Menu
2019-04-04T13:46:06-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Em discurso da União

Trump manda recado pra China e diz que irá encontrar Kim Jong-un em fevereiro

Presidente norte-americano diz que está acabando com “décadas de políticas comerciais calamitosas” com os chineses e voltou a defender rigidez nas regras de imigração

6 de fevereiro de 2019
7:13 - atualizado às 13:46
Presidente dos EUA, Donald Trump
Presidente dos EUA, Donald Trump - Imagem: shutterstock

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que deve encontrar o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, entre os dias 27 e 28 de fevereiro.

No discurso anual do Estado da União, Trump disse que o encontro ocorrerá no Vietnã.

"Nós continuamos o nosso empenho histórico pela paz na península coreana", destacou Trump, ao apontar que seu relacionamento especial com Kim Jong-un viabilizou o encerramento de testes nucleares pelo governo de Pyongyang por 15 meses.

"Se eu não tivesse sido eleito presidente dos Estados Unidos, nos poderíamos agora mesmo, na minha opinião, estar em uma grande guerra com a Coreia do Norte com potencialmente milhões de pessoas mortas.

Venezuela

O líder norte-americano destacou, ainda, que há duas semanas os EUA reconheceram oficialmente o "governo legítimo da Venezuela, com seu novo presidente interino Juan Guaidó."

O presidente americano destacou que o povo americano apoia o povo daquele país e inclusive sua demanda nobre por liberdade e "condenamos a brutalidade do regime de (Nicolás) Maduro, cujas políticas socialistas transformaram um dos países mais ricos da América do Sul em um Estado de abjeta pobreza e desespero."

China

Sobre a China, com a qual vem tentando negociar o fim de uma guerra tarifária, iniciada no ano passado, Trump disse que vem revertendo décadas de "políticas comerciais calamitosas".

De acordo com o presidente dos EUA, seu governo impôs tarifas sobre US$ 250 bilhões em importados da China. Ele ressaltou que não culpa o líder da China, Xi Jinping, por ter obtido vantagens dos Estados Unidos, mas sim os presidentes americanos anteriores. "Tenho grande respeito pelo presidente Xi e nos agora estamos trabalhando em um novo acordo comercial", apontou.

"Mas deve incluir mudança estrutural para encerrar práticas de comércio injusto, reduzir crônico déficit comercial e proteger empregos americanos."

Infraestrutura

Trump disse estar "ansioso" para trabalhar com parlamentares da Câmara dos Representantes e do Senado para a aprovação de uma lei para projetos de infraestrutura.

"Eu sei que o Congresso está ansioso para passar uma lei de infraestrutura e estou ansioso para trabalhar com vocês, legisladores, para entregar novo e importante investimento em infraestrutura", disse Trump, ressaltando a inclusão de recursos para manter a excelência da indústria americana. "Esta não é uma opção, é uma necessidade."

Imigração

O presidente norte-americano voltou a ressaltar que a imigração ilegal no país é cruel e que "dezenas de milhares de americanos inocentes são mortos por drogas letais que cruzam nossas fronteiras e inundam nossas cidades".

Trump apontou que deseja que pessoas ingressem nos EUA, mas elas precisam ter status legal de imigração. O presidente americano destacou que enviou ao Congresso uma proposta para encerrar a crise na fronteira sul do país, o que inclui ajuda humanitária, mais servidores para trabalhar na patrulha de fronteiras e para detectar o ingresso de drogas nos portos. Neste contexto, ele destacou que é necessário a construção de um muro, ou barreira na divisa com o México.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

alta de mais de 8%

Olha quem apareceu! Jack Ma participa de evento e ações da Alibaba sobem

Paradeiro do bilionário chinês é motivo de especulações após ele não aparecer em público desde que fez críticas ao governo chinês

o melhor do seu dinheiro

Bolsonaro: muitas caneladas e um gol

pandemia da covid-19. Erramos ao minimizar a gravidade do novo coronavírus e na falta de articulação na negociação para a compra de vacinas. Para Jair Bolsonaro, a fatura é cobrada na queda da popularidade. A avaliação negativa do governo superou a positiva pela primeira vez desde julho do ano passado, de acordo com a pesquisa […]

Esquenta dos mercados

Mercado amanhece agitado com posse de Biden, Copom e pandemia

Para você querido investidor que ama um “econoflix”, hoje é dia de pegar a pipoca e acompanhar estes eventos.

RESPONSABILIZAÇÃO

Conselho da JBS aprova procedimento arbitral em face da J&F e dos irmãos Batista

Medida é desdobramento de decisão da assembleia de acionistas de instaurar processos por conta de prejuízos provocados à empresa

desinvestimento

Ultrapar negocia compra de refinaria da Petrobras no Rio Grande do Sul

Estatal aprova proposta vinculante da dona da rede de postos de combustíveis Ipiranga e da Ultragaz, como parte de processo de desinvestimento no setor

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies