Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-04-04T13:46:06-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Em discurso da União

Trump manda recado pra China e diz que irá encontrar Kim Jong-un em fevereiro

Presidente norte-americano diz que está acabando com “décadas de políticas comerciais calamitosas” com os chineses e voltou a defender rigidez nas regras de imigração

6 de fevereiro de 2019
7:13 - atualizado às 13:46
Presidente dos EUA, Donald Trump
Presidente dos EUA, Donald Trump - Imagem: shutterstock

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que deve encontrar o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, entre os dias 27 e 28 de fevereiro.

No discurso anual do Estado da União, Trump disse que o encontro ocorrerá no Vietnã.

"Nós continuamos o nosso empenho histórico pela paz na península coreana", destacou Trump, ao apontar que seu relacionamento especial com Kim Jong-un viabilizou o encerramento de testes nucleares pelo governo de Pyongyang por 15 meses.

"Se eu não tivesse sido eleito presidente dos Estados Unidos, nos poderíamos agora mesmo, na minha opinião, estar em uma grande guerra com a Coreia do Norte com potencialmente milhões de pessoas mortas.

Venezuela

O líder norte-americano destacou, ainda, que há duas semanas os EUA reconheceram oficialmente o "governo legítimo da Venezuela, com seu novo presidente interino Juan Guaidó."

O presidente americano destacou que o povo americano apoia o povo daquele país e inclusive sua demanda nobre por liberdade e "condenamos a brutalidade do regime de (Nicolás) Maduro, cujas políticas socialistas transformaram um dos países mais ricos da América do Sul em um Estado de abjeta pobreza e desespero."

China

Sobre a China, com a qual vem tentando negociar o fim de uma guerra tarifária, iniciada no ano passado, Trump disse que vem revertendo décadas de "políticas comerciais calamitosas".

De acordo com o presidente dos EUA, seu governo impôs tarifas sobre US$ 250 bilhões em importados da China. Ele ressaltou que não culpa o líder da China, Xi Jinping, por ter obtido vantagens dos Estados Unidos, mas sim os presidentes americanos anteriores. "Tenho grande respeito pelo presidente Xi e nos agora estamos trabalhando em um novo acordo comercial", apontou.

"Mas deve incluir mudança estrutural para encerrar práticas de comércio injusto, reduzir crônico déficit comercial e proteger empregos americanos."

Infraestrutura

Trump disse estar "ansioso" para trabalhar com parlamentares da Câmara dos Representantes e do Senado para a aprovação de uma lei para projetos de infraestrutura.

"Eu sei que o Congresso está ansioso para passar uma lei de infraestrutura e estou ansioso para trabalhar com vocês, legisladores, para entregar novo e importante investimento em infraestrutura", disse Trump, ressaltando a inclusão de recursos para manter a excelência da indústria americana. "Esta não é uma opção, é uma necessidade."

Imigração

O presidente norte-americano voltou a ressaltar que a imigração ilegal no país é cruel e que "dezenas de milhares de americanos inocentes são mortos por drogas letais que cruzam nossas fronteiras e inundam nossas cidades".

Trump apontou que deseja que pessoas ingressem nos EUA, mas elas precisam ter status legal de imigração. O presidente americano destacou que enviou ao Congresso uma proposta para encerrar a crise na fronteira sul do país, o que inclui ajuda humanitária, mais servidores para trabalhar na patrulha de fronteiras e para detectar o ingresso de drogas nos portos. Neste contexto, ele destacou que é necessário a construção de um muro, ou barreira na divisa com o México.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

O melhor do Seu Dinheiro

Ômicron de “A” a “Z”, dividendos, balanço da Black Friday e outros destaques

A variante ômicron recebeu este nome para evitar maiores conflitos de linguagem, mas Matheus Spiess vai além da semântica em sua análise

A BOLSA HOJE

Esquenta dos mercados: notícia sobre possível baixa eficácia das vacinas contra ômicron derruba mercados, em dia de discurso de Powell e votação dos precatórios

O investidor local ainda permanece de olho nas falas de Roberto Campos Neto e Paulo Guedes em eventos separados hoje

SÓ NO SAPATINHO

Dividendos: Arezzo (ARZZ3) vai distribuir R$ 60 milhões aos acionistas; veja como participar

Serão R$ 33,78 milhões em JCP e R$ 26,22 milhões em dividendos a serem depositados até 31 de janeiro de 2022

INCERTEZAS NO RADAR

CEO da Moderna levanta dúvidas sobre eficácia de vacinas contra a ômicron e provoca reação negativa nos mercados

Stéphane Bancel disse que cientistas consultados por ele esperam ‘queda significativa’ na eficácia dos imunizantes contra a nova cepa

INSIGHTS ASSIMÉTRICOS

Os investidores agora viraram virologistas: os impactos da Ômicron sobre os mercados

Ainda não sabemos o bastante para decidir se esta é uma oportunidade de compra, mas parecemos estar mais preparados como sociedade para enfrentar o problema

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies