lucro líquido a controladores de R$ 636 milhões no 4º trimestre de 2019

Resultado representa uma alta de quase 20% na comparação com o mesmo período do ano anterior

Adiou de vez

Bolsonaro confirma envio de reforma administrativa só depois do carnaval

Presidente disse que a reforma administrativa está “madura”, embora ainda não esteja pronta

Na ponta do lápis

Vale, SulAmérica, Carrefour e B2W: os balanços que movimentam o mercado no pré-Carnaval

Na maratona de balanços anuais de 2019, novos peso-pesados do mercado anunciaram seus números

Retorno maior com juro baixo

Menos liquidez, mais diversificação: como os clientes ricos do Itaú andam investindo

Com juro baixo, clientes private do Itaú vêm reduzindo alocação em renda fixa pós-fixada e migrando para ativos com mais risco de mercado ou liquidez, como ações, multimercados e investimentos de baixa liquidez.

Seu Dinheiro na sua noite

Hoje tem recorde do dólar?

Tem, sim senhor. Em mais um dia sem a presença do Banco Central no mercado, a moeda do país de Donald Trump tirou tinta dos R$ 4,40, mas perdeu um pouco de força e fechou aos R$ 4,391, alta de 0,60%. A alta recente do dólar, um movimento que na verdade começou lá em agosto […]

Sem alívio

Mais uma sessão, mais um recorde: dólar segue em alta e chega pela primeira vez aos R$ 4,39

O mercado de câmbio continuou pressionado pelo coronavírus e pela fraqueza da economia doméstica. Nesse cenário, o dólar à vista ficou a um triz de bater os R$ 4,40, enquanto o Ibovespa caiu mais de 1% e voltou aos 114 mil pontos

Ele fica

Ministro chama de ‘maior mentira’ história de pedido de saída de Guedes

Ruído sobre eventual saída do titular da Economia do governo se espalhou pelos mercados nesta semana

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements